A Mensagem dos 144 Mil

Posted: 18 de Maio de 2010 by mundomaranatha in 144.000

Quantcast

//

Quem são os 144 mil

Desejo neste estudo responder a uma questão, a uma pergunta que tem sido a preocupação de muitos cristãos que lêem a Bíblia. Você está envolvido quer queira, quer não. A pergunta é: QUAL É A MENSAGEM DOS 144 MIL? Quem são os 144 mil? Quais são os seus privilégios e por que eles têm esses privilégios?

Há algumas TEORIAS ACERCA DOS 144 MIL:

1) Alguns dizem: Os 144.000 se referem àqueles JUDEUS DA PELESTINA, que vão aceitar a Jesus como o Messias, vão pregar o evangelho, e converter o mundo inteiro, através dos próprios judeus em nº de 144.000.

2) Outros dizem que os 144.000 são AS TESTEMUNHAS DE JEOVÁ, que forem escolhidos para ir morar no Céu, enquanto todos os outros salvos ficarão reinando na Terra.

3) Outros dizem que 144.000 é um NÚMERO SIMBÓLICO, e que esse número representa uma classe de cristãos numa multidão muito maior do que o número representa.

4) E outros ainda dizem que 144.000 é um NÚMERO LITERAL, um número especial, um grupo de cristãos que vão se destacar entre todos os que forem salvos para o Céu.

O que a Bíblia diz sobre esse tema, um dos mais preciosos assuntos do livro do Apocalipse? A melhor maneira de entender esse assunto, é verificar alguns aspectos:

As Características dos 144 Mil

1a Característica: Eles são SELADOS

Lemos em Apo. 14:1: “Olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, tendo na fronte escrito o seu nome e o nome de seu Pai.”

Aqui nós temos uma visão. O apóstolo João olhou, e viu o Cordeiro. Esta palavra aparece 30 vezes no Apocalipse, e naturalmente se refere a Cristo. Em 1º lugar, portanto, se revela a Figura incomparável de Jesus Cristo, chamado de Cordeiro porque morreu pelos nossos pecados.

Em 2º lugar, encontramos o monte Sião que está na Palestina, o monte sobre o qual foi construída a cidade de Jerusalém e o templo; e portanto, o monte Sião se torna o sinônimo da Nova Jerusalém, do Templo e do próprio trono de Deus que está no Santuário Celestial.

E logo a seguir, nós temos os 144.000. E o 1º característico nós vemos aqui:

Eles têm nas suas testas, nas suas frontes gravado o nome de Deus e o nome de Jesus Cristo. E o Seu nome é YAHWEH ou Javé. Eles são SELADOS. Eles foram escolhidos para receberem o selo de Deus. Nem todos serão selados; somente os 144 MIL.

Mas isto nos leva ao capítulo 7, onde nós temos uma Obra de Assinalamento dos Justos dos últimos dias, antes da Obra de Destruição pelas 7 Últimas Pragas. Apo. 7:1-4, vamos ler estas palavras tão cheias de significado:

“1 Depois disto, vi quatro anjos em pé nos quatro cantos da terra, conservando seguros os quatro ventos da terra, para que nenhum vento soprasse sobre a terra, nem sobre o mar, nem sobre árvore alguma. 2 Vi outro anjo que subia do nascente do sol, tendo o selo do Deus vivo, e clamou em grande voz aos quatro anjos, aqueles aos quais fora dado fazer dano à terra e ao mar, 3 dizendo: Não danifiqueis nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até selarmos na fronte os servos do nosso Deus. 4 Então, ouvi o número dos que foram selados, que era cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos dos filhos de Israel:” De cada tribo, foram selados 12.000.

O capítulo 7 é um capítulo parentético, é o capítulo que está entre parênteses, entre o 6º e o 7º Selos. O capítulo 7 foi escrito para responder a uma pergunta feita pelos perdidos, e que se encontra no último verso do capítulo 6. Em Apo. 6:16 e 17, nós lemos a pergunta desesperadora dos ímpios: “16 e disseram aos montes e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro, 17 porque chegou o grande Dia da ira deles; e quem é que pode suster-se?”

Esta é a exclamação duvidosa dos ímpios. Para eles não pode haver ninguém que seja salvo naquele momento dramático, quando as 7 Últimas Pragas estarão sendo derramadas sobre eles. Quando eles sentirem a ira de Deus sobre si, eles não poderão conceber que alguém possa estar vivo diante da ira do Cordeiro. Mas eles não conhecem o Cordeiro. “Quem poderá subsistir?” perguntam eles. A resposta está aqui no capítulo 7. Quem ficará em pé naquele dia? Os 144.000. Somente eles hão de subsistir nas 7 Últimas Pragas.

Mas como poderão eles ficar seguros e não ser destruídos? Qual é o seu segredo? Resposta: Eles foram selados por Deus, e todos os que forem encontrados com o Selo de Deus, serão protegidos da destruição das 7 Pragas. Portanto, o propósito da Obra do Selamento é a proteção. Os 144.000 estarão plenamente protegidos por Deus.

Como no tempo das 10 pragas do Egito, o povo de Israel foi protegido pelo sangue do cordeiro, assim no tempo do fim, os 144 MIL, israelitas espirituais, serão protegidos porque crêem no “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, e tem o Seu sangue nos umbrais das portas do seu coração.

Você tem o sinal do sangue no seu coração? O sangue do Cordeiro é a maior proteção, é a base, o fundamento de toda a proteção. Você tem o sangue no coração, o sangue de Jesus Cristo? Você tem o sinal do sangue nas ombreiras da porta do seu coração? Você tem que ter o sangue.

Mas o que significa este sinal, o Selo de Deus? Porque eles são assinalados com o SELO DO DEUS VIVO. A Bíblia diz que o Sábado é o Sinal (Eze. 20:20) ou Selo (GC, 640:2), que contém o nome de Deus, que será gravado nas frontes, nas testas de todos os que guardam e santificam o Sábado, formando um grupo especial de 144.000 pessoas que hão de estar em pé durante a destruição deste mundo pelas 7 Últimas Pragas por ocasião do Decreto Dominical.

