12 perguntas para os inimigos dos 10 Mandamentos da lei de Deus

Posted: 7 de Dezembro de 2010 by mundomaranatha in Lei de Deus
Aos inimigos da verdade bíblica, uma sugestão para meditação. Muitos sãos os que se colocam de frente contra os 10 mandamentos da lei de Deus. Tenho presenciado grandes movimentos evangélico protestante se erguendo contra a lei de Deus. Em resposta a esses dissidentes protestantes, gostaria de lhes dirigir 12 perguntas do porque que Deus fez tanta diferenciação entre as leis, uma vez que vocês alegam não existir. Neste desafio, não vale o campo da argumentação. Apenas um assim diz o Senhor.

Portanto fica abaixo enumeradas de 1 a 12 as seguintes perguntas:
1º – Porque razão Deus chamou uma lei de lei do Senhor e outra lei de Moisés? Salmos 1:2; 19:7; Rom. 7:22. Neemias 8: 1

2º – Porque razão Deus chamou uma lei de lei real e outra de cédula de ordenança? Tiago 2: 8, Colossenses 2: 14

3º – Porque Deus mostrou uma lei antes do pecado do homem e outra depois? Romanos 4: 15, Leia Hebreus 10:1

4º – Porque a lei de 10 mandamentos Deus mesmo as escreveu e a outra mandou que Moisés escreve-se? Êxodo 31: 18, Deuteronômio 31: 9

5º – Porque Deus escreveu 10 mandamentos em pedras e mandou Moisés escrever o restante nos rolos? Êxodo 31: 18, Deuteronômio 31: 24

6º – Porque Deus mandou colocar 10 mandamentos dentro da arca e mandou que deixa-se de fora as outras 603 leis? Deuteronômio 10: 5, Deuteronômio 31: 26
7º – Porque Deus chamou uma lei de lei perfeita e a outra chamou de lei que não aperfeiçoa nada? Salmo 19: 7, Hebreus 7: 19
8º – Porque Deus chamou uma lei de eterna e outra de lei transitória? Salmos 111:7,8, Hebreus 10: 1

9º – Porque Deus chamou uma lei de santa e a outra que nada santifica? Romanos 7: 12, Hebreus 10: 1

10º – Porque Deus chamou uma lei de Espiritual e a outra de lei carnal? Romanos 7: 14, Hebreus 9: 10

11º – Porque Deus disse que uma lei não seria anulada e que outra lei seria cravada na cruz? Mateus 5: 17-19, Colossenses 2: 14

12º – Porque Deus disse que uma lei não seria mudada e nem anulada pela fé, e que outra lei sim seria cancelada? Romanos 3: 31, Efésios 2: 15

Se Deus não quisesse sugerir diferenciação de leis, porque razão faria tantas, tantas e tantas diferenças tão absolutamente claras assim? Rendam-se a verdade.
Na verdade tudo que escrevo é para o sinceros que lerão, porque sei que vocês só debocharão e não responderão bíblicamente todas essas perguntas. (Bíblicamente)

Comentários
  1. Alberto diz:

    Senhor Editor,
    Saudações Cristãs!

    Você poderia colocar a fonte de onde vieram estas perguntas, citando link de rigem, para dar os créditos ao autor das perguntas e também os leitores terem acesso às respostas postadas, para as referidas perguntas?

    Solicito-lhe o obséquio de fazer isto, por ser honesto e justo.

    Cordialmente,

    Alberto

  2. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    Respondendo as perguntas (introdução): (*COMO ESSAS PERGUNTAS SÃO DE ORIGEM DO SITE DO GILBERTO TTHEIS, ELAS CONTEM O NOME DELE.)
    Caro amigo sr Gilberto Theiss: sou apenas um internauta observador. Não debocharei e responderei as suas perguntas. Mas antes gostaria de fazer um comentário sobre suas declarações. O sr diz para responder biblicamente…,Mas o que seria responder “biblicamente”? o homem cria diversas interpretações para diversos assuntos bíblicos; e a questão da Lei é uma delas. Só quem pode responder 100% Biblicamente sem sombra de equívocos é Deus e Jesus Cristo. O homem fala, escreve, pergunta, responde e argumenta, tudo “biblicamente”… dentro da sua interpretação. Mas é claro que, aparecem interpretações mais coerentes e com mais sentido dentro do contexto histórico bíblico do que outras. Mas a verdade absoluta, só a Deus pertence. O sr diz para responder biblicamente…, mas avalie suas perguntas; com todo o respeito sr Gilberto, elas são induzivas, especulativas, que conduz a entender, já na pergunta, que existiam duas Leis distintas. Algumas das suas perguntas, são muito parecidas com aquela na estória do delegado corrupto, acusador(e o verdadeiro assassino), que pergunta para o acusado(inocente):
    -“ Além de dinheiro, que outros motivos te levaram a matar o Dr fulano?” viu? Entendeu? a pergunta já diz e induz que o acusado é o culpado. Veja agora também a sua 1º pergunta, ela diz que Deus chamou uma lei de lei de Deus e outra lei de lei de Moisés…A pergunta já afirma que existiam duas leis distintas e pede o motivo disso. Essa pergunta, para ser mais biblicamente correta, poderia ser mais ou menos assim: – por que lemos na Bíblia as expressões: lei do Senhor e lei de Moisés?
    Sr Gilberto, as suas perguntas são baseadas na interpretação adventista da Bíblia, e não exatamente na Bíblia, o sr pergunta “adventistamente”,ou seja, O sr pede para responder Biblicamente, mas não pergunta Biblicamente.
    E o que o sr falou sobre “inimigos da verdade”….”rendam-se a verdade…” meu caro amigo, isso é simplesmente dispensável. Sr Gilberto, isso é deselegante, ousado, áspero e desafiador. Deixa a entender que a verdade só está no que o adventismo prega, e que esse, é a única e absoluta fonte da verdade,e todas as outras pessoas que não concordam com a interpretação adventista, são todos uns coitados ignorantes, enganados, e ou, rebeldes perante Deus. Se são “inimigos que devem se render a verdade”, indiretamente o sr está chamando as pessoas que não concordam com o adventismo de “soldados da mentira”; Cuidado sr Gilberto, isso é sinal de um terrível orgulho, muito característico no meio adventista, que poderá ser a sua ruína.
    Agora responderei as suas perguntas. Por favor leia com calma e atenção.

    E que Deus o ilumine e guarde. (internauta Décio)

  3. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    -1º por que Deus chamou uma lei de lei do Senhor e outra de lei de moisés? (Sl 1:2, 19:7) (rom 7:22)(Nee 8:1)

    Resposta: porque são sinônimos meu amigo, são sinônimos. É o mesmo caso de festas fixas do Senhor(lev 23:37)(lev 23:44), e festas dos judeus(João 5:1)(João 6:4) . confira na Bíblia e reflita meu caro: a páscoa era festa “dos judeus” ou era “do Senhor”? são sinônimos da mesma festa. E que tal essas passagens, veja:
    – em Lv 23:39 , a festa dos tabernáculos é festa do Senhor, e em João 7:2, a mesma festa é chamada de festa dos judeus…(confira). e quem são: o ungido, o messias, o cordeiro, o Rei dos reis, e o filho do homem? Todos são sinônimos de Jesus. são sinônimos meu caro amigo, sinônimos. E sobre a Lei, Existem muitos exemplos, vou mostrar alguns, veja:
    em Neemias 8:1, o livro é chamado de Livro da Lei de Moisés, e logo depois, nos versos 8 e 18, o livro é chamado de Livro da Lei de Deus. Agora veja esses exemplos de leis cerimoniais como sendo da lei do Senhor:

    Em Ex 13:9, separar o primogênito, era seguir a Lei do Senhor…
    Em 2 cro 31:3, holocaustos eram normas da Lei do Senhor…
    Em 2 cro 34:14, o livro é chamado de livro da Lei do Senhor…
    Em Lc 2:21-24, Lei de Moisés de sacrifícios é a mesma Lei do Senhor…
    Em Lc 2:39, ordenanças da Lei, são ditas como da Lei do Senhor…
    Em Nee 10:28-39, vários preceitos da “lei de Moisés”, são ditos como ordens da Lei do Senhor…

    Veja esses:
    Em Marcos 7:10, diz: “pois Moisés disse: honra teu pai e tua mãe; e quem maldisser ao seu pai ou sua mãe, morrerá.” (honrar pai e mãe é o quinto mandamento, está em EX 20:12. vemos nesta passagem,uma “lei de Deus”,e no entanto se diz que “Moisés disse”)

    Em Mateus 15:4, diz: “porque Deus ordenou: honra teu pai e tua mãe; e quem maldisser a seu pai ou sua mãe seja punido de morte.”(no quinto mandamento NÃO está escrito que quem maldisser seus pais deve ser punido com a morte, isso está no livro da Lei (lev 20:9) e no entanto se diz que “Deus ordenou.”)

