Igreja dos Mórmons

Posted: 12 de Junho de 2010 by mundomaranatha in Compreendendo as igrejas
Tags:

Tirado do livro: A ilusão Mórmom (feito pela igreja Batista)

https://i2.wp.com/www.igrejadejesuscristo.org/wp-content/uploads/2008/07/missionarios_mormons.jpg

Eu criei esse post em resposta a uma pergunta feita por uma de nossas leitoras. Ela comentou no post


🙂 Sou de A Igreja de Jesus Cristo Dos Santos dos Ultimos Dias !
Queria deixar claro !!!
Cremos em DEUS,o Pai Eterno, e em Seu Filho JESUS CRISTO e no ESPIRITO SANTO (Deveria observar o nome da igreja não?” )Cremos ser a Biblia a palavra de Deus, desde que esteja traduzida corretamente ;também cremos ser O Livro de Mórmon a palavra de DEUS eu SEI que essas coisas são verdadeiras .Mais você heiim ?! Tudo bem…não discuto religião só apenas queria esclarecer algumas coisas, se pudesse esclarecia todas aqui porque muitos desconhecem , mas Damos a você o privilégio de adorar como, onde ou que desejar !!!
Não julga para não ser julgado …Acredito que a maneira que deveria usar para as pessoas acreditarem na verdade não seria essa de julgar outras religiões e se sair bem na sua, e sim por meio da Oração (comunicação reverente com Deus durante a qual a pessoa agradece e pede …) Mesmo não o conhecendo orarei por você porque o Pai Celestial me ensinou a Amar o meu próximo assim como Ele ama …

É justo, é cristão examinar José Smith e questionar o mormonismo?

Tive de responder a esta pergunta e orar a esse respeito antes de escrever este livro. Segundo a luz que Deus me deu por Sua Palavra, creio que o que se segue foi o que Ele me mostrou.

Todo homem tem o direito, dado por Deus, de crer como bem lhe apraz. Os norte-americanos reconhecem esse direito divino. Por livre escolha, podemos ser cristãos ou pagãos, ateus ou crentes, budistas ou maometanos, batistas, mórmons ou católicos. Graças a Deus por esta preciosa liberdade. É Deus, e não o homem, que nos faz responsáveis pelas conseqüências dessa escolha.

A autoridade do amor

Um dos principais emblemas do cristão verdadeiro é o amor. João 13:35 diz: “Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros.” Uns crêem que isto significa que jamais devemos criticar a religião do nosso próximo. “Atacar a religião do nosso próximo. “Atacar a religião dos outros não é amor” – dizem. Esta afirmativa seria verdadeira se antes não examinássemos nossa própria religião e não a comparássemos com o padrão de Deus, a Bíblia.

Outra reação dos que questionam nossa autoridade de testemunhar podia ser: “Não julgueis para que não sejais julgados” (Mateus 7:1). Segundo Mateus 7:5, este versículo é dirigido aos hipócritas. Por outro lado, João 7:24 diz aos crentes que “Não julgueis segundo a aparência, e, sim, pela reta justiça”; não segundo a aparência, mas segundo a Palavra de Deus.

É trágico que hoje em dia alguns de nós, os crentes, temos, em nome do amor, retido a verdade aos que estão no erro, por não querermos ofendê-los ou por não amá-los o suficiente. Lembre-se de que o amor verdadeiro previne.

É verdade que não devemos dar importância demasiada `as coisas mínimas. Pode ser desnecessário dizer ao próximo que ele possui mau hálito ou que uma telha de sua casa está solta. Entretanto, se ele estiver dormindo e a casa pegar fogo, é crime não acordá-lo. Desculpa alguma e nenhuma declaração vazia de amor jamais satisfarão `a Deus em tais casos.

A autoridade da defesa

Como é que tudo isto se relaciona com a pergunta: É justo, é cristão examinar José Smith e questionar o mormonismo?” É justo porque José Smith atacou todos os cristãos e suas igrejas primeiro. José Smith declarou em seu livro “inspirado” Pérola de Grande Valor, que todas as outras igrejas estavam erradas, que todos os credos eram uma abominação e que todos os mestres eram corruptos.

De um só golpe José Smith condena todas as igrejas, todas as crenças e todos os cristãos. Claramente diz que não havia um só cristão verdadeiro na face da terra ao tempo em que recebeu sua primeira visão, e que não tinha havido por centenas de anos.

Alguns líderes mórmons têm-nos desafiado a examinar O Livro de Mórmon, que, naturalmente, deve incluir seu autor e seus seguidores. Orson Pratt, apóstolo mórmon, disse:

“Este livro deve ser verdadeiro ou falso… Se for falso, é uma das imposições mais espertas, malignas, audazes e profundas, feitas ao mundo com o propósito de enganar e arruinar milhões que a receberão sinceramente como a Palavra de Deus, e pensarão estar seguramente edificados sobre a rocha da verdade até que, com suas famílias, sejam lançados no desespero total. A natureza de mensagem de O Livro de Mórmon é tal que, se verdadeira, ninguém poderá rejeitá-la e ainda salvar-se; se falsa, ninguém poderá recebê-la e salvar-se. Portanto, cada alma no mundo tem interesse igual tanto na determinação de sua verdade como de sua falsidade… Se, depois de um exame minucioso descobrir que é uma imposição, deve ele ser exposto ao mundo como tal; as provas e argumentos pelos quais a falsidade foi detectada devem ser, clara e logicamente afirmados para que os que foram enganados, embora de boa mente, percebam a natureza do engano e sejam restaurados, e que os que continuam a publicar a ilusão sejam expostos e silenciados…mediante provas aduzidas das Escrituras e da razão.”1

Concordamos plenamente! É cristão examinar José Smith e questionar o mormonismo, porque se nos mandou fazê-lo, tanto para nosso próprio bem como para o bem de todos os mórmons.

Examinar José Smith é cristão e racional pois diz ele ser profeta de Deus e diz-nos a Bíblia “pelos frutos os conhecereis.” O Livro de Mórmon, A Pérola de Grande Valor, Doutrina e Convênios, o mormonism e o movimento inteiro dos mórmons giram em torno desta questão básica: “É José Smith verdadeiramente um profeta de Deus?”

Perguntamos: se hoje um adolescente tivesse uma visão que lhe revelasse que todos os mórmons eram apóstatas e corruptos; que seus credos eram uma abominação a Deus, os mórmons receberiam sua história, sem provas, tão rapidamente quanto aceitaram a visão de José Smith? Por que não?