E todos os que guardam o Sábado serão desse modo selados e protegidos contra as catástrofes que acontecerão em breve neste mundo. Mas somente os 144.00 serão selados, com o nome de Deus. Os outros serão assinalados pelo Sinal da Besta, e recebem o seu nome, enquanto estarão guardando o domingo de acordo com as leis da Apostasia mundial.

Mas QUAL É O SIGNIFICADO DO NÚMERO 144 MIL?, que alguns dizem que se refere a um número literal; outros dizem que é um número simbólico. Como nós podemos saber com exatidão?

De fato, nós temos aqui um contexto completamente simbólico. Nós lemos sobre os 4 anjos, os 4 cantos da terra, os 4 ventos, o outro anjo; nós temos o selo do Deus vivo; nós temos o povo de Israel – e todas estas palavras são simbólicas. E o número 144.000 também terá de ser simbólico se nós quisermos compreender este maravilhoso assunto, em toda a sua extensão.

O número 4 é símbolo de totalidade e universalidade: 4 anjos são todos os anjos que estão trabalhando na Terra; 4 ventos são todas as lutas do mundo; 4 cantos são todos os pontos cardeais que são 4: Norte, Sul, Leste, e Oeste.

Mas e os 144.000? Qual é o seu simbolismo? Qual é o número-chave para nós compreendermos os 144.000? O próprio texto já indicou o nº 12. Nós aqui temos 12 tribos. 12 é o número perfeito porque é formado de números perfeitos: 12 é a mesma coisa do que 3 x 4; 3 é o nº da Trindade, 4 significa universalidade, e portanto, 12 significa o NÚMERO DO GOVERNO DE DEUS. Por exemplo: 12 patriarcas; 12 tribos; 12 profetas menores, 12 apóstolos, 12 portas de Jerusalém, 12 fundamentos com o nome dos 12 apóstolos. Doze é o número do governo. O Sol e a Lua governam o dia e a noite, e estão relacionados com 12 meses. Doze, portanto, é o número do governo de Deus.

Mas se multiplicarmos 12 x 12, teremos 144. Aqui temos, portanto, a chave: 12 x 12 = 144. Mas nós temos também o número 1.000, que é formado de 10 x 10 x 10. O número 10 é um número completo mas ainda indefinido. Quando chegamos a 1.000, encontramos o número das multidões: é um número indefinido como “milhares de milhares” – não sabemos o seu número exato. Por exemplo: Na multiplicação dos pães havia 5.000 homens, além de mulheres e crianças. Portanto, mil é um número perfeito, completo, mas ainda indefinido.

Doze multiplicado por doze, e multiplicado por mil, dá 144.000 (12x12x1.000 = 144.000), significando um número abarcante, um número completo; mas, embora completo e perfeito, é um número indefinido porque abarca todos os homens e todas as pessoas que devem ser incluídas nesse número.

Portanto, 144 MIL é um número simbólico que representa uma multidão cujo número não foi revelado; portanto, só Deus conhece o número de pessoas que compõem literalmente esse número que se demonstra simbolicamente.

Uma das maiores confirmações desse fato é a declaração de Ellen White que disse que viu lá nos Céus os 144.000 em quadrado perfeito.

Primeiros Escritos, pág. 16 – “Ali, sobre o mar de vidro, os 144.000 ficaram em quadrado perfeito.”

Então, se você toma a sua calculadora e tira a raiz quadrada de 144.000, verá que esse número não tem quadrado perfeito. E isto indica, conseqüentemente, que este é um número muito mais abarcante do que 144.000. Há um número exato na raiz quadrada de 144 que é 12; mas quando nós o multiplicamos por 1.000 (144×1.000), nós temos o número das multidões, portanto, é um número perfeito, mas ainda indefinido. Conseqüentemente, nós temos os 144.000 como símbolo de um número mais abarcante do que o próprio número.

Quem são eles? Os 144.000 são os escolhidos que serão selados, representados por um número simbólico indefinido, maior do que ele mesmo, que só Deus conhece.

2º Característica: Eles são Músicos

Lemos em Apo. 14: 2 e 3: “Ouvi uma voz do céu como voz de muitas águas, como voz de grande trovão; também a voz que ouvi era como de harpistas quando tangem a sua harpa. 3 Entoavam novo cântico diante do trono, diante dos quatro seres viventes e dos anciãos. E ninguém pôde aprender o cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra.”

Aqui nós temos o 2º característico: estes 144.000 eles são musicistas, eles são MÚSICOS – eles tocam harpa e eles cantam maravilhosamente, com melodia e cantam com beleza, emoção e harmonia. Realmente, a música é um dos mais preciosos dons de Deus e não devia ser esquecida.

Mas alguém poderia dizer: “Bem, eu não sou parte dos 144.000 porque eu não sei música e não sei cantar.” É difícil encontrarmos pessoas que tocam instrumentos musicais e que cantam harmoniosamente. E há muito poucos que tocam harpa. Há alguém aqui que toca harpa? Mas, há boas novas, irmãos. Ninguém deve ficar preocupado, sabe por quê?

Certa vez um pastor visitava a igreja adventista central de P. Alegre, e pregou num grande auditório sobre esse fato, de que os santos hão de tocar harpas, e ele disse: “Acontecerá um milagre, Deus vai lhe dar uma harpa, um anjo de Deus virá trazendo uma harpa – e eu nunca aprendi harpa, mas de repente, eu começo a tocar a harpa e cantar melodiosamente”. Este será um emocionante milagre.

Mas o que significa O NOVO CÂNTICO – Eles têm um cântico novo, muito especial; ninguém pode aprendê-lo. Mas qual é o seu cântico? Apo. 15: 3: “e entoavam o cântico de Moisés, servo de Deus, e o cântico do Cordeiro, dizendo: Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei das nações!”