    Em Marcos é lei de Moisés…em Mateus é lei de Deus….e ambas dizem a mesma coisa.

    Em Josué 23:6, o livro é chamado de Livro da lei de Moisés (besêpher torath mosheh)
    E logo em Josué 24:26, ele é dito como Livro da Lei de Deus(besêpher torath ‘elohiym )
    (veja e confirme no original hebráico).

    Reparou bem, sr Gilberto? Existia um Livro da Lei de Deus…. mas a “lei de Deus” não estava nas tábuas de pedra, e a “lei de Moisés” no livro? E o sr reparou nos exemplos acima onde é dito claramente que diversos preceitos rituais eram da Lei do Senhor ?

    -2º porque razão Deus chamou uma lei de lei real e outra de cédula de ordenança? (Tiago 2:8)(colss 2:14)?

    Resposta: porque a Lei literalmente em sua letra, era uma cédula de ordenanças, um documento de ordenação, um enorme conjunto de prescrições, regras e normas de tamanho jugo, que nem os antigos conseguiram suportar(At 15:9-10). Porque a letra mata, o espírito vivifica( 2 Cor 3:1-6) E Tiago chamou a norma de Lev 19:18 de lei real; ou lei régia, porque é o segundo mandamento-base de toda a toda Lei e os profetas; aqueles dois mandamentos: amar a Deus(Dt 6;5) e amar ao próximo como a ti mesmo(Lv 19:18), (que diga-se de passagem, é bem moral e não estava nas tábuas de pedra, mas no livro, fora da arca); representava o espírito da Lei, que é o amor, e não secamente a letra da Lei(Rm 7:6)(Gal 5:18). A Lei real, é a lei da liberdade, do espírito, a Lei do amor; essa é a Lei real, a Lei de Cristo, a Lei da Nova e Eterna Aliança. Não vivemos mais na era da letra da lei, mas em novidade no espírito da lei. Viver na letra, é seguir só as normas e regras escritas ao pé da letra da lei sem conhecer o sentido ou, o verdadeiro sentido, a intenção, a essência. Viver no espírito, é se aprofundar na verdadeira intenção da lei, é procurar viver dentro do contexto da mensagem, até mesmo às vezes, fazendo ou deixando de fazer coisas, que nem constam na letra da lei como permitido ou proibido; pois se tem o pleno conhecimento do espírito da lei. As escrituras nos dizem que onde há o Espírito de Deus aí há liberdade( 2 Cor 3:17); contudo, nos traz uma muito maior responsabilidade, porque o desejo revelado pelo Espírito, e que está por traz de toda lei escrita, é o AMOR, e o AMOR é um princípio proveniente da humildade e da submissão, pois é um mandamento. O AMOR foi revelado por Jesus como o espírito de toda a lei. (confuso? Se Quiser, posso posteriormente lhe esclarecer melhor.)

  4. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    -3º Por que Deus mostrou uma lei antes do pecado do homem e outra depois? (Rm 4:15) (Hb 10:1)

    Resposta: o sr quer dizer na pergunta que: a “lei moral” foi dada no Éden, e a lei “de Moisés” foi dada depois…é isso? Bom meu amigo, se é isso, desculpe-me Sr Gilberto, mas eu não consegui encontrar em Rm 4:15, Paulo dizendo que Deus mostrou, ou deu os dez mandamentos para Adão…. sinto muito, na minha opinião isso é equívoco de interpretação. Em Rm 4:13-25, pelo exemplo de Abraão, Paulo mostra que a pessoa é aceita por Deus por causa da fé, e segundo a graça. A promessa de Deus depende da fé e não da lei.(Rm 4:13-16) .E é claro que a lei não era imagem real das coisas(Hb 10:1), ela serviu de guia, tutor(aio) até que viesse Cristo, para que pela fé fôssemos justificados(Gal3:19-25).
    Paulo mostra que a lei suscita a ira de Deus, o castigo de Deus; e que onde não há lei, não há transgressão. Baseados nisso, muitos advts afirmam que Adão e Eva transgrediram a “lei de Deus”. Mas como que Deus iria dar a dita “lei moral” para Adão e Eva, se para saber e seguir tal lei, é necessário saber o que é comportamento moral; e para isso eles deveriam ter o conhecimento do bem e do mal, do certo e do errado, pois moralidade depende disso. Mas o casal não tinha esse conhecimento, pois Deus proibiu de comer do fruto do tal conhecimento(Gen 2:17). E pra que uma lei sobre pecados, se o pecado não existia? Uma lei referente a pecado, antes do pecado? Seria mais ou menos como colocar uma placa de trânsito, por exemplo do tipo: “proibido ultrapassar”, num vilarejo qualquer, nos tempos do antigo testamento; quando não existia automóveis, rodovias, trânsito de veículos automotores…ninguém tinha a menor idéia do que era tudo isso. Era exatamente como Paulo disse, onde não há lei, não há transgressão, e não havia lei sobre pecado porque no Éden não havia pecado. Adão e Eva não tinham conhecimento do bem e do mal, e não tinham logicamente conhecimento do que era pecado, eles viviam na mais profunda inocência, note que eles não sentiam, nem sabiam o que era vergonha(Gen 2:25); muito menos o que seria roubo, cobiça, adultério,inveja, ira, mentira… depois que comeram, começaram a ter conhecimento(Gen 3:7) Eles tomaram conhecimento do bem e do mal sendo enganados pela serpente, pois eles eram totalmente inocentes. Eles transgrediram a ordem de Deus sem intenção maléfica, pois nem sabiam o que era mal, eles pecaram não por intenção própria, mas por instruções da serpente, sem responsabilidade, sem consciência do que fizeram. Paulo disse em Rm 5:13, que antes da chegada da lei, o pecado estava no mundo mas o pecado não é imputado(não atribuído a alguém, não atribuída a responsabilidade) não tendo lei. “Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.” Outra tradução(atualizada) deixa bem claro: “porque antes da lei, o pecado já estava no mundo mas onde não não há lei, o pecado não é levado em conta” ou seja, o pecado de Adão e Eva não foi intencional, não pecaram porque quiseram pecar, pois pecar é errado, é mal, mas eles nem sabiam o que era isso, pois ainda não tinham comido do fruto do conhecimento. Como eles saberiam que desobedecer à Deus era mal, era errado, se eles não tinham o conhecimento do bem e do mal? Note que o casal nem sabia o que era enganar e mentir, e assim foi facilmente persuadido e seduzido pela astuta serpente(Gen 3:1-6). Eles pecaram? Sim, mas como ainda não havia lei, esse pecado não foi imputado. E se Adão e Eva transgrediram a “lei de Deus”; eu gostaria de saber qual dos 10 mandamentos eles transgrediram, pois a bíblia só mostra que eles quebraram a regra de não comer do fruto do conhecimento.
    Tudo aponta na Bíblia, para o fato de que, os dez mandamentos nunca existiram como um código formal de lei antes da época de Moisés. E se o sr acredita que as leis morais do decálogo estavam vigentes no Éden, isso tem um grave problema, por exemplo: Adão e Eva tinham que honrar pai e mãe? E no Éden, o único casal existente, tinha que se preocupar com adultério? Com quem? Cuidar para não cobiçar a casa ou o servo do próximo?(leia Êx 20:17). Os “servos” de Adão, o “estrangeiro” que estivesse no Éden, dentro das portas da “casa” de Adão, tinha que guardar o sábado? (leia Ex 20:10-11). Quando Deus fez a aliança e deu as tábuas do decálogo à Moisés, ficou claro que esta aliança não foi feita no Éden, nem com os patriarcas, leia Deut 5:2-3, veja o que é dito antes da citação dos dez mandamentos:
    – “Não com nossos pais fez o Senhor esta aliança, mas conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos”.(Deut. 5:3)
    A única regra que Deus deu para o casal do Éden, foi que não comessem do fruto proibido; do fruto do conhecimento, ao comerem, adquiriram o conhecimento do certo e do errado, do Bem, e infelizmente também do mal, e aí o pecado entrou.