Com a ajuda de Deus procuraremos examinar justa e honestamente José Smith e alguns de seus ensinos, pois as Escrituras e o amor de Cristo a tanto nos constrangem. Deus ama a mórmons e a não-mórmons. Cristo morreu por todos nós. Perante Deus todos somos iguais – simples pecadores que precisam de um Salvador. Nesse sentido, estamos todos no mesmo pé. Precisamos fazer distinção clara e positiva entre mórmons e mormonismo. Oramos para que Deus nos dê um coração contrito e nos encha com seu amor pelos mórmons, e pensamos que isto ele já fez. Deus, e talvez os outros, possam julgar tal fato melhor do que nós. Mas amar o povo mórmon é uma coisa muito diferente que amar o mormonismo; assim como Deus pode amar o pecador, mas não o pecado. Por favor, tenha em mente essa distinção ao examinar a reivindicação de José Smith e do mormonismo.

Nota

1 Orson Pratt, Divine Authority of the Book of Mormon (Autoridade divina do Livro de Mórmon) introdução, uma série de panfletos publicados em 1850-51. Citado por Arthur Budvarson em, The Book of Mormon – True or False? (O Livro de Mórmon – falso ou verdadeiro?) – Concord, California, Pacific Pub. Co., 1959.

Muitos que lêem este livro poderão perguntar: Onde os mórmons conseguiram idéias tão diferentes acerca de Deus e de Cristo? Qual é a fonte de sua doutrina? Onde sua igreja realmente se originou? Qual é o fundamento sobre o qual se firmam suas crenças?

De maneira muito breve, os mórmons ensinam que o verdadeiro evangelho desapareceu da terra logo depois da era da igreja apostólica. Crêem que todas as igrejas de então se tornaram falsas, e que não tinham autoridade dada por Deus. Todos os cristãos professos, durante centenas de anos eram corruptos, falsos, apóstatas. Então Deus restaurou o verdadeiro evangelho e sua autoridade original mediante um jovem chamado José Smith. Um anjo apareceu, em visão, ao jovem José e depois levou-o a algumas placas de ouro escondidas perto de Palmyra, no estado de Nova lorque. Destas placas, Deus fez com que José Smith fosse capaz de produzir O Livro de Mórmon, o primeiro livro inspirado, o fundamento do mormonismo.

Uma vez que José Smith declarou que todas as igrejas, sem exceção, são falsas e todos os seus membros são corruptos, parece-nos justo contestá-lo. Se José foi um verdadeiro profeta de Deus, então a Primeira Visão devia ser clara e indiscutível, pois Deus não é autor de confusão. Mas, ouçamos as próprias fontes mórmons quanto à importância desta Primeira Visão.

Primeira Visão de 1820

David O. McKay, apóstolo e líder mórmon declarou: “A aparição do Pai e do Filho a José Smith é o fundamento desta igreja.”1

O apóstolo mórmon John A. Widtsoe disse: “A Primeira Visão, de 1820, é de importância vital à história de José Smith. Sobre sua realidade descansam a verdade e o valor de seu trabalho subseqüente.”2

Obviamente, a integridade de José Smith e a verdade do mormonismo estão em jogo. Se a Primeira Visão for o fundamento sobre o qual se firma o mormonismo, examinemos, em atitude de oração e mui cuidadosamente, esse fundamento.

A igreja mórmon diz que José Smith teve uma visão em 1820, quando era um mocinho de 14 anos de idade. Esta visão aconteceu na “manhã de um lindo e claro dia, nos primeiros dias da primavera de 1820”. José Smith tinha ido aos bosques orar a fim de saber “qual de todas as seitas era a verdadeira”. Enquanto orava, viu dois personagens pairando acima dele no ar. Um dos personagens apontou ao outro e disse: “Este é o meu Filho Amado. Ouve-o.” Então um dos personagens, aos quais José Smith identifica como o Pai e o Filho, disse-lhe que todas as igrejas estavam erradas.

É estranho que não se mencione esta visão nos registros mais antigos da igreja mórmon e a Improvement Era (Era da Melhoria), admite: “O relato oficial” de José Smith de sua primeira visão e das visitas do anjo Moroni foi … publicado pela primeira visão em Times and Seasons (Tempos e Estações) em 1842.”3 Isto, 22 anos depois do que se supõe ter o evento acontecido. Mesmo assim a primeira visão é vista como o fundamento da igreja mórmon que começou em 1830! O Livro de Mórmon foi publicado em 1830 também. Por que José Smith não deu um relato oficial da visão antes de 1842?

Por anos, os mórmons declararam enfaticamente: “José Smith viveu pouco mais de 24 anos depois desta primeira visão. Durante esse tempo ele contou somente uma hostória!”4 Isto, é claro, não é verdade. Jerald e Sandra Tanner, no seu panfleto, The First Vision Examined (Exame da Primeira Visão), mostraram que existiam na igreja mórmon duas versões, além da versão oficial de Smith, mas não foram publicadas até que Paul Cheesmand, aluno da Universidade Brigham Young as expôs em 1965.

Outro relato da primeira visão veio à luz por intermédio de James B. Allen, professor assistente de História na UBY, em 1966, depois dos mórmons, por vários anos, negarem a existência de outras versões! Estas versões contêm discrepâncias importantes da versão oficial. Para uma explicação detalhada e erudita, veja o panfleto de Tanner, The First Vision Examined.

Até Brigham Young, que teve 363 de seus sermões registrados no Journal of Discourses (Diário de Discursos), como profeta “inspirado” sucessor de José Smith, não menciona a Primeira Visão. O bibliotecário mórmon Lauritz G. Petersen,numa carta datada de 31 de agosto de 1959, escreveu: “Tenho examinado o Journal of Discourses (Diário de Discursos) que registra muitos do sermões de Brigham Young. Nada há ali por Brigham Young sobre a primeira visão de José Smith.”5

É bastante estranho que Oliver Cowdery, o primeiro historiador mórmon (segundo Doctrines of Salvation (Doutrinas da Salvação), volume 2, página 201), nem mesmo se refira à Primeira Visão. Cowdery foi uma das três testemunhas principais de O Livro de Mórmon. Earl E. Olsen, bibliotecário mórmon, da Igreja dos Santos dos Últimos Dias, escreveu numa carta de 24 de março de 1958: “Nos registros que temos em arquivo dos escritos de Oliver Cowdery e John Whitmer, tais como são, não encontramos referência à Primeira Visão.”6

Primeira Visão de 1823

Entretanto, foi descoberto que Oliver Cowdery, auxiliado pelo próprio José Smith, publicou um relato da Primeira Visão no Messenger and Advocate (Mensageiro e Advogado), em setembro de 1834, e em fevereiro de 1835, diferindo em pontos importantes da “versão oficial” publicada mais tarde, em 1842. Na verdade, os primeiros relatos da igreja mórmon referentes à Primeira Visão de José Smith diziam que ele tinha 17 anos, e não 14.