Qual é o seu cântico? O que significa o cântico de Moisés e o cântico do Cordeiro? Para sabermos o seu significado, precisamos lembrar a história do povo de Deus no passado quando estavam saindo do Egito.

O povo de Israel se encontrava encurralado: À sua direita estavam as montanhas, à sua esquerda havia outras montanhas, à sua frente estava o mar, o Mar Vermelho; e eles viram que atrás, na sua retaguarda vinham os exércitos dos egípcios armados e preparados para matá-los. E eles então ficaram muito temerosos, eles ficaram tremendo de medo, sem saída, sem solução, e nesse ponto eles clamaram para Moisés: “Moisés, teria sido muito melhor se nós tivéssemos ficado no Egito, trabalhando, do que agora sermos mortos com os nossos filhos, nesse deserto. O que faremos agora, Moisés? Como escaparemos dos nossos inimigos.”

E então Moisés respondeu: “Aquietai-vos e vede o livramento do SENHOR” (Êxo. 14:13). Mas Moisés foi até Deus: “Senhor, e agora, o que é que vamos fazer? Então disse Deus: “Por que clamas a Mim?”, Moisés. “Dize ao povo que marche.” (v. 15). E deu instruções para Moisés usar a sua vara nas águas (v. 16). E as águas do mar se abriram (v. 21) e o povo de Israel passou em seco (v. 22), atravessando o mar por uma intervenção miraculosa de Deus. Então, Moisés cantou um hino de louvor a Deus (em Êxo. 15).

Os 144.000 passarão pela mais terrível tribulação de todos os séculos; no entanto, no momento mais difícil eles serão libertados. No momento de maior aperto com os exércitos inimigos apontando as suas armas, quando estiverem encurralados eles serão libertos. Então, hão de cantar o cântico da sua própria experiência, que ninguém pôde aprender, porque só eles passaram por essa tribulação, e só eles podem entoar o cântico do livramento – o cântico do Cordeiro.

3º Característica dos 144 Mil: FIDELIDADE

Apocalipse 14, versículo 4: “São estes os que não se macularam com mulheres, porque são castos.” O 3º característico é que eles tem FIDELIDADE. Mas em que sentido? Eles “não se macularam com mulheres, porque são castos” – o que significa isto?

Naturalmente, você está lembrado de que no Apocalipse, mulheres são símbolos de igrejas. Em Apocalipse 12 vemos uma virgem pura que representa a Igreja verdadeira; e no capítulo 17, uma meretriz que representa a igreja apostatada, mãe de todas as igrejas falsas. E aqui (Apoc. 14:4) nós temos “as mulheres” representando todas as igrejas apostatadas. Os 144.000 tem fidelidade, fidelidade à verdade: eles não se macularam com as doutrinas falsas das igrejas que seguem a apostasia da Babilônia.

Mas alguém, então, vai dizer: “Bem, eu já passei por várias igrejas. Eu passei pela Igreja Tal e Tal, e por outra igreja, e finalmente, depois de quatro, cinco religiões eu estou agora na Igreja Adventista do 7º Dia. Certamente eu não posso fazer parte dos 144.000, porque eles não se contaminaram com as falsas doutrinas.”

No entanto, meus irmãos, temos boas novas aqui também, porque Deus não conta “os tempos da ignorância” (Atos 17:30), quando nós não conhecíamos a verdade; Ele conta a partir do momento em que você recebe a verdade.

Os 144.000 são aqueles que são fiéis à verdade de Deus, revelada à Igreja Verdadeira e que não se contaminaram com o vinho das falsidades de Babilônia, que não abandonaram o conhecimento de Deus, não trocaram essa a Verdade pelas mentiras da Apostasia. São, portanto, aqueles que realmente crêem na Verdade, e que andam na Verdade, e que proclamam a Verdade, e testificam da Verdade – só a Verdade e nada menos que a Verdade.

Os 144.000 são aqueles que são tão fiéis à Verdade como a bússola o é ao pólo. Eles estão dispostos até a morrer por essa verdade. Única-mente, os que pensam assim é que serão considerados verdadeiramente fiéis e dignos pelo Céu como pertencentes a esse grupo especial.

4º Característica: Eles são CRISTÃOS

Já ouviu falar disso? Pois aqui diz que eles são “seguidores do Cordeiro”. “São eles os seguidores do Cordeiro por onde quer que vá.” (Apoc. 14:4). O que é que significa ser seguidor do Cordeiro? Seguidores de Cristo são cristãos. Os 144.000 aprenderam a seguir a Jesus Cristo aqui na Terra, eles O amavam tanto que estavam dispostos a seguir aonde Ele fosse no caminho da Verdade. E os 144.000 no Céu também são seguidores do Cordeiro por onde quer que Ele vá.

Eles terão o privilégio de visitar os mundos desconhecidos, os mundos das maravilhas, esplendorosos, cheios de beleza, paraísos encantadores. Liderados pelo Cordeiro, eles poderão vislumbrar a todos os milhões de mundos e paraísos que Deus criou neste Universo infinito, e eles hão de seguir o Cordeiro por onde quer que Ele for.

Mas por que é que diz que eles seguirão o Cordeiro? E por que é que não diz que eles estão seguindo a Jesus Cristo? Por que é que não diz que estão seguindo o Filho de Deus? João diz que estão seguindo o Cordeiro. Porque este será o cântico entoado por toda a eternidade, será esta a razão de cantar eternamente, que Jesus é o Cordeiro. E eles testificarão por todo o Universo, por todos os mundos que hão de conhecer que eles estão nos Céus porque Jesus Cristo é o Cordeiro de Deus que tirou o pecado do mundo através do Seu sangue – é por isso que, com efeito, estão nos Céus e participando dos privilégios e das maravilhas e dos encantos que Deus reservou para eles.