  5. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    -4º Por que a lei dos 10 mandamentos Deus mesmo as escreveu e a outra mandou que Moisés a escrevesse? (Ex 31:18) (Deut 31:9)

    Resposta: nas duas primeiras tábuas de pedra que foram quebradas (Ex 32:19), Deus escreveu as dez palavras, mas nas duas novas tábuas, que permaneceram , quem escreveu os dez mandamentos foi Moisés. Veja Ex 34:28:
    “E Moisés esteve ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras do pacto, os dez mandamentos.” Quem esteve lá 40 dias, não comeu, não bebeu, e ESCREVEU nas tábuas? Moisés! Apesar de Deus dizer que Ele escreveria,(Ex 34:1), quem escreveu foi Moisés. Uma contradição? Lógico que não. Deus muitas vezes age através do seu escolhido, mas é Ele quem faz. Quando Moisés ordenou às rochas que lhes dessem água, e saiu água para o povo(Nm 20:8 ), quem fez sair água das pedras foi Moisés ou foi Deus? E quando atravessaram o mar vermelho, Deus mandou Moisés levantar o cajado e estender a mão sobre o mar, e ele se abriu(Ex 14:16). Quem abriu o mar foi Moisés ou foi Deus? Qualquer um vendo Moisés com seu cajado levantado e sua mão estendida para o mar, diria que foi Moisés quem o abriu, outros diriam que foi Moisés através do poder de Deus e outros ainda diriam que foi Deus através de Moisés. Então veja sr Gilberto, quem criou as dez palavras para Israel foi Deus, mas quem escreveu literalmente nas duas novas tábuas, foi Moisés. Um engenheiro pode dizer: -“fui eu quem fez aquele prédio” foi ele ou foram os pedreiros? Ele criou e orientou a obra, a responsabilidade e os méritos vão para o criador da obra, não para quem literalmente a fez.(leia João 4:1-2). Deus disse que escreveria, mas quem literalmente escreveu foi Moisés. Se você quer argumentar que as regras das placas de pedras são mais importantes e superiores, porque o próprio Deus as escreveu, lamento mas aquelas primeiras foram quebradas e as segundas placas , quem escreveu foi Moisés; então parece que as regras não eram tão importantes, ou perderam a superioridade, pois Moisés botou a mão, não é? Moisés escreveu nas duas novas placas que permaneceram e Moisés escreveu também no livro; tudo orientado por Deus. Ah, mas você ainda quer saber por que Deus literalmente escreveu diretamente nas duas primeiras tábuas? Isso a Bíblia não explica. Seria como perguntar: por que Deus apareceu no meio de um fogo numa sarça(espinheiro)?(Ex 3:2) por que não num cactos, ou oliveira? E por que Deus usou uma coluna de nuvem para guiar o povo(Ex 13:21) ? não podia ser uma seta de arco-íris? Um cometa vermelho? Amigo Gilberto, a Bíblia não diz nem deixa a entender que as leis das tábuas de pedra eram mais importantes ou superiores que outras leis do livro. E para provar isso, veja a passagem de João 7:22-23, ali mostra que os judeus praticavam a circuncisão no sábado. E isso não lhe é estranho? No sábado não podia catar lenha(Num 15:32-36 ), não podia acender fogo(Ex 35;3 ), não podia carregar materiais(Jr 17:21-22 ), nem caminhar certas distâncias(At 1:12 ),nem mesmo tratar doentes(Lc 13:14 ), mas uma lei cerimonial de Moisés(circuncisão), podia. E isso nos faz pensar: se realmente existiam a “lei de Moisés” e a “lei de Deus”, e se essa última era considerada mais importante e superior, porque foi Deus quem escreveu, foi escrito em pedras, ficava dentro da arca, era perfeita, era santa, era eterna, como que o povo de Deus colocou a circuncisão acima do sábado? Uma lei do livro, fora da arca, não declarada como perfeita ou eterna, uma lei “de Moisés” acima de uma “lei de Deus”? Analise sr Gilberto, se os Israelitas faziam essa distinção de leis, eles deixariam para circuncisar as crianças no dia seguinte, pois jamais eles colocariam a dita “lei de Moisés”(inferior) acima da dita “lei de Deus”(superior).

    -5º Por que Deus escreveu os dez mandamentos em pedra e mandou Moisés escrever o restante nos rolos?(Ex 31:18) (Deut. 31:24)

    Resposta: conforme já dito anteriormente, Moisés também escreveu nas tábuas de pedra. E o fato do decálogo ter sido escrito em pedra, não prova que suas leis fossem mais importantes que outras.
    A Bíblia nunca explicou ou deixou claro diretamente, mas De acordo com o costume daquela época, por vezes, qualquer contrato solene ou aliança era firmado selecionando algum objeto como “testemunha” ou “testemunho” daquele acordo. Foi assim que Jacó ergueu um pilar como uma testemunha de seu voto para com o Deus de seus pais (Gênesis 28.18). Mais tarde este mesmo Jacó fez com Labão uma aliança e ergueram um montão de pedras como testemunha disto (Gênesis 31:48). Abraão reservou sete cordeiros como ” uma testemunha ” da aliança dele com Abimeleque (Gênesis 21:27-30). Analisando então o histórico cultural bíblico, podemos perceber que Deus deu as tábuas de pedra a Israel como “testemunha” ou testemunho, um marco representativo daquela aliança. As tábuas eram chamadas de tábuas do testemunho (Ex 31:18), a arca na qual elas foram postas, era a arca do testemunho(Ex 40:5), e o tabernáculo onde a arca foi posta era chamado de tabernáculo do testemunho(Ex 38:21). Tanto as tábuas, a arca e a tenda sagrada (onde ficava também o livro), foram chamados “do testemunho”e em momento algum é dito na bíblia que as leis das pedras eram superiores. Agora, se o fato daquilo que foi escrito nas pedras são superiores e mais importantes, analise meu caro: então quer dizer que: se eu não cobiçar o cortador de grama do meu vizinho, isso é mais importante, mais sublime, moralmente mais nobre e superior do que eu perdoar uma grave ofensa, (uma grande mágoa guardada por 15 anos), causada pelo meu irmão? Então É isso que devo entender, sim, porque no decálogo está escrito o mandamento moral e superior: “não cobiçarás”, mas não existe o mandamento moral e superior do perdão… e eu já ouvi alguns advts afirmarem que os 10 mandamentos é que conduzem a vida moral do cristão…mas é essa a orientação “moral” que o cristão deve ter? sem perdão? Aposto que o amigo perdoa…mas perdoar sendo bem moral e uma enorme forma de demonstrar e praticar o amor ao próximo…nós não encontramos no decálogo. Se o fato daquilo que está escrito nas pedras é mais importante e superior, Jesus teria dito : “destes 10 mandamentos das pedras dependem toda a Lei e os profetas” . Mas não, Ele não disse isso.

  6. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    6º – Por que Deus mandou colocar 10 mandamentos dentro da arca e mandou que deixasse as outras 603 leis fora da arca? (Deut.10:5) (Deut 31:26)