(Bons amigos mórmons, honestamente embasbacados com as aparentes contradições e confusões que vamos apresentar, disseram-nos que tínhamos confundido a Primeira Visão de José Smith com outra visão ou visões que ele teve. Simpatizamos com a dor de coração que sentem pelo que os seguintes fatos revelarão. Entretanto, lemos muitas das visões de José Smith e estamos muito bem cônscios delas, como muitos outros estudiosos do mormonismo o estão. O próprio José Smith e outras autoridades mórmons declararam claramente que a visão que estamos discutindo foi a primeira. Devemos encarar a realidade, com gentileza mas firmemente.)

Orville Spencer, preeminente mórmon do começo da igreja, escreveu uma carta de Nauvoo, no estado de Illinois, em 1842, dizendo: “José Smith, ao ter as primeiras manifestações dos grandes desígnios dos céus, não estava longe da idade de dezessete anos.” 7

Ora isto está de acordo com o relato da idade de Smith, 17 anos em 1823, ao serem dados os primeiros relatos da visão, como prova o Messenger and Advocate, vol.1, páginas 78,79, referindo-se a um reavivamento que diz ter sido realizado em Palmyra e nos seus arredores no estado de Nova Iorque, mais ou menos na época da visão de José Smith. Enquanto esta excitação continuava, ele continuava a clamar ao Senhor em secreto por uma manifestação plena da aprovação divina e, para ele, a informação de grande importância, se um Ser Supremo existia, que tivesse a certeza de ser aceito por ele… Na noite do dia 21 de setembro de 1823, nosso irmão, antes de ir para o quarto, tinha a mente completamente envolvida com o assunto que por tanto tempo o havia agitado — seu coração fazia oração fervorosa … enquanto continuava orando por uma manifestação, de alguma maneira, de que seus pecados haviam sido perdoados; esforçando-se para exercitar fé nas Escrituras, de repente uma luz como a do dia, só que de uma aparência e brilho mais puros e gloriosos, invadiu o quarto … e num momento um personagem apareceu perante ele … ouviu-o declarar ser o mensageiro enviado por mandamento do Senhor, para entregar uma mensagem especial e testemunhar-lhe que seus pecados estavam perdoados.”8

Notem, por favor, que esta é uma fonte mórmon, e um relato oficial mórmon admitindo que José Smith, aos 17 anos de idade em 1823, nem mesmo sabia se existiam ou não um Ser Supremo, embora mórmons posteriores digam que ele teve uma visão do Pai e do Filho, em 1820, aos 14 anos de idade!

De fato, o líder e apóstolo mórmon David O. McKay declarou que esta Primeira Visão, que José Smith declarava ter 14 anos, era o fundamento da igreja mórmon! Por que, então José Smith nem mesmo sabia da existência de um Ser Supremo, em 1823, aos 17 anos de idade?

Primeira Visão e Anjos

Além disso, no Deseret News (Notícias Deseret), de 29 de maio de 1852, cita-se José Smith dizendo: “Recebi a primeira visitação dos anjos quando tinha cerca de quatorze anos de idade.” Isto mostra outra discrepância de muitas fontes mórmons. Os relatos mais antigos da visão dizem que um anjo apareceu a José Smith, não o Pai e o Filho.

Afirmou o apóstolo Orson Pratt: “Logo um indivíduo obscuro, um jovem, levantou-se, e no meio de toda a cristandade, proclamou as novas espantosas de que Deus lhe havia enviado um anjo… isto ocorreu antes de este jovem ter 15 anos de idade.”9 Isto obviamente se refere à Primeira Visão de Smith.

John Taylor, o terceiro presidente da igreja mórmon, afirmou: “Como é que se originou este estado de coisas chamado mormonismo? Lemos que um anjo desceu do céu e revelou-se a José Smith e manifestou-lhe, em visão, a verdadeira posição do mundo do ponto de vista religioso.”10

A despeito da evidência irrefutável dos próprios apóstolos mórmons, a história da Primeira Visão cresceu e foi mudada até chegar `a versão de hoje: que José Smith viu o pai e o Filho. Segundo a versão atual, em 1820, quando tinha quatorze anos de idade, José Smith viu uma coluna de luz. “Logo após esse aparecimento, senti-me livre do inimigo que havia me sujeitado. Quando a luz repousou sobre mim, vi dois Personagens, cujo resplendor e glória desafiam qualquer descrição, em pé, acima de mim, no ar. Um Deles me falou, chamando-me pelo nome e disse, apontando para o outro : Este é o meu Filho Amado. Ouve-O.”11

Nem José Smith, nem os apóstolos inspirados dos mórmons que o citaram estão de acordo com a história original acerca do ano, da idade de José nem do conteúdo da visão.

A Primeira Visão e o Sacerdócio

O próprio José Smith deu prova positiva de que ele não viu o Pai e o Filho em 1820. Em 1832 José Smith disse ter uma revelação de Deus na qual afirmava que o homem não pode ver à Deus sem o sacerdócio. Mas como o próprio José Smith admitiu, ele não era sacerdote em 1820, nem reivindicou para si mesmo esse ofício até os princípios de 1830!12

A revelação de José Smith, de 1832, concernente ao sacerdócio está registrada na seção 84 de Doutrinas e Convênios, versículos 21,22: E sem as suas ordenanças, e a autoridade do sacerdócio, o poder de divindade, não se manifesta aos homens na carne; Pois, sem isto nenhum homem pode ver o rosto de Deus, o Pai, e viver.”