Muitos se intitulam pelo nome de cristãos, mas não seguem o Cordeiro por onde quer que Ele vai no caminho da Verdade e da Justiça e do Amor. Ser cristão significa muito mais do que vir à igreja, muito mais do que estudar a Bíblia. Significa seguir o Cordeiro na sua vida particular.

E você encontra o Cordeiro nas páginas luminosas do Apocalipse para que você não se esqueça de que Jesus Cristo morreu na Cruz do Calvário, e isto é a base para você se tornar um dos 144.000, o fundamento para você ser um verdadeiro cristão porque eles são cristãos.

5º Característica: Eles são REDIMIDOS

Redimidos dentre os Homens (Apoc. 14:4, 3a parte), porque haverá nesse tempo, 2 classes de homens: os redimidos e os pecadores.

Nós já lemos (v. 3) que eles são “comprados”, comprados a preço de sangue: “comprados da Terra”. Agora nós lemos que eles são redimidos (v.4). Isto é o que significa a Redenção que há em Jesus Cristo: nós fomos comprados; redenção significa o pagamento do preço de um resgate, e aqui nós temos o pagamento do resgate, pelo precioso sangue do Cordeiro.

Quando uma pessoa é seqüestrada, o criminoso exige um pagamento como resgate que coloca o seqüestrado em liberdade. Assim também no Plano da Salvação. O sangue de Cristo, o sangue do Filho de Deus foi o pagamento do nosso resgate. Ao ser pago o preço, imediatamente ficamos livres diante do Universo, livres da escravidão do pecado.

Portanto, estas pessoas, este grupo tão especial dos 144.000, eles são redimidos, e salvos, porém não por seus próprios esforços. Não são salvos por seus próprios méritos. Não são salvos porque eles guardaram o sábado – se bem que eles guardaram o sábado, e foram selados; não são salvos porque eles entregaram o dízimo – mas eles entregam o dízimo; eles fizeram boas obras – mas eles não são salvos pelas suas boas obras. Eles são salvos porque Jesus Cristo morreu na Cruz do Calvário, e eles foram comprados pelo sangue de Cristo. Eles são salvos pela fé em Jesus Cristo e no Seu sangue.

6º Característica: Eles são PRIMÍCIAS

Eles são “primícias para Deus e para o Cordeiro” (Apo. 14:4). Novamente, a palavra Cordeiro. Você aprecia ouvir esta palavra “Cordeiro de Deus”, o Seu sangue derramado? O sangue de Cristo está esparso em toda a Bíblia. E em todo o Apocalipse novamente você se defronta com esta palavra, em nada menos do que 30 vezes, porque este é o ponto central de toda a salvação: o sangue do Cordeiro. Pois eles também são primícias para o Cordeiro.

Mas qual é o característico? Eles são o quê? “Primícias”. Primícias significam os “primeiros frutos”. Os 144.000 são os primeiros frutos da Salvação. Quando Jesus Cristo voltar, Ele encontrará duas classes de justos: os justos mortos e os justos vivos. Qual destas 2 classes você pensa que são os primeiros frutos da Salvação? Qual deles? Os justos vivos ou os justos mortos? A quem Jesus Cristo encontrará como primeiros frutos? Os justos vivos, evidentemente, porque os justos vivos são aqueles que estão ali “em pé”, contemplando já a Salvação e a glória de Jesus Cristo, nas nuvens. E eles, portanto, são os primeiros frutos – as primícias de Deus. Conseqüentemente, quando Cristo voltar encontrará os 144.000 que são todos os salvos vivos.

Eles são os últimos dos últimos dias, eles pertencem à última geração dos justos, mas eles são primeiros porque os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos.

Ora, isso nos ajuda a compreender melhor o assunto. “Primícias” é a palavra simbólica mais esclarecedora para você compreender por que é que 144.000 é um número simbólico de um número muito maior, porque quando Jesus Cristo voltar encontrará muito mais que 144.000 justos vivos, cristãos que estarão vivos, espalhados por todo o mundo.

Bem, você já ouviu, de algum pregador, que você deve se esforçar para ser pertencente aos 144.000? [Ellen White: “Esforcemo-nos com todo o poder que Deus nos tem dado para estar entre os 144 mil.”; “Procuremos, com todo o poder que Deus nos tem dado estar entre os 144 mil.” 7BC, 970; MM 95, O Cuidado de Deus, 337].

Muito bem, não esqueça: os 144.000 são justos vivos. Esteja vivo, portanto, quando Jesus Cristo voltar. É isso que você está pensando? Bem, mas e se eu morrer antes de Jesus Cristo voltar? Então, o pregador está dizendo: “Esforce-se para pertencer aos 144.000. Eles são os salvos vivos.” Se isto é assim, eu tenho que me esforçar para me manter vivo.

Mas isto seria muito engraçado e até muito triste e desanimador para muitos de nós. Porque por mais que nós estamos nos esforçando em cuidar do nosso corpo – não fumando, não bebendo, não usando drogas e não comendo carnes imundas e praticando exercícios físicos e sendo até vegetarianos (muitos, alguns dias) – por mais que nos esforcemos, as forças vitais estão se esgotando e a morte se aproxima. E se eu morrer antes, eu não serei parte dos 144.000?

Tenho uma boa resposta para os irmãos. Em Apo. 14:13, nós encontramos o segredo: “Então, ouvi uma voz do céu, dizendo: Escreve: Bem-aventurados os mortos que, desde agora, morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem das suas fadigas, pois as suas obras os acompanham.” Temos aqui uma bem-aventurança: “Bem-aventurados os mortos que morrem no Senhor”. Ah, eles são bem-aventurados, por quê? Porque eles morrem “no Senhor” – estão morrendo como cristãos.