    Resposta: Dentro da arca, fora da arca…meu caro amigo, a Bíblia nunca relatou que aquilo que estivesse dentro da arca seria superior. A arca era chamada da arca da aliança, as tábuas também eram chamadas de tábuas da aliança, e também o livro era chamado de livro da aliança…tudo da mesma aliança. E nunca foi dito que aquilo ou isso era mais importante ou superior devido estar dentro ou fora da arca. Isso nada prova sr Gilberto; note por exemplo que na Bíblia, temos passagens que chamam as tábuas de pedra de “tábuas da Alinça”(Deut. 9:9) (Deut 9:11) (Deut 9:15) e outras que chamam também o livro de “Livro da Aliança” (Ex 24:7) (2 Reis 23:2) (2 Reis 23:21) (2 Cro 34:30) [almeida corrigida – fiel] e no Livro fora da arca, assim como nas tábuas, também estavam escritos os 10 mandamentos. Meu amigo Gilberto, analise: quando perguntaram para Jesus: “mestre, qual é o maior mandamento da Lei?” Jesus por acaso perguntou: “de qual lei se referes? Da lei de Deus gravadas nas pedras, ou da Lei de Moisés escrita no livro?” não, Jesus não perguntou isso, e já respondeu de bate-pronto: “amarás teu Deus de todo coração e toda tua alma (Deut 6:5) e amarás teu próximo como a ti mesmo”(Lev 19:18) ; e completou: “destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”(Mt 22:36-40). Veja meu caro, os dois mandamentos mais consagrados pelo próprio Jesus Cristo, que são BEM MORAIS, foram escritos fora das tábuas de pedra e ficavam fora da arca. Daí vem uns adventistas com o argumento que Jesus tinha resumido os dez mandamentos em dois…, e também alegando: “ah, mas se eu amo meu próximo, eu não mato, não roubo, não minto, não cobiço”…etc. Mas,…se esses dois mandamentos do amor são os dez resumidos, (e pelo que sei, resumo é mostrar a mensagem principal, o núcleo de um texto, é o contexto da coisa, )por que, que o decálogo na íntegra nada fala de AMAR? Quer dizer que: resumido ele representa o pleno amor…mas detalhado, aberto, íten por íten, na íntegra, ele só tem oito proibições e duas orientações, e sem em momento algum, dizer AME. Pois é… se você ama teu próximo você não mata, não rouba, não cobiça,…mas também então não precisa ser solidário, não precisa ter compaixão, pode debochar de alguém, humilhar o próximo, quebrar o que é do próximo(sem cobiça),ser orgulhoso, ser ganancioso, e não precisa perdoar…porque nada disso é relatado nas pedras…?. NÃO, meu amigo, Jesus não resumiu os dez mandamentos em dois…, é o contrário, o decálogo é que contêm algumas, de todas as regras e leis de comportamento sobre amar que se resumem naqueles dois principais mandamentos. Esses dois mandamentos já abrangem tudo sobre o amor. Se você amar teu próximo como a ti mesmo, você fará de tudo para construir um bom relacionamento, tudo com boa intenção, e não fará nada de mal ao próximo que você não queira para você mesmo. Pode um cristão amar o próximo como a ti mesmo na íntegra, sem misericórdia? Mas onde está o mandamento da misericórdia nas tábuas de pedra? Agora, se o caso é, de algo ser superior porque estava dentro da arca, nós vemos que além das placas de pedra, dentro da arca também estavam um maná e a vara de Arão(Heb 9:4).Bom, se for assim, devemos então também deduzir que o maná e o florescimento e os frutos da vara de Arão, foram milagres superiores à outros? A abertura do mar vermelho, por exemplo, pelo visto então, não foi tão importante não é, pois não se guardou nenhum frasco com água do mar vermelho dentro da arca… e as duas leis maiores , que falam claramente do Amor, que são muito citadas na Nova Aliança, ficavam fora da arca, escritas naquela dita “lei de Moisés” fora das tábuas de pedra…veja, os mandamentos do Amor ficavam fora da arca…

    7º- por que Deus chamou uma lei de lei perfeita e outra de lei que não aperfeiçoa nada?(Salmo 19:7) (Hb 7:19)
    Resposta: com todo o respeito sr Gilberto,essa sua pergunta(á exemplo de outras) é indusiva; o sr cria uma comparação entre características da mesma e única Lei; deixando a entender que fossem duas leis separadas. E a sua comparação é confusa e sem sentido. Uma comparação equilibrada seria comparar algo perfeito com algo imperfeito, ou, algo que aperfeiçoa com algo que não aperfeiçoa. Comparar uma coisa perfeita com outra coisa que não aperfeiçoa é estranho e sem nexo. É como comparar conhaque de alcatrão com catraca de canhão; nada haver.
    O salmista disse que a lei era perfeita…e eu não duvido. A lei (thorá) foi perfeita para, e durante a antiga aliança, que nos serviu de aio, até que viesse a promessa. Uma coisa pode ser perfeita para ,ou durante um período, mas isso não quer dizer que por ser perfeita não teria término; terminado seu tempo, termina sua utilidade. “aquilo que se desvanecia está prestes a desaparecer”(Hb 8;13).a lei na antiga aliança era perfeita, mas que, na Nova Aliança, não trazia melhoramentos, não aperfeiçoou. Sr Gilberto, se essa lei perfeita a qual o salmista que refere é a “lei moral” a lei dos 10 mandamentos, analise por favor: pode um cristão ter uma conduta moral praticando a pedofilia? No decálogo existe o mandamento proibindo o adultério, mas não existe o mandamento que proíbe um solteiro assediar sexualmente uma criança. Isso é perfeito? Essa é a lei perfeita? Sem o mandamento da compaixão, sem o mandamento do perdão, sem o mandamento da misericórdia… Reflita….

  7. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    8º- Por que Deus chamou uma lei de lei eterna e outra de lei transitória? (Slm 111:7-8) (Hb 10:1)

    Resposta: cabe Aqui uma pergunta: que mandamentos são esses a qual o Salmo se refere? Seriam só os 10 mandamentos das tábuas de pedra? Verifiquemos então: diversos preceitos cerimoniais foram ditos nas sagradas escrituras como sendo eternos ou perpétuos; exemplos: a circuncisão(Gen 17:12-13), a páscoa(Ex 12:11-17), a festa dos tabernáculos(Lev 23:41). Do mesmo modo, várias dessas leis cerimoniais também foram declaradas como sendo da Lei de Deus ou da lei do Senhor, exemplos: holocaustos e ofertas nas solenidades(2 Cro 31:3), consagrar o primogênito(Ex 13:9), par de rolas no oitavo dia ( Lev 15:29 ), com isso, analisemos: Se for como os advts alegam, se o Salmista estava se referindo só ao decálogo, então ele, o Salmista, sendo leitor e escritor das sagradas escrituras, lendo e sabendo que diversas leis rituais foram declaradas perpétuas e , ou, da lei de Deus, ele escreve, “que TODOS os seus mandamentos(ou preceitos)duram para sempre”, e nessa declaração, ele se referia somente ao decálogo? Então o Salmista sabia que só a “Lei Moral”, os dez mandamentos, é que era eterna; e sendo só o decálogo eterno, logicamente então ele sabia que o restante, os preceitos cerimoniais eram transitórios,(e isso muito antes do NT, muito antes do Apst. Paulo declarar que aquilo era transitório!?). No tempo do Salmista, no AT, ninguém declarou na Bíblia sobre lei ser transitória. Continuando, então o Salmista sabia a diferença de “moral” e “cerimonial”, sabia que a “lei cerimonial” era passageira, mesmo as próprias escrituras afirmando que preceitos rituais eram perpétuos, ele sabia que eram transitórios; e mesmo assim, ele não explica isso, ele diz tão somente que todos os preceitos ou mandamentos de Deus são eternos, colaborando assim, com as citações bíblicas, de que ritos cerimoniais eram eternos e faziam parte da lei de Deus. E todos os leitores na época, liam que guardar o primogênito era da lei do Senhor…, liam que sacrifícios eram da lei do Senhor…, liam também que a páscoa era eterna…, liam que a circuncisão era eterna…, mas quando liam o salmo 111:7-8 , todos tinham que entender, que todos aqueles mandamentos eternos se tratava só do decálogo!!??? Ora, senhor Gilberto….faça-me o favor…Deus não é de confusão!(1 Cor 14:33) Alegar que o Salmo 111:7-8 referia-se só ao decálogo é ilógico, pois para deduzir isso era necessário saber que havia uma tal “lei cerimonial” transitória, mas tal interpretação adventista só foi possível, com a citação Bíblica sobre a lei ser transitória, e a citação Bíblica de que a lei era transitória só ocorreu muitos séculos depois no NT. No tempo do Salmista não existia nas escrituras passagens que dissessem que a lei, ou alguma certa lei como sendo transitória, nem existia Novo Testamento…o contexto histórico bíblico do AT deixa claro que o Salmo não se referia só ao decálogo. E note que mesmo no início do evangelho, o evangelista Lucas cita leis rituais como sendo da lei do Senhor(Lc 2:24). Então como que esse salmo estava se referindo só ao decálogo? Desculpe, mas não concordo.

    9º – Por que Deus chamou uma lei de santa e outra que nada santifica ? (Rm 7:12) (Hb 10:1)

    Resposta: meu amigo Gilberto, Deus não chamou uma lei de santa e outra que nada santifica, a Bíblia diz que a Lei era santa, mas que nada santificava. Essa sua questão é mais um argumento baseado na interpretação de divisão de Lei, criada pelos adventistas pioneiros, a sra White e cia Ltda. Muito perecida com a 7º questão, nesta, o sr apresenta uma comparação sem sentido. Seria como dizer: “uma janela é pintada, e a outra janela não pinta nada”. Veja que comparação estranha e confusa. Uma janela, pintada ou não, claro que não pinta nada, quem pinta é a pessoa. Você compara algo santo, com algo que não santifica; ambas as coisas(supondo que fossem duas), são criações, nada santificam, quem santifica algo diretamente ou indiretamente é o criador, é Deus(Lev 21:6-8). E pelo que sei, a Bíblia nunca disse que os dez mandamentos santificavam algo, ou alguém. A lei (a thorá)era santa? Lógico, porque veio de Deus, mas nada santifica porque é Deus quem santifica algo.
    E baseado nessa sua forma de criar esse tipo de perguntas, eu também posso perguntar, por exemplo:
    – por que Deus valorizou uma circuncisão como sendo sinal eterno da aliança (Gen 17:9-13), e outra disse que nada valia e nada era?(Gal 5:6)(1Cor 7:19)?
    – por que Deus chamou umas solenidades de estatutos perpétuos(lev 23:41) e outras de sombras de coisas futuras(Cols 2:16-17 )?
    – por que Deus proibiu carregar cargas no sábado do AT( Jr 17:21-22 ), e no sábado do NT permitiu carregar(Jô 5: 8-13)?
    Viu sr Gilberto, através da sua maneira adventista de ver as coisas, de ver duas leis, eu também criei duas circuncisões da carne, dois grupos de solenidades, dois sábados….