O apóstolo mórmon Parley P. Pratt declarou: “A verdade é esta: sem o sacerdócio de Melquisedeque, `homem algum pode ver à Deus e viver!”13 José Smith não era sacerdote em 1820. Se sua revelação de que homem algum pode ver a Deus sem o sacerdócio fosse verdadeira, então José Smith jamais havia visto à Deus e sua alegação em 1842 de que em 1820 fosse verdadeira, então sua revelação em 1832 que homem algum poderia ver à Deus sem o sacerdócio era falsa. De qualquer forma isto mostraria que José Smith não era o profeta de Deus que algumas pessoas pensavam que fosse.

Moroni ou Nefi

Outro problema digno de menção relacionado com isto é que o anjo que disse ter aparecido a José Smith é quase sempre chamado de Moroni, tanto por José Smith como por outros escritores mórmons. Entretanto, na primeira edição de 1851 de Pérola de Grande Valor, página 41, o nome do anjo era Nefi e não Moroni. Mais provas acerca disto podem ser encontradas em Times and Seasons (Tempos e Estações), volume 3, páginas 479 e 753, e nos escritos da mãe de José, Lucy Mack Smith, em seus Esboços Biográficos (Biographical Sketches) de 1853.

Em Resumo

Parece estar em ordem algumas observações acerca de José Smith e da Primeira Visão. David O McKay, ex-presidente e inspirado apóstolo mórmon, declarou ser a Primeira Visão o fundamento da igreja mórmon. Sobre isto descansa finalmente toda a autoridade que os mórmons dizem ter.

Perguntamos: por que tantos líderes, apóstolos, presidentes e escritores mórmons andam tão confusos acerca do que José Smith viu ou não viu? Por que o próprio José Smith fez vários relatos totalmente irreconciliáveis da Primeira Visão? Por que a versão de José Smith e a versão oficial dos mórmons não saiu até 1842 se esta visão é tão importante para o mormonismo? A igreja começou em 1830, e O Livro de Mórmon foi publicado em 1830, mas a visão de 1820, sobre a qual a igreja foi fundada, não foi dada oficialmente até 1842!

Por que temos “revelações” contraditórias dadas por Deus ao seu apóstolo inspirado? Deus nunca se contradiz. Quando qualquer palavra ou revelação é contraditória não pode ser de Deus. José Smith realmente teve uma visão? Se assim foi, quando? Com que idade? O que ele viu realmente? Foi um anjo bom ou um anjo mau, se teve uma visão? Foi um espírito de Deus ou um dos espíritos de Satanás que lhe apareceu como um anjo de luz? “E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras” (2 Coríntios 11:14, 15).

Pense novamente nas contradições do tempo da visão, da idade de José Smith, e do conteúdo da visão. Pense acerca da revelação que José Smith teve em 1832 que só os que foram ordenados ao sacerdócio poderiam ver a Deus e viver, mas dizia-se que ele havia visto `a Deus em 1820, muitos anos antes de ter sido feito sacerdote por seu própio testemunho. 1 Coríntios 14:33 diz: “Porque Deus não é de confusão; e, sim, de paz. Como em todas as igrejas dos santos.”

Não conforta nada saber que muitos cultos começaram com uma visão–ou alegações de uma visão ou por não crerem na Palavra de Deus, ou por não crerem que ela fosse suficiente. Deus, portanto, enviou-lhes “a operação do erro” para que cressem na mentira (veja 2 Tessalonicenses 2:10-12).

Finalmente, os mórmons precisam examinar seriamente Gálatas 1:8: “Mas, ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema.”

Se esta Primeira Visão for o fundamento, vejamos o que José Smith sobre ele construiu.


Notas

1 David O. McKay, Gospel Ideals (Ideais do evangelho) – (Salt Lake City: The Church of Jesus Christ of Latter-Day Saints, 1953), página 85.

2 John A. Widtsoe, Joseph Smith – Seeker After Truth (Joseph Smith – buscador da verdade) – (Salt Lake City: Deseret Book Co., 1951), página 19.

3 Improvement Era (Era da Melhoria), julho de 1961, página 490. (Periódico mensal publicado pela igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.)

4 Joseph Smith, The Prophet (Joseph Smith, o profeta) – 1944, página 30. Citado por Jerald e Sandra Tanner em The First Vision Examinded (Exame da primeira visão) – Salt Lake City: Modern Microfilm Co., 1969 – página 2.

5 Jerald Tanner, Mormonism: A Study of Mormon History and Doctrine (Mormonismo: Estudo da história e doutrina mórmons) – (Clearfield, Utah: Utah Evangel Press, 1962), página 79.

6 Tanner, Mormonism, página 8.

7 Millenial Star (Estrela Milenar), vol. 4, página 37.

8 Messenger and Advocate (Mensageiro e advogado), vol. 1, pp. 78,79. Citado por Tanner em The First Vision Examined (Salt Lake City: Modern Microfilm co., 1969), p. 15.

9 Journal of Discourses (Diário de discursos) – Liverpool, England : F.D. e S. W. Richards, Pub., 1854. Edição reimpressa, Salt Lake City, 1966), vol. 13, pp. 65,66. O Journal of Discourses é uma coleção de sermões por Brigham young, Orson Pratt, Heber Kimball e outros de 1854 a 1886.

10 Journal of Discourses, vol. 10, p. 127.

11 Joseph Smith, Pérola de Grande Valor – (Salt Lake City: A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1958), p. 48, #17. (Na edição brasileira, de 1967, p. 56, #17.)

12 Bruce R. McConkie, ed. Doctrines of Salvation (Doutrinas da salvação) – (Salt Lake City: Bookcraft, Inc., 1954), vol. 1, p. 4.

13 Parley P. Pratt. Writings of Parley P. Pratt (Escritos de Parley P. Pratt) p. 306. Citado por Jerald e Sandra Tanner em Mormonism, Shadow or Reality (Mormonismo – sombra ou realidade) – (Salt Lake City: Modern Microfilm Co., 1972), p. 144.

1. A Bíblia diz que há somente um Deus que criou todos os universos, planetas e mundos. José Smith e outros líderes mórmons ensinam que há muitos deuses. Em quem você acredita?

A Bíblia

Antes de mim Deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá” (Isaías 43:10).

“Há outro Deus além de mim? Não, não há outra Rocha que eu conheça” (Isaías 44:8).

Escritores Mórmons

“E os Deuses ordenaram, dizendo: Que as águas debaixo do céu sejam ajuntadas em um lugar, e apareça a terra seca; e assim foi, como eles ordenaram; e os Deuses chamaram à porção seca, terra; e ao ajuntamento das águas eles chamaram as grandes águas; e os Deuses viram que eles eram obedecidos” (José Smith, Pérola de Grande Valor, Abraão 4:9, 10).