Mas não é só isso. Há um ponto muito interessante que define o tempo: “Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor.” “Desde agora” é o tempo que abarca as três mensagens angélicas. “Desde agora” é o tempo desde 1844 para cá. Portanto, após se encerrar a pregação destas mensagens, vindo o fechamento da Porta da graça, e as 7 Últimas Pragas, “Todos os que morreram na fé da mensagem do terceiro anjo saem do túmulo glorificados” (GC, 637:2) na Ressurreição especial (Dan. 12:2), estarão vivos e farão parte dos 144 MIL. Estarão em pé para contemplar a Vinda de Jesus Cristo.

É por isso que nós lemos aqui em Apo. 14:14, que Jesus Cristo vem ceifar a Terra, e colher os Seus primeiros frutos, as Primícias da Sua Salvação: todos os salvos vivos, os 144.000, inclusive quem morreu de 1844 para cá. Juntamente com eles veremos Ellen White e todos os pioneiros. Portanto, você também pode fazer parte dos 144.000 mesmo que você experimente a morte; se você for fiel, você há de participar deste grupo. Portanto, tenha bom ânimo.

7º Característica dos 144 Mil: Eles são PERFEITOS

Este é o grande impacto. Leia comigo estas palavras maravilhosas, que contém um tremendo desafio para todos nós, mas não se desanime com elas. Apoc. 14:5: “e não se achou mentira na sua boca; não têm mácula.”

Em um mundo cheio de mácula, em um mundo manchado pelo pecado, pela devassidão, pelo crime, pela violência, pela queda moral e espiritual, erguem-se os 144.000 sem “mácula”, porque são perfeitos. “Não se achou mentira neles”. Porque mentira seria dizer que são cristãos e viverem como mundanos. Mentira seria dizer que seguem o Cordeiro e adorarem à besta. Mentira seria dizer que guardam os mandamentos de Deus e seguirem obedecendo às leis humanas. Seria viver hipocritamente; mas eles são sinceros, fiéis à Palavra de Deus e verdadeiros crentes em Jesus Cristo, iluminados pelo Espírito Santo.

Não, eles não são mentirosos, não são hipócritas, eles não traem os seus amigos e nem os seus irmãos. Eles não têm “mentira”, a sua vida é “sem mácula” – eles têm o caráter perfeito. Eles preferem morrer a negar o seu Salvador; eles preferem a morte ao pecado.

Prezados irmãos, esta é a mensagem de Deus para nós hoje: Os 144.000 estão se preparando, estão se santificando para ser perfeitos. Você está se aperfeiçoando? Você está se preparando para ser parte dos 144.000? Pois o Espírito Santo está santificando um povo para estar preparado para aquele dia, no tempo das 7 Últimas Pragas, no Tempo de Angústia quando não houver mais Intercessor, quando não tivermos mais a Cristo intercedendo por nós no Santuário Celestial, porque terá passado o Tempo de Graça. Eles serão perfeitos.

Mas isto é mais do que perfeição. Porque perfeição comum é você ser criado perfeito e não ter nenhum pecado, como os anjos lá dos Céus – é uma perfeição comum. Mas perfeição incomum sabe o que é? É nós termos ainda a natureza pecaminosa e não praticarmos o pecado.

Esta será a experiência dos 144.000: naquele tempo eles não cometerão pecado, porque se eles praticassem o pecado, eles já não poderiam ser classificados como homens e mulheres sem mácula. A sua sorte já está definida quando Jesus Cristo trocar Suas vestes sacerdotais. Quando Ele encerrar o Tempo de Graça, quando a Porta da Graça se fechar, então não haverá mais desenvolvimento do caráter. Todos já estarão selados ou para a salvação ou para a perdição (Apo. 22:11). Eles já estarão selados, eles já estarão confirmados, eles já estarão perfeitos; embora tendo ainda a natureza pecaminosa.

Mas eles não conseguiram isto por si mesmos, não. Eles conseguiram isto por Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus. Eles receberam a justiça de Jesus Cristo. Por isso, eles não têm mácula – o 7º característico. O nº 7 é o número da perfeição. E isto indica a perfeição dos 144.000, razão pela qual são selados, protegidos das Pragas e levados para os Céus.

8º Característica: Eles são VITORIOSOS

Este é um característico muito especial. Podemos encontrá-lo em Apo. 15:2: “Vi como que um mar de vidro, mesclado de fogo, e os vencedores da besta, da sua imagem e do número do seu nome, que se achavam em pé no mar de vidro, tendo harpas de Deus”. João está falando dos 144.000. Qual é o seu grande característico? Ah, eles são VENCEDORES.

O nº 7 indica a perfeição, mas o nº 8 é o número da vitória. Então, os 144.000, são os VENCEDORES. A quem eles vencerão? À Besta, à Imagem da Besta e a todos os inimigos de Deus. Isso acontecerá na última grande batalha do Armagedom (Apo. 17:14), com a liderança do Cordeiro, o Rei dos reis e Senhor dos Senhores. A este Cordeiro eles cantam a sua vitória através do cântico de Moisés (Apo. 15:3).

Meus prezados, nem Satanás podia conceber. Eles estarão vivendo no maior Tempo de Angústia, estarão contemplando as 7 Pragas sendo derramadas, estarão recebendo as ameaças dos ímpios e sofrendo a possibilidade da morte pelo Decreto de Morte, mas eles são vitoriosos.

Nem mesmo Satanás, dizia eu, nem mesmo Satanás podia conceber que a última geração – a geração mais fraca de todas as gerações do passado, a geração que sofre pela ira mais intensa e desesperada de Satanás, sem nenhum Intercessor – seja a geração que vence o pecado e triunfa sobre os inimigos de Deus. Nem mesmo Satanás podia conceber que a mais fraca e a mais tentada de todas as gerações fosse a geração dos justos invencíveis.

Como pode a geração mais fraca ser a mais vitoriosa? Por causa do Cordeiro de Deus, que os redimiu e lhes concedeu a vitória. Eles estarão enfrentando o frio, passando fome e sede, sendo ameaçados de morte pelos inimigos, mas eles não cedem à pressão do mundo, da carne e do diabo. No dizer do apóstolo Paulo, eles são “mais do que vencedores por meio dAquele que nos amou” (Rom. 8:37). Esta será uma vitória esmagadora, uma gloriosa vitória.