  8. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    10º Por que Deus chamou uma lei de espiritual e outra de carnal? (Rm 7:14) (Hb 9:10)

    Resposta: Novamente, comparações entre características que haviam dentro da mesma e única Lei. O sr quer dizer então que a “lei carnal” era a “lei de Moisés”(lei do livro)certo? Bom, então leia com atenção:
    – Ex 22:22: a nenhuma viúva nem órfão afligireis.
    – Ex 22:21: não afligirás o forasteiro, nem o oprimirás…
    – Lev 19:17: não aborrecerás teu irmão no teu íntimo…
    – Lev 19:14: não amaldiçoarás o surdo, nem porás tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus.
    Sem citar Deut. 6:5, e Lev 19:18 , que dispensam comentários, começarei a lhe responder com uma pergunta: será que os mandamentos acima não são morais, porque estavam no Livro da “lei de Moisés”e não nas tábuas de pedra, e assim sendo,eles são então “carnais”?? e Paulo? Paulo disse que a lei era espiritual, mas ele era carnal(Rm 7:14), então Paulo disse que seguia e cria na “lei carnal de Moisés”? é isso que devemos entender? Em Hb 9:10, o autor(provavelmente Paulo) diz que na lei haviam preceitos que não passavam de comidas, bebidas, e banhos literais (abluções)do corpo. A lei, mesmo espiritual(com seu espírito, sua essência, seu propósito), tinha preceitos rituais, externos, carnais; do mesmo modo que encontramos preceitos morais na mesma lei. Os exemplos citados acima provam isso.
    E o sr citou Rm 7, ok, agora preste atenção por favor: em Rm 7, será que Paulo fala de dois grupos de leis? Vamos fazer uma pequena análise:
    Romanos 7:4-7( com grifos meus)
    “Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, e deste modo frutifiquemos para Deus. Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei, operavam em nossos membros a fim de frutificarem para a morte. Agora porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.”
    Esta passagem claramente diz que morremos para a lei e estamos, portanto, “libertos da lei”. A lei de que Paulo falava incluía os dez mandamentos, porque no versículo 7 ele citou: “Não cobiçarás” como uma das leis.

    Analise as palavras de Paulo : Agora porém, libertados da lei, (NOTE QUE PAULO ESTÁ FALANDO DA MESMA LEI QUE ELE FALA NO INÍCIO,e SE MORREMOS P/ A LEI, ESTAMOS LIVRES DELA)estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. (SERÁ QUE AGORA PAULO FALA DE OUTRA LEI? MUDOU DE REPENTE DE LEI? NÃO, POIS VEMOS QUE SUAS PERGUNTAS REFEREM-SE AO QUE ELE DISSE ANTES. PAULO FAZ AS PERGUNTAS QUE OS SEUS LEITORES FARIAM E JÁ RESPONDE. ELE INDAGA :SE ESTAMOS LIVRES DA LEI, É PORQUE ELA ERA PECADO? CLARO QUE NÃO.) Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.” (SERÁ QUE PAULO MISTUROU TIPOS DE LEI DISTINTAS E ELE SABIA QUE SEUS LEITORES IRIAM SEPARA-LAS E ENTENDER ESSES VERSOS DO MODO COMO QUEREM OS ADVTS, SENDO QUE A BÍBLIA NUNCA TRATOU DA LEI DIVIDIDA?
    PAULO ESTÁ SEMPRE SE REFERINDO A UMA ÚNICA LEI: “… morrestes relativamente à lei… em realce pela lei… libertados da lei… É a lei pecado?…. por intermédio da lei…se a lei não dissera: Não cobiçarás.” PAULO mostra que “não cobiçarás” faz parte da lei da qual estamos livres..e onde estava escrito isso? Nas tábuas.

    – Ah, então podemos cobiçar? Lógico que não! mas nós não cobiçamos , não porque estava escrito nas pedras da antiga aliança, pois somos filhos da livre(Gal 4:31), da nova Aliança, e na Nova Aliança está escrito que isso é errado pois vai contra a lei régia: amar o próximo como a ti mesmo; o segundo mandamento-base, que guardava e trazia a novidade do Espírito.

    NEM PAULO, NEM NINGUÉM NA BÍBLIA, NUNCA FALOU EM LEI DE DEUS E LEI DE MOISÉS COMO SENDO 2 LEIS SEPARADAS.

    Caro Gilberto, dentro da Lei, nós encontramos regras e preceitos tanto morais como rituais, seja no livro, seja nas tábuas. Aliás, nos tempos Bíblicos, esse tipo de expressão: “moral”, “cerimonial”, não existia, todas as normas eram leis da thorá. É claro que nós observamos e entendemos que haviam normas e regras de caráter moral, e outras de caráter ritual, mas tal divisão como os advts alegam, não se apresenta na Bíblia.
    A Lei era espiritual? Sim, pois ela era Divina, veio de Deus, tinha o espírito e também a letra. Pelo que entendemos na Bíblia, no AT, seguia-se muito a letra da lei. E os preceitos rituais ilustram bem o que era seguir a lei na letra, e isso é carnal. As pessoas realizavam ofertas e holocaustos para ficarem “puros”, “limpos”, ou para tirar os pecados, mas isso não passava de rituais da carne e em nada trazia luz ao espírito, pois faziam isso sem verdadeira consciência de arrependimento e compreênção . Permanecer seguindo a letra da lei, opera a morte, pois é na nova fase do entendimento em novidade do espírito(Rm 7:6), a qual iniciou-se através do mediador Jesus Cristo, que se opera a vida. Veja só um exemplo: o sangue de um animal em nada me purifica, nem tira meus defeitos pecadores, mas enquanto eu estiver na minha ignorância de que aquele sangue derramado de animal vai me purificar do meus pecados, eu estou seguindo a letra, só na letra, na risca, sem entender o espírito da coisa. A partir do momento em eu percebo que aquilo é só externo, visual, ritual, e compreendo a ilustração, não matarei mais um animal. Ao invés de matar o animal , arrependo-me e busco não errar ne novo; procurando me corrigir por dentro; isso é entrar no espírito que a minha lei de matar bodes apontava e ilustrava.
    E também posso dar um exemplo de andar “moralmente” na letra da lei: a parábola do bom samaritano(Lc 10:30-37). Veja, naquele conto de Jesus, tanto um levita, como um mestre da Lei, não prestaram ajuda ao homem caído na beira da estrada, passando de largo. Mas qual dos 10 mandamentos da “lei moral”, eles transgrediram? Nenhum! Eles não roubaram…, não mataram…, guardavam o sábado…, não cobiçaram…não disseram falso testemunho…,não adulteraram…,não idolatraram…,etc. nos dez mandamentos não estava escrito “não omitirás ajuda ao teu próximo”, também não estava escrito: “terás compaixão do teu próximo”. Percebeu? “moralmente” eles não fizeram nada de errado, pois não transgrediram nenhum do 10 mdts. Mas na visão da nova aliança, eles transgrediram o 2º grande mandamento, de amar ao próximo como a ti mesmo. Que abrange todo e qualquer mandamento que exista, toda e qualquer atitude que exista, para amar o próximo como a ti mesmo
    (Rm 13:9). Os 10 mandamentos representavam o ministério da letra, o ministério da morte, com glória transitória. No ministério do espírito, a glória é maior e eterna(2 Cor 3:6-14) (Rm 8:2).