“Se tomássemos um milhão de mundos como este e contássemos todas as suas partículas, descobriríamos que existem mais Deuses do que as partículas de matéria nesses mundos” (Orson Pratt, Journal of Discourses, vol. 2; publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1854; edição reimpressa, Salt Lake City, Utah, 1966, p. 345).

Comentário

Obviamente, Deus declara que jamais existiu, não existe e jamais existirá outro Deus neste ou em qualquer outro mundo, neste ou em qualquer outro planeta.

Para mais informações veja o capítulo 7 deste livro: “A Falha Fatal”.

2. A Bíblia ensina que Deus jamais teve uma origem como homem, que sempre foi Deus desde a eternidade passada. A Bíblia também ensina que jamais haverá nenhum outro Deus. O mormonismo ensina que Deus uma vez já foi homem antes de se tornar Deus. O mormonismo também ensina que os homens, algum dia, podem tornar-se Deuses. Em quem você acredita?

A Bíblia

“De eternidade a eternidade, tu és Deus” (Salmo 90:2).

“Porque Eu sou Deus e não homem” (Oséias 11:9).

“Eu sou o primeiro, e Eu sou o último, e além de mim não há Deus” (Isaías 44:6).

“Antes de mim Deus nenhum se formou, e depois de mim nenhum haverá” (Isaías 43:10).

Escritores Mórmons

“O próprio Deus já foi como nós somos agora e é um homem exaltado, e senta-se no trono lá nos céus!” (Joseph Smith, Ensinos do Profeta José Smith; publicado por Deseret Book Co., Salt Lake City, 1969, p. 345).

“Lembrai-vos de que Deus, nosso Pai Celestial, já uma vez talvez tivesse sido uma criança, e mortal como nós somos e se elevou um passo na escala do progresso, na escola do adiantamento” (Orson Hyde, Journal of Discourses, vol. 1, p. 123; publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1854; edição reimpressa, Salt Lake City, Utah, 1966).

“O Senhor criou a ti e a mim para o propósito de nos tornarmos Deuses como ele próprio” (Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 3, p. 93).

“Como é o homem, Deus uma vez já foi; como Deus é, o homem poder ser” (Lorenzo Snow, ex-presidente da Igreja Mórmon, Millenial Star, vol. 54; também Milton R. Hunter, The Gospel Through the Ages, pp. 105, 106).

Comentário

De acordo com a Bíblia, Deus jamais progrediu até ser Deus; Ele sempre foi Deus. Está claro que o homem não existiu antes de Deus. Claro também está que, visto como Deus declara que jamais haverá nenhum outro Deus, os homens nunca se tornarão deuses.

Para informações adicionais veja neste livro o capítulo 8: A Verdade acerca do “Deus-Adão”, e capítulo 9: Contradições concernentes à Pessoa de Deus.

3. A Bíblia ensina que Jesus Cristo sempre foi Deus. O mormonismo ensina que houve um tempo em que Jesus não foi Deus. Em quem você crê?

A Bíblia

“E tu, Belém Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Miquéias 5:2).

“No princípio era o Verbo de [Jesus], e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus” (João 1:1).

“Antes que Abraão existisse, eu sou” (João 8:58).

Escritores Mórmons

“Cristo, o Verbo, o Unigênito, já tinha, é claro, atingido o status da Divindade ainda quando vivia na preexistência” (livrete, What the Mormons Think of Christ — O Que Os Mórmons Pensam de Cristo — ; publicado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, p. 36).

“Jesus tornou-se um Deus e chegou ao seu grande estado de compreensão mediante esforço consistente e obediência contínua a todas as verdades do evangelho e às leis universais” (Milton R. Hunter, The Gospel Through the Ages; Deseret Book Co., Salt Lake City, 1945, p. 51).

Comentário

Deus foi Deus desde o princípio como também Jesus Cristo o foi desde o princípio, desde todo o tempo. Jesus Cristo sempre foi Deus e é Deus. Jesus disse a Filipe, em João 14:9: “Quem me vê a mim, vê o Pai.”

Para mais informações veja neste livro o capítulo 7: “A Falha Fatal”, sob o subtítulo, O Cristo.

4. Deuteronômio 18:20-22 diz que o teste de Deus para o profeta inclui uma exatidão de 100% no cumprimento de suas profecias, ou então o profeta é falso. Muitas das profecias de José Smith jamais foram cumpridas. De acordo com o teste bíblico, foi José Smith um profeta verdadeiro ou um profeta falso?

A Bíblia

“Porém o profeta que presumir de falar alguma palavra em meu nome, que eu lhe não mandei falar, ou o que falar em nome de outros deuses, esse profeta será morto. Se disseres no teu coração: Como conhecerei a palavra que o Senhor não falou? Sabe que quando esse profeta falar, em nome do Senhor, e a palavra dele não se cumprir nem suceder, como profetizou, esta é palavra que o Senhor não disse; com soberba a falou o tal profeta: não tenhas temor dele” (Deuteronômio 18:20-22).

Escritores Mórmons

Profecia proferida por José Smith em setembro de 1832: A Nova Jerusalém e seu Templo devem ser construídas no estado de Missouri nesta geração (José Smith, Doutrina e Convênios 84:1-5).

“Os Santos dos Últimos Dias esperam ver o cumprimento dessa profecia durante a geração que existia em 1832 assim como esperam que o sol nasça e se ponha amanhã. Por quê? Porque Deus não pode mentir. Ele cumprirá todas as suas promessas” (Apóstolo Orson Pratt, Journal of Discourses, vol. 9; publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1854; edição, reimpressa Salt Lake City, 1966, p.71).

Esta profecia não se cumpriu, portanto é falsa. Profecia dada por José Smith entre 1831 e 1844:

A Casa Nauvoo a ser construída deve pertencer à familia Smith para sempre (José Smith, Doutrina e Convênios 124:56-60). Smith foi morto em 1844 e os mórmons foram expulsos de Nauvoo. A casa já não pertence à família Smith. A profecia era falsa.

Profecia de José Smith: “A vinda do Senhor que estava perto…até mesmo em 56 anos tudo deve terminar” (José Smith, História da Igreja, vol. 2, p. 182; publicado por Deseret News Publishers, Salt Lake City, 1902-1912). Esta profecia era falsa.