APELO

Resta-nos perguntar: Você gostaria de fazer parte dos 144.000? Você está realmente se preparando? Você está em comunhão com Jesus Cristo, você está buscando este Jesus Cristo que é o Cordeiro de Deus? Se você fizer isto, você fará parte dos 144.000, esteja vivo, ou morto e ressuscitado na undécima hora.

Você gostaria de fazer parte dos 144.000? Você gostaria de ler mais a sua Bíblia, de ter mais comunhão com Jesus? Você gostaria de exercitar uma fé sincera no Salvador Jesus Cristo?

Você gostaria de ter todos os privilégios dos 144.000 por todos os séculos infindáveis da eternidade? Você está se preparando mesmo? Você está vencendo? Você está sendo vitorioso? Você está abandonando o pecado, confessando o pecado e deixando isso de lado? Você está conseguindo vitórias?

Nós vamos ouvir uma mensagem cantada. E nesse momento em que o conjunto estiver cantando, eu quero chamar aos jovens, em 1º lugar os jovens; e gostaria de chamar os líderes da igreja, e gostaria de chamar a todos os irmãos e a todos que querem se batizar um dia para que numa entrega completa, numa nova aliança com Jesus Cristo, firmassem um propósito comigo, para estarmos preparados para aquele glorioso dia.

Eu quero firmar um propósito com você: Eu quero ser um dos 144.000, eu quero abraçá-lo naquele dia da volta de Jesus Cristo.

Pr. Roberto Biagini
Mestrado em Teologia
15/07/2009.

Comentários
  1. ENOCH diz:

    O documento que estar fazendo os evangelicos – protestantes – verem que os católicos estão certos e que eles, os protestantes, estão errados. Que nós somos os verdadeiros cristão e eles, os evangelicos, os usurpadores do cristianismo:

    DEUS É IDOLATRA?

    Não! Então, porque mandou que Moisés fizesse a imagem de uma serpente de bronze?

    “Moisés fez, pois, uma serpente de bronze, e fixou-a sobre um poste. Se alguém era mordido por uma serpente e olhava para a serpente de bronze, conservava a vida”. (Números 21, 4-9).

    “Como Moisés levantou a serpente no deserto. Assim deve ser levantado o Filho do Homem, para que todos que nele crer tenha a vida eterna”. (João 3, 14-21).

    Obs: Quem usa uma cruz vazia, sem Jesus Cristo nela, comete o erro de se negar a olhar para aquele a quem as Sagradas Escrituras falou que seria levantado, como o foi a serpente no deserto que todos olhavam para ser curado da mordida de cobra – picada – Olhe para Jesus na cruz, como os hebreus olhavam para a serpente de bronze que Moisés fez e fixou-a sobre o poste. Porque, a cruz vazia é apenas um instrumento de morte. Já a cruz com Jesus Cristo nela: é símbolo de nossa salvação. Pois, também está escrito: “Com efeito, a linguagem da cruz é loucura para os que se perdem, mas para os que estão sendo salvos, para nós, ela é poder de Deus. Pois, está escrito; eu destruirei a sabedoria dos sábios e aniquilarei a inteligência dos inteligentes”. (I Coríntios 1, 18-20).

    E mais tema dizer a bíblia, para maior entendimento da palavra de Deus?

    “Nós, porém, pregamos um Cristo crucificado, escândalo para os judeus, loucura para os pagãos, mas para os que são chamados, tanto judeus quanto gregos, ele é Cristo, poder de Deus e sabedoria de Deus”. (I coríntios 1, 23-24).

    E para dissipar toda e, qualquer duvida a respeito da cruz de Jesus Cristo a bíblia declara?

    “Eu, por mim, nunca vou querer outro titulo de gloria que não seja a cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, por ela, o mundo está crucificado para mim, como eu para o mundo”. (Gálatas 6, 14).

    Vemos claramente, na passagem do livro de Gálatas, que não pode haver outro titulo de gloria para aquele que segue a Jesus, que a cruz onde ele pode ser visto, como era vista a serpente de bronze, pelos hebreus.

    Os irmãos protestantes – que no Brasil são conhecido como, evangélicos – devem também lembrar que Deus mando que Moisés fizesse a imagem de dois anjos – querubins – para serem postas sobre a Arca da Aliança, onde estavam guardados Dez Mandamentos da Lei de Deus, como pode ser lido em Êxodos 25, 18. E, mais uma vez volto a perguntar? Deus é idolatra, por ter ordenado que Moisés fizesse a imagem de uma serpente para curar os hebreus da picada de cobras e por ter mandado que ele fizesse a imagem de dois querubins para serem colocadas sobre a Arca da Aliança? Por certo que não! Pois, quando Deus falou para o povo hebreu que não adorasse a ídolos e não fizesse para si, imagens deles, estava se referindo unicamente aos falsos deuses do Egito. Tanto é verdade que ele advertiu ao povo, avisado para que eles não construíssem para si, imagem daquilo que estava nas nuvens do céu – uma clara referencia aos desuses do Egito, em forma de pássaros – que não fizesse para si, imagens das coisas que caminhavam sobre a terra – os deuses do Egito em forma de cabras, bois, gatos e outros mais – que não fizessem para si, imagens das coisas que se moviam nas águas dos mares – os desuses do Egito em forma de crocodilo, de hipopótamo e outras coisas mais. Os falsos deuses do Egito, que vocês poderão ver, nas fotos abaixo:

    “Não farás para ti ídolos ou coisas alguma que tenha a forma de algo que se encontre no alto do céu…”. (êxodo 20, 4):

    O íbis é uma ave pernalta de bico longo e recurvado. Existe uma espécie negra e outra de plumagem castanha com reflexos dourados, mas era o íbis branco, ou íbis sagrado, que era considerado pelos egípcios como encarnação do deus Thoth.