  9. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    11º – Porque Deus disse que uma lei não seria anulada e que outra lei seria cravada na cruz? (Mateus 5: 17-19), ( Colossenses 2: 14)

    Resposta: Prezado amigo, suas perguntas estão atreladas, baseadas em interpretações fechadas da sua igreja. Sua pergunta já diz que eram duas leis distintas, a sua pergunta diz, não a Bíblia. Seria como perguntar: “por que um tenista é chamado de Gustavo kürten, e o outro é chamado de Guga ?” este é um clássico exemplo de pura interpretação adventista.
    Mateus 5;17-20, acontece durante o sermão do monte, que começa em Mt 5:1, e vai até Mt 8:1.(confira) note que durante o seu discurso, Jesus: cita, completa, aprofunda, explica, muda, e faz observações sobre regras da lei que foram dadas aos antigos,(Ele podia fazer isso, pois é o filho de Deus e tem autoridade para isso) que tanto estavam nas tábuas de pedra, como no livro. Veja :
    -em Mt 5:21-26, Jesus fala sobre não matar………….que estava no decálogo.
    -em Mt 5:27-32, Jesus fala sobre não adulterar……..que estava no decálogo.
    -em Mt 5:33-37, Jesus fala sobre juramentos………..que estava no livro da lei.(Lv 19:12)(Nm 30:2)
    -em Mt 5:38-42, Jesus fala sobre vingança…………..que estava no livro da lei (Ex 21:24) (Deut 19:21)
    -em Mt 5:43-48 Jesus fala sobre o amor ao próximo…que estava no livro da lei (Lv 19:18).
    Note que Jesus começa a falar da Lei no verso 17, e logo no verso 21 Ele começa a citar preceitos(leis) da Lei. Repare também que Jesus citou mandamentos das tábuas e do livro; e todos de caráter moral. Com isso, vemos claramente que a lei da qual falava Jesus, e a moralidade que Ele ensinava, não era só das tábuas de pedra, Jesus se referia à lei como um todo.
    “Cumprir”…. isso significa que Jesus veio cumprir aquilo que a lei e os profetas(AT) diziam. Cumprir no sentido de cumprimento da promessa, cumprimento do dever, concluir o que tinha de ser concluído. Jesus nasceu sob a lei, viveu sob a lei, morreu pela lei, porque segundo a lei, Jesus blasfemava se auto denominando filho de Deus e profanava o sábado(João 5:18). E o fim da lei é Cristo(Rm 10;4). E assim cumpriu a Lei.
    “até que o Céu e a terra passem”….esse “até”, não está se referindo ao fim da terra e do Céu, até mesmo porque, a Bíblia nunca disse que o Céu, nem mesmo a terra acabaria.(mas mudaria). Esse “até”, não estava falando no sentido de tempo determinado, mas no sentido de não haver volta naquilo que foi dito ou prometido; tem o mesmo sentido quando alguém diz por exemplo: “até que um elefante azul caia na minha cabeça, eu não retiro o que disse!” ou então: “até que a galinha crie dentes, eu não te direi o que queres”. Portanto, até que o céu e a terra passem nada cairia da lei, até que tudo fosse cumprido.
    A Lei do A.T. era um jugo(submissão,opressão)que nem os antigos puderam suportar(Atos 15:10); foi o ministério da morte com glória transitória( 2 Cor 3:6-14),
    foi cravada na cruz, pois ali realizou-se seu pleno cumprimento, através do nosso salvador.
    A Lei não seria anulada, mas sim cumprida por Jesus Cristo . veja Lc 24:44:
    “…importava se cumprisse tudo que de mim está escrito na lei, nos profetas e nos salmos”

    Jesus não disse que a Lei permanecerá até que o céu e a Terra passem, mas até que tudo seja cumprido! A Lei e os profetas duraram até João (Lc 16.16,17). Nada cairia da Lei,até que a Lei e os profetas(leis e profecias do AT)tivessem a sua consumação.Isso dá conta da transitoriedade da Lei. Porém, ela só passaria depois do seu integral cumprimento. Visto que Jesus veio cumpri-la – e ele não falhou -, a Lei já passou. Jesus NÃO FALOU sobre uma duração perpétua da Lei, mas ao seu completo cumprimento (Lc 24.44; At 13.29; Rm 10.4; Cl 2.14-16).

  10. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    12º – Porque Deus disse que uma lei não seria mudada e nem anulada pela fé, e que outra lei sim seria cancelada? (Romanos 3: 31), (Efésios 2: 15)

    Resposta: Em Rm 3;31, a interpretação adventista diz que a lei que Paulo fala, são só os dez mandamentos das pedras. Mas para entendermos o contexto, devemos analisar desde o verso 19, quando Paulo começa a falar da lei nesse capítulo. Nessa passagem Paulo está dizendo que a lei é confirmada para dar o testemunho de que somos justificados pela fé, não pelas obras da lei, pois a lei dá o conhecimento do pecado, faz com que as pessoas saibam que são pecadoras (vrs 20-21).mas não basta só saber e reconhecer que é pecador, é preciso ter fé, pois através dela, podemos cair na graça de Deus. E no verso 31, Paulo está introduzindo o assunto do capt. 4, onde mostra que a lei tem valor, porque se entendida corretamente, ensina que Deus nos aceita por meio da fé, da crença, como se pode ver no exemplo de Abraão(Rm4:1-14). Se em Rm 3:31, Paulo está falando só da dita “lei moral”, o que dizer do verso 27 ao 30 ? Paulo diz que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei(a pessoa é aceita por Deus por meio da fé e salvo por sua graça, e não por fazer o que a lei manda.) agora pergunte aos adventistas se seremos justificados e salvos se não guardarmos o sábado, segundo a lei… E se for como querem os advts, quer dizer então que nos versos 27 ao 30 Paulo falava da lei cerimonial, e de repente, no verso 31, ele muda e fala da lei moral…??? sendo que nem Paulo, nem toda a Bíblia nunca falou em divisão de leis…E todos os leitores têm que entender assim? Paulo queria e sabia, que os leitores fariam essa divisão? Note que nos versos 27 e 28 Paulo fala de lei, no verso 29 ele fala de judeus e gentios, no verso 30 ele fala de circuncisão e incircuncisão, e aí no verso 31, a lei que se referia era o decálogo? Paulo na verdade falava da lei da antiga aliança, a lei teve seu valor, mas agora não estamos mais debaixo da lei, mas sim da graça, somos filhos da nova aliança, do novo testamento.(Rm 6:13-15) (2 cor 3:6-18). Outra coisa: por acaso Ef 2;15 diz que a lei seria anulada pela fé? O Sr compara uma passagem onde diz que a lei não seria anulada pela fé, com outra onde diz que Jesus desfez, derrubou a lei na sua carne, unindo os povos, judeus e não-judeus. Se o amigo mostrasse uma passagem onde diz que a lei seria anulada pela fé, comparando com outra onde diz que a lei não seria anulada pela fé, até teria coerência com sua interpretação, mas não foi o caso. Aliás, Paulo disse: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé” (Ef 2:8), “Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós” (Rm 4:16) “Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus” (Rm 5:2) “pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça”(Rm 6:14).,percebeu? Estamos na fase da graça, não mais na fase da lei. O que anulou a lei foi a graça da Nova Aliança, não apenas só a fé; a lei terminou no seu cumprimento, na sua conclusão.
    E tem mais: se a lei em questão, em Ef 2:15, era a dita “cerimonial”, veja que a passagem Ef 2:11-16, fala que a lei era um muro, uma parede de separação,uma diferença, uma inimizade entre judeus e gentios. E se essa inimizade era só a “lei cerimonial”, então o sábado, sendo de outra lei, da dita “lei moral”, não era uma diferença, não era uma parede de separação entre os dois povos, não criava inimizade, é isso? Então será que os gentios também guardavam o sábado, e também apedrejavam quem trabalhasse nele e etc? Ou então o sábado, como sendo da “lei moral”, então não criava separação, desunião, diferença e inimizade, então será que um gentio para dentro das portas de um Israelita, poderia trabalhar no sábado sem causar confusão,ou inimizade? Ou um gentio podia assar um leitão no meio do acampamento Israelita, pois essa lei era “de saúde”, não era a “cerimonial”, então isso não causava desunião, inimizade, e diferença…Será? Então seguindo o entendimento adventista, quando Paulo diz que na cruz, Cristo desfez a inimizade, a parede que separava, ou seja, a lei dos mandamentos, então nós temos que entender por exemplo, que o sábado e restrições alimentares não faziam nem causavam diferença, separação, desunião e inimizade entre judeus e gentios….!!??? ora, tenha dó, né, Sr Gilberto!
    Caro amigo, toda a Lei não foi dada aos gentios; Paulo diz (verso 12), que os gentios antes da Nova Aliança, estavam separados e não faziam parte das alianças com Deus. Percebeu sr Gilberto? Só o povo de Israel recebeu a lei(thorá) com todos seus preceitos, e não só a circuncisão, mas o sábado e as leis dietéticas causavam grande diferença, separação e inimizade.
    Outra coisa: grande parte dos adventistas sempre associa a palavra “mandamentos” que aparecem no NT, com o decálogo; falou em “mandamento”, já pensam nos dez das tábuas, mas quando a Bíblia diz lei dos mandamentos em Ef 2:15, ah…essa era só a “cerimonial”…. ora, Sr Gilberto,me desculpe mas, discordo do Sr.
    Ah, sim já ia esquecendo…a questão da palavra “ordenanças”. Nessa passagem de Ef 2:15, os adventistas sempre alegam que a lei em questão era a dita “lei cerimonial” devido estar escrito: lei que consistia em ordenanças. Mas, o que é uma ordenança? É uma norma, uma regra; e não especificamente uma regra cerimonial, como querem os adventistas.
    Analisemos: A palavra grega que foi traduzida por ordenanças em Col 2:14 e Ef 2:15, é Dogma. Mas essa palavra não é exclusiva para significar “lei cerimonial”. Essa palavra(Dogma), aparece outras 4 vezes no NT:
    -em Lc 2:1, ela é usada para😮 decreto(Dogma) de Cesar para registro e contagem do povo. Seria isso, algo da lei cerimonial?
    -em At 16:4, ela é usada para: a decisão(Dogma) que os apóstolos tomaram na reunião de Jerusalém. Eles pediram para os não-judeus não comerem sangue, animais estrangulados, animais oferecidos à ídolos e não praticarem imoralidade sexual. Essas regras foram necessárias para facilitar a convivência na Igreja entre judeus e não-judeus evitando escândalos. Essa decisão(Dogma) dos Apóstolos foi sábia e oportuna para a situação da época. Ela não teve um objetivo ritual, mas de trazer mais harmonia entre os dois povos.
    – em At 17:7, ela é usada novamente para: o decreto(Dogma) de César, decreto esse que afirmava existir somente um rei, o César. Decreto do imperador romano que afirmava existir só um rei, seria da “lei cerimonial” porque a palavra usada foi Dogma?
    – em Col 2:20, ela é usada para:ordenanças(Dogmatizo) realmente cerimoniais sem valor. mas note que aqui a palavra se apresenta diferente.
    Além disso, tem outras coisas; vemos em Lucas 2:39, que a palavra grega (traduzida por ordenanças)referindo-se aos ritos cerimoniais realizados não foi Dogma, foi Hapas.
    E em Hb 9:10, as ordenanças rituais são denominadas pela palavra Dikaioma. A palavra Dogma, não foi usada.
    E em Hb 7:18, a palavra grega traduzida por ordenança, foi Entole, e não Dogma. E nessa passagem, todo adventista afirma se tratar da dita “lei cerimonial”.
    Portanto, a palavra grega(Dogma) que aparece em Col 2:14 e Ef 2:15, não é exclusiva, e a Bíblia não mostra, que seja exclusiva para lei cerimonial.
    Outro detalhe importante: “ordenança” é uma tradução. Se vamos olhar para a tradução “ordenanças” e pensar em leis cerimoniais, como fica 1 Cor 7:19 ? Paulo diz que: o que vale é guardar as “ordenanças” de Deus(RA 2º edição). Os advts guardam essas ordenanças cerimoniais de Deus? Quais? E em Lc 2:39, é dito que foram cumpridas as “ordenanças” segundo a Lei do Senhor(RA 2º edição). Mas a lei do Senhor não é o decálogo, só com leis morais; como que “ordenanças” são da Lei do Senhor? (E lembro que a RA 2º edição, foi distribuída nas igrejas pelos próprios líderes adventistas para seus membros.)
    E para completar, a própria sra White chamou o sábado de “ordenança” veja:
    “Desta maneira indica o profeta a ordenança (ordinance) que tem estado esquecida: “Levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ão reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar. Se desviares o teu pé do sábado, e de fazer a tua vontade no Meu santo dia…” (o grande conflito pg 452-453)