Comentário

José Smith não passa no teste de Deus para o profeta verdadeiro. Ele não foi profeta de Deus.

Para mais informações veja neste livro o capítulo 3: “José Smith — Profeta de Deus?”

5. A Bíblia diz que Cristo foi gerado pelo Espírito Santo. O profeta mórmon, Brigham Young, disse que Cristo não foi gerado do Espírito Santo. Em quem você acredita?

A Bíblia

“Porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo” (Mateus 1:20).

“Descerá sobre ti o Espírito Santo…por isso também o ente santo que há de nascer, será chamado Filho de Deus” (Lucas 1:35).

Escritores Mórmons

“O menino Jesus…não foi gerado do Espírito Santo” (Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 1; publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1854; edição reimpressa, Salt Lake City, Utah, 1966, pp. 50, 51).

Comentário

O profeta verdadeiro de Deus entraria em contradição com a Palavra de Deus?

Para mais informações veja neste livro o capítulo 7: “A Falha Fatal”.

6. A Bíblia ensina que Deus criou Adão e deu-lhe vida. Brigham Young ensinou que Adão “é nosso Pai e nosso Deus e o único Deus com quem devemos lidar”. Em quem você crê?

A Bíblia

“Então formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra, e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida e o homem passou a ser alma vivente” (Gênesis 2:7). “Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva” (1 Timóteo 2:13).

Escritores Mórmons

“Quando nosso pai Adão chegou ao jardim do Éden, veio com um corpo celestial e trouxe Eva, uma de suas esposas, consigo. Ele ajudou a formar e organizar este mundo. Ele é Miguel, o Arcanjo, o Ancião de Dias! Acerca de quem santos homens têm escrito e falado. Ele [Adão] é nosso Pai e nosso Deus e o único Deus com quem devemos lidar” (Brigham Young, Journal of Discourses; vol. 1; publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1854; edição reimpressa, Salt Lake City, Utah, 1966, p. 50).

Comentário

Negar a doutrina do Deus-Adão é admitir que Brigham Young é profeta falso. Aceitá-la é negar a Palavra de Deus, a Bíblia.

Para mais informações veja neste livro o capítulo 8: “A Verdade Acerca do Deus-Adão”, e capítulo 9: “Contradições Concernentes à Pessoa de Deus”.

7. A Bíblia diz que o estudo das genealogias é fútil. Os mórmons fazem uso extensivo das genealogias em seu sistema de obras, batismo pelos mortos, etc. Em quem você acredita?

A Bíblia

Evita discussões insensatas, genealogias, e contendas, e debates sobre a lei; porque não têm utilidade e são fúteis” (Tito 3:9).

“Nem se ocupem com fábulas e genealogias sem fim, que antes promovem discussões do que o serviço de Deus, na fé” (1 Timóteo 1:4).

Escritores Mórmons

“Antes que as ordenanças vicárias da salvação e da exaltação possam ser realizadas pelos que já morreram…devem ser identificados com exatidão e propriedade. Donde se requer a pesquisa genealógica…A Igreja mantém em Salt Lake City uma das maiores sociedades genealógicas do mundo. Grande parte do material de fontes genealógicas de várias nações está sendo ou já foi microfilmado por esta sociedade; gastam-se milhões de dólares; e está disponível ao estudo um acervo de centenas de milhões de nomes e outras informações acerca de pessoas que viveram nas gerações passadas” (McConkie, Mormon Doctrine, pp. 308, 309).

Comentário

Os registros genealógicos foram destruídos em Jerusalém em 70 A.D. pelos romanos sob as ordens de Tito, acentuando o término das genealogias por Deus, uma vez que Jesus já tinha vindo e cumprido o propósito delas.

Para mais informações sobre genealogias, veja o capítulo 10: “Sacerdócio e Genealogias”, neste livro.

8. A Bíblia, a Igreja e a História lançam fortes dúvidas à reivindicação dos mórmons de que têm revelação “nova” e “mais recente”. Em quem você crê?

A Bíblia

“Eu, a todo aquele que ouve as palavras da profecia deste livro, testifico: Se alguém lhes fizer qualquer acréscimo, Deus lhe acrescentará os flagelos escritos neste livro; e se alguém tirar qualquer cousa das palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida, da cidade santa, e das cousas que se acham escritas neste livro” (Apocalipse 22:18, 19).

“Edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mateus 16:18).

“Acautelai-vos dos falsos profetas que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15).

Escritores Mórmons

“Na manhã de um lindo dia de primavera de 1820 ocorreu um dos acontecimentos mais importantes da história deste mundo. Deus, o Pai Eterno e seu Filho, Jesus Cristo, apareceram a José Smith e deram-lhe instruções a respeito do estabelecimento do reino de Deus na terra nestes últimos dias” (LeGrand Richards, A Marvelous Work and a Wonder; Salt Lake City, Deseret Book Co., 1971, p. 7).

“Contendo Revelações dadas a Joseph Smith, O Profeta” (Doutrina e Convênios; na página de rosto da citada obra).

Comentário

O livro do Apocalipse dá-nos o quadro da época da igreja, da tribulação, do milênio e da consumação de todas as coisas até o estado eterno. Deus não se “esqueceu” de nada que tornasse necessário acrescentar um Post Scriptum por revelação posterior.

“Este livro” mencionado em Apocalipse 22:18, 19, certamente parece se aplicar primariamente ao livro do Apocalipse. Entretanto, o Deus que tudo sabe e que conhece o futuro certamente sabia que livro seria colocado no final da Bíblia, e que a Bíblia é considerada e era considerada como uma unidade, um único livro. Parece mais que coincidência de que a admoestação mais poderosa da Bíblia concernente a suas palavras e acréscimos às suas profecias estivessem na última página, no último capítulo, do último livro da Bíblia, pelo último profeta, com as últimas profecias verdadeiras e certas.

Profeta algum, desde os dias bíblicos, surgiu que pudesse predizer o futuro com exatidão total requerida do profeta verdadeiro. Ninguém, desde os dias do Novo Testamento, passou no teste, o que prova conclusivamente que o dom profético de predizer o futuro foi retirado, e que não há “revelação” nova ou mais recente da parte de Deus.

Para mais informações veja neste livro o capítulo 13: “A Autoridade Final”.