    O deus nacional do Egito, o maior de todos os deuses, criador do universo e fonte de toda a vida, era o Sol, objeto de adoração em qualquer lugar. A sede de seu culto ficava em Heliópolis (On em egípcio), o mais antigo e próspero centro comercial do Baixo Egito. O deus-Sol é retratado pela arte egípcia sob muitas formas e denominações. Seu nome mais comum é Rá e podia ser representado por um falcão.

    “…embaixo na terra…”. (Êxodo 20, 4):

    Boi sagrado que os antigos egípcios consideravam como a expressão mais completa da divindade sob a forma animal e que encarnava, ao mesmo tempo, os deuses Osíris e Ptá. O culto do boi Ápis, em Mênfis, existia desde a I dinastia pelo menos. Também em Heliópolis e Hermópolis este animal era venerado desde tempos remotos. Antiga divindade agrária simbolizava a força vital da natureza e sua força geradora.

    Uma gata ou uma mulher com cabeça de gata simbolizava a deusa Bastet e representava os poderes benéficos do Sol. Seu centro de culto era Bubástis, cujo nome em egípcio – Per Bast – significa a casa de Bastet. Em seu templo naquela cidade a deusa-gata era adorada desde o Antigo Império e suas efígies eram bastante numerosas, existindo, hoje, muitos exemplares delas pelo mundo. Quando os reis líbios da XXII dinastia fizeram de Bubástis sua capital, por volta de 944 a.C., o culto da deusa tornou-se particularmente desenvolvido.

    “…ou nas águas debaixo da terra.”. (Ê xodó 20, 4):

    Um crocodilo ou um homem com cabeça de crocodilo representava o deus Sebek, uma divindade aliada do implacável deus Seth. Seu centro de culto era Crocodilópolis, na região do Faium, onde o animal era protegido, nutrido e domesticado. Um homem ferido ou morto por um crocodilo era considerado privilegiado. A adoração desse animal foi, sobretudo importante durante o Médio Império.

    Tueris era a deusa-hipopótamo que protegia as mulheres grávidas e os nascimentos. Ela assegurava fertilidade e partos sem perigo. Adorada em Tebas, é representada em inúmeras estátuas e estatuetas sob os traços de um hipopótamo fêmea erguido, com patas de leão, de mamas pendentes e costas terminadas por uma espécie de cauda de crocodilo. Além de amparar as crianças, Tueris também protegia qualquer pessoa de más influências durante o sono.

    E, para que não haja mesmo qualquer dúvida de que Deus se referia aos falsos deuses do Egito, ao pedir que o povo não praticasse idolatria, apresentamos um trecho do livro de Josué, que foi quem substitui Moises, após a sua morte:

    “Agora, pois, temei o Senhor e o servi-o com inteligência e fidelidade. Afastai os deuses aos quais vossos pais serviram do outro lado do rio e no Egito, e servi ao Senhor”. (Josué 24, 14”.

    E para termos mais certeza de que Deus realmente falava dos falsos deuses do Egito, vejamos o que também fala, 8, 8-9-10:

    “Filho do homem, disse-me ele, fura a muralha “ quando a furei, divisei uma porta. “Aproxima-te, diz ele, e contempla as horríveis abominações a que se entregam aqui”. Fui até ali para olhar: enxerguei aí toda espécie de imagens de répteis e animais imundos e, pinturas em volta da parede, todos os ídolos da casa de Israel”.

    Como podemos verificar, nessa passagem bíblica? Os sacerdotes estavam a adorar os falsos deuses em forma de répteis e animais, que Deus havia proibido que fossem adorados. Tanto é, que Deus enviou o castigo e destruiu os sacerdotes e os que praticavam aquela adoração abominável.

    Por sempre fazer livre interpretação das Sagradas Escrituras, os protestantes – evangélicos – sempre cometem erros abomináveis, grotescos e perigosos, contra o Evangelho de Cristo. Errais, não compreendendo as escrituras, nem o poder de Deus”. (Mateus 22, 29).

    “Porque sabei-o bem: nenhum dissoluto, ou impuro, ou avarento – verdadeiros idolatras – terá herança no Reino de Cristo e de Deus.”. (Efésios 5, 5).

    Obs. Dissoluto significa: devasso, corrupto e libertino.

    O VINHO

    Os protestantes – evangélicos – costumam afirmar que é proibido beber vinho, e correm dele, como o diabo, da cruz. Será que eles, os protestantes, nunca leram que Jesus bebia vinho? E que o seu primeiro milagre foi transformar água em vinho? E que na Santa Ceia, Jesus Usou vinho? Não venham me dizer agora, os protestantes – evangélicos – que não sabia dessas coisas. E que, não era do seu conhecimento que o vinho do tempo de Cristo embriagava, tal qual o vinho de hoje. Pois, como eles devem saber – se realmente se deram ao trabalho de ler a bíblia: – que Noé se embriagou, que Lot foi embriagado por suas duas filhas, que queriam engravidar dele, para deixar descendência sobre a terra, que Davi se embriagou e o próprio Jesus foi chamado de beberrão. Se Jesus aprovava o vinho e o bebia, porque então tem quem o chame de PROIBIDO? Porque você está proibido de beber vinho, se Jesus o bebia e a palavra de Deus diz que é proibido proibir?

    “Se em Cristo estais mortos aos princípios deste mundo, por que ainda voz deixais impor proibições, como se vivêsseis no mundo? Não pegues,! Não toqueis! Proibições estas que se tornam perniciosas pelo uso que dela se faz, e que não passam de normas e doutrinas humanas. Elas podem sem dúvida, dar a impressão de sabedoria enquanto exibem cultos voluntários, de humildade e austeridade corporal. Mas não tem nenhum valor, e só servem para satisfazer a carne”. (Colossenses 2, 20).