    Mas sr Gilberto…o sábado não é “moral”? como que a sua “mensageira do Senhor” o chama de “ordenança”????
    Concluindo: a Lei sempre foi uma só, nunca dividida em moral, cerimonial, de saúde, civil, ou qualquer outra; isso é pura criação de líderes religiosos através dos tempos. a Bíblia nunca mostrou tal divisão. Analisando a Bíblia, o que podemos deduzir, é que a Lei (thorá) quando foi dada, ela tinha um único caráter, o moral de certo e errado; era certo seguir a Lei, (toda ela)e era errado não segui-la.

    Isto basta. Espero que o sr reflita… sr Gilberto.

    Fique na Paz .

    Décio – um Aprendiz de Cristão.

  11. Cristão livre diz:

    Mostre-me as respostas! Por favor! Em Nome da verdade! Sei que foram postadas!

    Então porque perguntas se não publicas as respostas?

    Beto.

  12. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    RESPONDENDO AS QUESTÕES:

    -1º por que Deus chamou uma lei de lei do Senhor e outra de lei de moisés? (Sl 1:2, 19:7) (rom 7:22)(Nee 8:1)

    Resposta: porque são sinônimos meu amigo, são sinônimos. É o mesmo caso de festas fixas do Senhor(lev 23:37)(lev 23:44), e festas dos judeus(João 5:1)(João 6:4) . confira na Bíblia e reflita meu caro: a páscoa era festa “dos judeus” ou era “do Senhor”? são sinônimos da mesma festa. E que tal essas passagens, veja:
    – em Lv 23:39 , a festa dos tabernáculos é festa do Senhor, e em João 7:2, a mesma festa é chamada de festa dos judeus…(confira). e quem são: o ungido, o messias, o cordeiro, o Rei dos reis, e o filho do homem? Todos são sinônimos de Jesus. são sinônimos meu caro amigo, sinônimos. E sobre a Lei, Existem muitos exemplos, vou mostrar alguns, veja:
    em Neemias 8:1, o livro é chamado de Livro da Lei de Moisés, e logo depois, nos versos 8 e 18, o livro é chamado de Livro da Lei de Deus. Agora veja esses exemplos de leis cerimoniais como sendo da lei do Senhor:

    Em Ex 13:9, separar o primogênito, era seguir a Lei do Senhor…
    Em 2 cro 31:3, holocaustos eram normas da Lei do Senhor…
    Em 2 cro 34:14, o livro é chamado de livro da Lei do Senhor…
    Em Lc 2:21-24, Lei de Moisés de sacrifícios é a mesma Lei do Senhor…
    Em Lc 2:39, ordenanças da Lei, são ditas como da Lei do Senhor…
    Em Nee 10:28-39, vários preceitos da “lei de Moisés”, são ditos como ordens da Lei do Senhor…

    Veja esses:
    Em Marcos 7:10, diz: “pois Moisés disse: honra teu pai e tua mãe; e quem maldisser ao seu pai ou sua mãe, morrerá.” (honrar pai e mãe é o quinto mandamento, está em EX 20:12. vemos nesta passagem,uma “lei de Deus”,e no entanto se diz que “Moisés disse”)

    Em Mateus 15:4, diz: “porque Deus ordenou: honra teu pai e tua mãe; e quem maldisser a seu pai ou sua mãe seja punido de morte.”(no quinto mandamento NÃO está escrito que quem maldisser seus pais deve ser punido com a morte, isso está no livro da Lei (lev 20:9) e no entanto se diz que “Deus ordenou.”)

    Em Marcos é lei de Moisés…em Mateus é lei de Deus….e ambas dizem a mesma coisa.

    Em Josué 23:6, o livro é chamado de Livro da lei de Moisés (besêpher torath mosheh)
    E logo em Josué 24:26, ele é dito como Livro da Lei de Deus(besêpher torath ‘elohiym )
    (veja e confirme no original hebráico).

    Reparou bem, sr Gilberto? Existia um Livro da Lei de Deus…. mas a “lei de Deus” não estava nas tábuas de pedra, e a “lei de Moisés” no livro? E o sr reparou nos exemplos acima onde é dito claramente que diversos preceitos rituais eram da Lei do Senhor ?

    -2º porque razão Deus chamou uma lei de lei real e outra de cédula de ordenança? (Tiago 2:8)(colss 2:14)?