9. Você, como mórmon, compreende que abrir a porta a “revelações novas” ou mais recentes, cuja verdade é determinada, em parte, pelo “sentimento”, pelo “testemunho” ou por um “ardor dentro do peito”, faz com que lhe seja possível ou a qualquer outra pessoa alegar revelações de Deus e construir qualquer tipo de ensinamento que desejar? Pode você confiar numa religião construída sobre a base de tais “revelações”? Você acredita na palavra de um “profeta” desacreditado (cujas profecias falharam) e que disse ter revelações “novas”, ou você acredita na Bíblia?

A Bíblia

“Mas, ainda que nós, ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema” (Gálatas 1:8).

“E não é de admirar; porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras” (2 Coríntios 11:14, 15).

“Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para os meus caminhos” (Salmos 119:105).

Escritores Mórmons

“Recebi a Primeira Visitação dos Anjos, quando tinha cerca de catorze anos de idade” (José Smith, citado em Deseret News, em 29 de maio de 1852).

“Logo, um indivíduo obscuro, um jovem, levantou-se e no meio da cristandade, proclamou as novas surpreendentes de que Deus lhe havia enviado um anjo” (Orson Pratt, Apóstolo, Journal of Discourses, vol. 13; publicado por F. D. e S. W. Richards, Liverpool, 1854; edição reimpressa, Salt Lake City, Utah, 1966, pp. 65, 66).

“Mas, eis que eu te digo, deves ponderar em tua mente; depois me deves perguntar se é correto e, se for, eu farei arder dentro de ti o teu peito; hás de, sentir assim, que é certo” (José Smith, Doutrina e Convênios 9:8).

Comentário

Aqui você pode perceber que as reivindicações do mormonismo são iguais a centenas de outras, tais como as da Ciência Cristã, que têm acrescentado outros livros “inspirados”, e do Rev. Moon da Igreja da Unificação, que afirma ter tido uma visão de Jesus em 1936. Estes ensinam que tiveram revelação posterior, visitas de anjos, visões, etc., com o propósito de “compreender” ou fazer acréscimos à Escritura. Você também pode ver que a prova alegada por eles faz com que sua atenção se desvie da Bíblia como autoridade total e final, de modo que qualquer coisa serve.

A propósito, quantidade alguma de “testemunho”, “ardor dentro do peito” ou “sentimento” pode fazer com que se cumpram as profecias de José Smith, ou se transforme um profeta falso em verdadeiro.

Para mais informações, veja neste livro o capítulo 13: “A Autoridade Final”.

11. A Bíblia ensina que Davi e Paulo, ambos assassinos, foram perdoados e que “o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado”. Os ensinamentos de José Smith dizem que o assassinato é um pecado imperdoável. Em quem você crê?

A Bíblia

(Depois de Davi ter confessado haver assassinado a Urias, e tomado a Bate-

-Seba, sua esposa, disse-lhe Natã: “Também o Senhor te perdoou o teu pecado; não morrerás” (2 Samuel 12:13).

“Saulo, respirando ainda ameaças e morte contra os discípulos do Senhor dirigiu-se ao sumo sacerdote” (Atos 9:1). “Persegui este Caminho até à morte, prendendo e metendo em cárceres, homens e mulheres” (Atos 22:4).

“O sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 João 1:7).

Escritores Mórmons

“E agora, eis que eu falo à igreja. Não matarás; o que matar não terá perdão nem neste mundo, nem no mundo futuro” (José Smith, Doutrina e Convênios 42:18; também 132:26, 27).

“Esperanças de recompensa mediante o assim chamado arrependimento ao pé do leito de morte são vãs (Bruce McCOnkie, Mormon Doctrine, p. 631).

Comentário

Saulo foi responsável pela morte de Estêvão e de outros. Entretanto, Saulo, o assassino, tornou-se Paulo, o missionário, por causa de um encontro vital que teve com Jesus Cristo ressurreto na estrada de Damasco. Seus pecados foram-lhe perdoados. Ele foi lavado pelo sangue do Senhor Jesus Cristo.

Para mais informação veja, neste livro, o capítulo 15: “A Salvação Bíblica”.

12. A Bíblia ensina que todos os homens são pecadores perdidos e que necessitam de salvação, e que somente os que aceitam a Cristo pessoalmente são salvos. O mormonismo ensina que a ressurreição é a salvação, e assim como todosserão ressurretos, todos serão salvos. A isto chamam de “salvação geral”. Em qual você acredita?

A Bíblia

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23).

“De fato a vontade de meu Pai é que todo homem que vir o Filho e nele crer, tenha a vida eterna; e Eu o ressuscitarei no último dia” (João 6:40).

Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (João 11:25).

“Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e tua casa” (Atos 16:31).

Escritores Mórmons

“Haverá uma Salvação Geral para todos no sentido em que o termo geralmente é usado, mas salvação com o significado de ressurreição, não é exaltação” (Stephen L. Richards, panfleto, Contributions of Joseph Smith, publicado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, p. 5).

Todos os homens são salvos pela graça somente sem nenhum ato de sua parte, o que significa que são ressurretos” (Apóstolo Bruce McConkie, What the Mormons Think of Christ, p. 28, panfleto atualmente publicado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias).

Comentário

Os mórmons colocam a salvação ao mesmo nível da ressurreição. Todo mundo não é automaticamente salvo quer creia ou não. Ressurreição não é salvação. Haverá uma ressureição para a maldição dos que não crêem e também uma ressurreicão para a salvação (João 5:28, 29; Atos 24:15).

Para mais informações veja neste livro o capítulo 14: “A Salvação Mórmon”.

13. A Bíblia diz que toda a salvação é pela fé em Jesus Cristo somente. O mormonismo ensina que ao fazer boas obras o homem pode tornar-se “digno” da salvação individual ou pessoal. Em qual você crê?

A Bíblia

“Como está escrito: Não há justo, nem sequer um” (Romanos 3:10).

“Porque lhes dou testemunho de que eles [judeus não salvos, mas religiosos] têm zelo por Deus, porém não com entendimento. Porquanto, desconhecendo a justiça de Deus, e procurando estabelecer a sua própria, não se sujeitaram à que vem de Deus” (Romanos 10:2, 3).

“Quem crê, tem a vida eterna” (João 6:47).

“Por isso também pode salvar totalmente os que por eles se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hebreus 7:25).