    Jesus na Santa Ceia tomou vinho. ( I Coríntios 11, 23-26).

    O primeiro milagre de Jesus foi transformar água em vinho. (João 2, 1-12).

    Como pudemos ver: na época de Noé e de Jesus, como até aos dias de hoje, o vinho sempre embriagou.

    “Noé, que era agricultor, plantou uma vinha. Tendo bebido vinho, embriagou-se”. (Gêneses 9, 20).

    “Não continue a beber só água, mas toma também um pouco de vinho, por causa do teu estômago e das tuas freqüentes indisposições”. (I Timóteo 5, 23).
    Uma recomendação bíblica que não pode ser deixada de lado, por se achar que é proibido beber vinho.

    JESUS TEVE IRMÃOS?

    É comum, entre os protestantes – evangélicos – afirmar que Jesus Cristo teve irmãos de sangue. Porém, Em nenhuma parte da bíblia se encontra escrito que Maria e José tiveram filhos – visto que Jesus era filho legitimo de Maria, mas, filho adotivo de José, pois fora concebido pelo Espírito Santo, pois não nasceu de homem – Em defesa da verdade e das Sagradas Escrituras, vamos mais uma vez usar a palavra de Deus, para mostrar que os apóstolos e os demais que seguiam a Jesus, jamais foram seus irmãos de sangue. Começaremos pelo apostolo Tiago, que os protestantes – evangélicos – e outros, teimam em afirmar ser irmão de sangue de Jesus:

    “Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que estava numa barca, consertando as redes”. (Marcos 1, 14-20).

    Como pudemos ver, através dos textos bíblicos: Os apóstolos Tiago e João eram irmãos e filhos de Zebedeu. Portanto, eles jamais poderiam ser filhos de Maria e de José.

    “Tu és Simão, filho de João, será chamado de Cefas (que quer dizer pedra)¨. (João 1,42)”.

    Se a bíblia é clara quando afirma que os apóstolos Tiago e João têm como pai, Zebedeu e o apostolo Pedro, tem como pai, a João, se torna impossível que eles sejam irmãos de sangue de Jesus. E quem assim acredita e prega, estará contradizendo as Sagradas Escrituras, a bíblia. Mas então, porque Jesus falou que eles eram seus irmãos? Lendo Hebreus 2, 10-13, podermos descobrir o porque dele ter falado isto:

    “Aquele para quem e por quem todas as coisas existem, desejando conduzir à gloria numerosos filhos, deliberou elevar à perfeição, pelo sofrimento, o autor da salvação deles, para que santificador e santificados formem um só todo. Por isso Jesus não hesita em chamá-los de irmãos, dizendo: anunciarei teu nome a meus irmãos no meio da assembléia cantarei os teus louvores”. (Salmo 21,23).

    E outra vez: “Quanto a mim, ponho nela a minha confiança”. (Isaias 8,17). E: “Eis-me aqui, eu e os filhos que Deus me deu”. (Isaias 8, 18).

    O ARREBATAMENTO

    Os protestantes – evangélicos – costumam pregar que o arrebatamento acontecerá antes da vinda de Nosso Senhor Jesus Cristo, o que é um engano, mais um ensinamento protestante, que não consta das Sagradas Escrituras. Vejamos o que diz a bíblia, a respeito do arrebatamento e como e, quando ele se dará:

    “Não queremos, irmãos, deixar-vos na ignorância a respeito dos mortos, para que não vos entristeçais como os outros que não têm esperança. Se, com efeito, nós cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também, aqueles que morreram, Deus, por causa deste Jesus, com Jesus os reunirá. Eis o que dizemos, segundo uma palavra do Senhor: nós os vivos, que houvermos ficado até a vinda do Senhor, não precederemos de modo nenhum os que morreram. Porque o Senhor em pessoa, ao sinal dado, à voz do arcanjo e ao toque da trombeta de Deus, descerá do céu: então os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; em seguida nós, os vivos que tivermos ficado, seremos arrebatados com eles sobre as nuvens, ao encontro do Senhor, nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, confortais-vos uns aos outros com este ensinamento.” (I Tessalonicenses 4, 13-18).

  2. alex diz:

    estude a biblia para dizer que os católicos wstão corretos

  3. CARLOS MAGNO SILVA DE MENDONÇA diz:

    VOCÊS RELIGIOSOS SÃO TODOS IGNORANTES, VIVEM SUAS SEITAS E GUERREANDO UNS CONTRA OS OUTROS E DIZEM SEREM CRISTÂOS, COMO PODE, SE CRISTO ENSINOU A PAZ E DISSE PARA AMAREM O SEU PROXIMO, TODOS VOCÊS SÃO HIPOCRITAS E NÃO SÃO CRISTÃOS, BRIGAM POR CAUSA DE COSTUMES E DE TRADIÇÕES, A APALAVRA SABADO NO SEU SENTIDO ETIMOLOGICO QUER DIZER DESCANSO ENTÃO O SABADO O DIA DE ADORAR A DEUS É TODO DIA , VOCÊS SÃO IGUAIS AOS ISLAMITAS QUE VIVEM EM GUERRA POR CAUSA DO FANATISMO. AMENM-SE UNS AOS OUTROS E AO SENHOR DE TODO O TEU CORAÇÃO. DILIGES PROXIMUM TUUM SICUT TE IPSUN.

  4. Willian diz:

    Será que os exegetas católicos aceitariam se eu afirmasse que José já era quase idoso, e que após a sua morte Maria teria se casado novamente (com Zebedeu) e voltaria a ter filhos? Acho que não. A verdade dói. Quanto a serpente e aos querubins, Deus de fato mandou, mas em nenhum lugar Ele mandou que esses objetos fossem cultuados como os católicos fazem hoje. a propósito, o que significa aquela serpente? e na tipologia antropapotética da bíblia, o que significa aqueles querubins? Se nós evangélicos precisamos estudar, então me ensine.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s