Escritores Mórmons

“Pois sabemos que é pela graça que somos salvos, depois de tudo o que pudermos fazer” (José Smith, Livro de Mórmon, 2 Nefi 25:23).

“A redenção dos pecados pessoais só pode ser obtida mediante a obediência aos requisitos do evangelho e de uma vida de boas obras” (James Talmage, Articles of Faith, publicado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1952, pp. 478, 479).

Comentário

Como já afirmamos e já foi provado pela Escritura, o sangue de Cristo purifica de todo o pecado, e Ele salva completamente, e não existe salvação que seja mais completa, mais alta ou maior.

As boas obras, inclusive o batismo, vêm depois da pessoa ter sido salva. Elas demonstram a salvação e provam sua eficácia. Jamais Deus aceita nossas boas obras como meio de salvação (veja Efésios 2:8, 9). O batismo também é um símbolo que mostra que fomos salvos, não o modo pelo qual devamos ser salvos. Atos 10:44-48 diz: “Ainda Pedro falava estas cousas quando caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra…Então perguntou Pedro: Porventura pode alguém recusar a água, para que não sejam batizados estes que, assim como nós, receberam o Espírito Santo? E ordenou que fossem batizados em nome de Jesus Cristo.” O ladrão na cruz e o publicano no templo, Lucas 18:9-14, foram salvos sem o batismo.

Para mais informação veja os capítulos 14 e 15 deste livro.

14. A Bíblia ensina que somos pecadores e que devemos nascer de novo para nos tornarmos filhos de Deus ao receber a Cristo. O mormonismo ensina que todos nós somos filhos de Deus. Em qual você crê?

A Bíblia

“Se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3:3).

“Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome” (João 1:12).

Escritores Mórmons

“O homem é, em realidade, filho de Deus…no conceito mórmon a frase ‘a paternidade de Deus e a irmandade do homem’, assume um significado novo e poderoso” (Élder Gordon B. Hinckley, panfleto, What of the Mormons?; publicado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1975, p. 6).

“Todos os homens e todas as mulheres são feitos à similitude do Pai e Mãe universais, e são literalmente filhos e filhas da Divindade” (José Smith, Man: His Origin and Destiny, pp. 351, 355).

Comentário

Deus não nos teria dito que nos tornássemos filhos de Deus ao receber a Cristo e nascer de novo, se já fôssemos, por natureza, filhos de Deus.

Veja o capítulo 14: “A Salvação Mórmon”.

16. A Bíblia admoesta-nos a precaver-nos de falsos Cristos e falsos profetas. Segundo os profetas e escritores mórmons, você como mórmon confia num Deus diferente, num Cristo diferente, num caminho da salvação diferente do caminho da salvação bíblica do Deus bíblico e do Cristo bíblico. Todas as suas crenças são baseadas nos escritos de José Smith, que, como já foi provado, é um profeta desacreditado, não um profeta de Deus. Você quer encarar o juízo e a eternidade confiando nos deuses mórmons, ou no Deus da Bíblia?

A Bíblia

“Respondeu-lhe Tomé: Senhor meu e Deus meu!” (João 20:28).

“Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Porque com o coração se crê para a justiça, e com a boca se confessa a respeito da salvação” (Romanos 10:9, 10).

Escritores Mórmons

“Como é o homem, uma vez Deus já foi: como Deus é, o homem pode ser” (James E. Talmage, A Study of the Articles of Faith, publicado pela Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, 1957, p. 430).

“Cristo, o Verbo, o Unigênito, tinha, é claro, atingido o status da Divindade ainda na preexistência” (B. R. McConkie, What the Mormons Think of Christ, publicado pela igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, p. 36).

“Ele [Adão] é nosso pai e nosso Deus e o único Deus com quem devemos lidar” (Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 1, 1996, p. 50).

“O menino Jesus…não foi gerado do Espírito Santo” (Brigham Young, Journal of Discourses, vol. 1, pp. 50, 51).

“Pois sabemos que é pela graça que somos salvos, depois de tudo o que pudermos fazer” (José Smith, O Livro de Mórmon, 2 Nefi 25:23).

Comentário

A escolha é clara, o mormonismo ou o Cristianismo; José Smith ou Jesus Cristo.

Para mais informação veja os capítulos 7 e 14 neste livro.

Bom acho que isso é suficiente para esclarecer muitas coisas!

MARANATHA

Comentários
  1. Olá, Não sou um Mórmon, no entanto, fiz parte dessa igreja por quase 30 anos, no entanto, garanto que não tem nada de errado em suas doutrinas, e que as Igrejas evangélicas americanas se uniram e pediram perdão de forma literal em 2004 diante de toda a sociedade americana por seus erros, interpretações e mentiras ensinadas contra o mormonismo no mundo e que teve repercusão a partir da nação americana. Então amigos, se querem fazer evangelismo, levar o evangelho de Cristo de forma literal e séria diante dos povos, CUIDEM DE SUAS OVELHAS, DAS SUAS PRÓPRIAS CASAS PARA QUE OS LOBOS NÃO OS DEVOREM.

    Lembro-me das palavras de Cristo quando seus discípulos lhe disseram que em alguma parte, próximo DEle, um grupo falava sobre Cristo, curavam e operavam milagres e maravilha. Lembra o que cristo FALOU? Acho melhor lerem mais as escrituras e pararem de falar da vida ou crenças alheias. Permita-lhes que o Senhor faça o Julgamento, pois, tenho plena certeza de que essa autoridade não lhes fora dada.

    Atenciosamente,

    Apóstolo Luccas Covo

  2. Jarson diz:

    Sou adventista do sétimo dia, e sei como nossa igreja é atacada. Pegam versos descontextualizados da bíblia e dos escritos de Ellen White, e usam-nos como arma contra nós.
    Notei aqui vários versos/escritos de Joseph Smith descontextualizados, e, portanto, não podem ser usados para derrubar a doutrina mórmon. Devemos examinar mais a fundo para que não caiamos nos mesmos erros de nossos opositores…

  3. marine diz:

    A pessoa pode ser usada por Deus e pelo diabo também,o que Deus nos deixou foi a bíblia e lá explica sobre todas aacontecimentos que virão,sobre os falsos profetas,quem ler a bíblia e vive ela n se engana com qualquer coisa,a bíblia vem com a verdade e a certeza,se vc segue oque os outros dizem me desculpe,então vc n conhece Deus,muito menos a palavra dele.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s