    Resposta: porque a Lei literalmente em sua letra, era uma cédula de ordenanças, um documento de ordenação, um enorme conjunto de prescrições, regras e normas de tamanho jugo, que nem os antigos conseguiram suportar(At 15:9-10). Porque a letra mata, o espírito vivifica( 2 Cor 3:1-6) E Tiago chamou a norma de Lev 19:18 de lei real; ou lei régia, porque é o segundo mandamento-base de toda a toda Lei e os profetas; aqueles dois mandamentos: amar a Deus(Dt 6;5) e amar ao próximo como a ti mesmo(Lv 19:18), (que diga-se de passagem, é bem moral e não estava nas tábuas de pedra, mas no livro, fora da arca); representava o espírito da Lei, que é o amor, e não secamente a letra da Lei(Rm 7:6)(Gal 5:18). A Lei real, é a lei da liberdade, do espírito, a Lei do amor; essa é a Lei real, a Lei de Cristo, a Lei da Nova e Eterna Aliança. Não vivemos mais na era da letra da lei, mas em novidade no espírito da lei. Viver na letra, é seguir só as normas e regras escritas ao pé da letra da lei sem conhecer o sentido ou, o verdadeiro sentido, a intenção, a essência. Viver no espírito, é se aprofundar na verdadeira intenção da lei, é procurar viver dentro do contexto da mensagem, até mesmo às vezes, fazendo ou deixando de fazer coisas, que nem constam na letra da lei como permitido ou proibido; pois se tem o pleno conhecimento do espírito da lei. As escrituras nos dizem que onde há o Espírito de Deus aí há liberdade( 2 Cor 3:17); contudo, nos traz uma muito maior responsabilidade, porque o desejo revelado pelo Espírito, e que está por traz de toda lei escrita, é o AMOR, e o AMOR é um princípio proveniente da humildade e da submissão, pois é um mandamento. O AMOR foi revelado por Jesus como o espírito de toda a lei. (confuso? Se Quiser, posso posteriormente lhe esclarecer melhor.)

  13. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    -3º Por que Deus mostrou uma lei antes do pecado do homem e outra depois? (Rm 4:15) (Hb 10:1)

    Resposta: o sr quer dizer na pergunta que: a “lei moral” foi dada no Éden, e a lei “de Moisés” foi dada depois…é isso? Bom meu amigo, se é isso, desculpe-me Sr Gilberto, mas eu não consegui encontrar em Rm 4:15, Paulo dizendo que Deus mostrou, ou deu os dez mandamentos para Adão…. sinto muito, na minha opinião isso é equívoco de interpretação. Em Rm 4:13-25, pelo exemplo de Abraão, Paulo mostra que a pessoa é aceita por Deus por causa da fé, e segundo a graça. A promessa de Deus depende da fé e não da lei.(Rm 4:13-16) .E é claro que a lei não era imagem real das coisas(Hb 10:1), ela serviu de guia, tutor(aio) até que viesse Cristo, para que pela fé fôssemos justificados(Gal3:19-25).
    Paulo mostra que a lei suscita a ira de Deus, o castigo de Deus; e que onde não há lei, não há transgressão. Baseados nisso, muitos advts afirmam que Adão e Eva transgrediram a “lei de Deus”. Mas como que Deus iria dar a dita “lei moral” para Adão e Eva, se para saber e seguir tal lei, é necessário saber o que é comportamento moral; e para isso eles deveriam ter o conhecimento do bem e do mal, do certo e do errado, pois moralidade depende disso. Mas o casal não tinha esse conhecimento, pois Deus proibiu de comer do fruto do tal conhecimento(Gen 2:17). E pra que uma lei sobre pecados, se o pecado não existia? Uma lei referente a pecado, antes do pecado? Seria mais ou menos como colocar uma placa de trânsito, por exemplo do tipo: “proibido ultrapassar”, num vilarejo qualquer, nos tempos do antigo testamento; quando não existia automóveis, rodovias, trânsito de veículos automotores…ninguém tinha a menor idéia do que era tudo isso. Era exatamente como Paulo disse, onde não há lei, não há transgressão, e não havia lei sobre pecado porque no Éden não havia pecado. Adão e Eva não tinham conhecimento do bem e do mal, e não tinham logicamente conhecimento do que era pecado, eles viviam na mais profunda inocência, note que eles não sentiam, nem sabiam o que era vergonha(Gen 2:25); muito menos o que seria roubo, cobiça, adultério,inveja, ira, mentira… depois que comeram, começaram a ter conhecimento(Gen 3:7) Eles tomaram conhecimento do bem e do mal sendo enganados pela serpente, pois eles eram totalmente inocentes. Eles transgrediram a ordem de Deus sem intenção maléfica, pois nem sabiam o que era mal, eles pecaram não por intenção própria, mas por instruções da serpente, sem responsabilidade, sem consciência do que fizeram. Paulo disse em Rm 5:13, que antes da chegada da lei, o pecado estava no mundo mas o pecado não é imputado(não atribuído a alguém, não atribuída a responsabilidade) não tendo lei. “Porque até à lei estava o pecado no mundo, mas o pecado não é imputado, não havendo lei.” Outra tradução(atualizada) deixa bem claro: “porque antes da lei, o pecado já estava no mundo mas onde não não há lei, o pecado não é levado em conta” ou seja, o pecado de Adão e Eva não foi intencional, não pecaram porque quiseram pecar, pois pecar é errado, é mal, mas eles nem sabiam o que era isso, pois ainda não tinham comido do fruto do conhecimento. Como eles saberiam que desobedecer à Deus era mal, era errado, se eles não tinham o conhecimento do bem e do mal? Note que o casal nem sabia o que era enganar e mentir, e assim foi facilmente persuadido e seduzido pela astuta serpente(Gen 3:1-6). Eles pecaram? Sim, mas como ainda não havia lei, esse pecado não foi imputado. E se Adão e Eva transgrediram a “lei de Deus”; eu gostaria de saber qual dos 10 mandamentos eles transgrediram, pois a bíblia só mostra que eles quebraram a regra de não comer do fruto do conhecimento.
    Tudo aponta na Bíblia, para o fato de que, os dez mandamentos nunca existiram como um código formal de lei antes da época de Moisés. E se o sr acredita que as leis morais do decálogo estavam vigentes no Éden, isso tem um grave problema, por exemplo: Adão e Eva tinham que honrar pai e mãe? E no Éden, o único casal existente, tinha que se preocupar com adultério? Com quem? Cuidar para não cobiçar a casa ou o servo do próximo?(leia Êx 20:17). Os “servos” de Adão, o “estrangeiro” que estivesse no Éden, dentro das portas da “casa” de Adão, tinha que guardar o sábado? (leia Ex 20:10-11). Quando Deus fez a aliança e deu as tábuas do decálogo à Moisés, ficou claro que esta aliança não foi feita no Éden, nem com os patriarcas, leia Deut 5:2-3, veja o que é dito antes da citação dos dez mandamentos:
    – “Não com nossos pais fez o Senhor esta aliança, mas conosco, todos os que hoje aqui estamos vivos”.(Deut. 5:3)
    A única regra que Deus deu para o casal do Éden, foi que não comessem do fruto proibido; do fruto do conhecimento, ao comerem, adquiriram o conhecimento do certo e do errado, do Bem, e infelizmente também do mal, e aí o pecado entrou.

    -4º Por que a lei dos 10 mandamentos Deus mesmo as escreveu e a outra mandou que Moisés a escrevesse? (Ex 31:18) (Deut 31:9)

    Resposta: nas duas primeiras tábuas de pedra que foram quebradas (Ex 32:19), Deus escreveu as dez palavras, mas nas duas novas tábuas, que permaneceram , quem escreveu os dez mandamentos foi Moisés. Veja Ex 34:28:
    “E Moisés esteve ali com o Senhor quarenta dias e quarenta noites; não comeu pão, nem bebeu água, e escreveu nas tábuas as palavras do pacto, os dez mandamentos.” Quem esteve lá 40 dias, não comeu, não bebeu, e ESCREVEU nas tábuas? Moisés! Apesar de Deus dizer que Ele escreveria,(Ex 34:1), quem escreveu foi Moisés. Uma contradição? Lógico que não. Deus muitas vezes age através do seu escolhido, mas é Ele quem faz. Quando Moisés ordenou às rochas que lhes dessem água, e saiu água para o povo(Nm 20:8 ), quem fez sair água das pedras foi Moisés ou foi Deus? E quando atravessaram o mar vermelho, Deus mandou Moisés levantar o cajado e estender a mão sobre o mar, e ele se abriu(Ex 14:16). Quem abriu o mar foi Moisés ou foi Deus? Qualquer um vendo Moisés com seu cajado levantado e sua mão estendida para o mar, diria que foi Moisés quem o abriu, outros diriam que foi Moisés através do poder de Deus e outros ainda diriam que foi Deus através de Moisés. Então veja sr Gilberto, quem criou as dez palavras para Israel foi Deus, mas quem escreveu literalmente nas duas novas tábuas, foi Moisés. Um engenheiro pode dizer: -“fui eu quem fez aquele prédio” foi ele ou foram os pedreiros? Ele criou e orientou a obra, a responsabilidade e os méritos vão para o criador da obra, não para quem literalmente a fez.(leia João 4:1-2). Deus disse que escreveria, mas quem literalmente escreveu foi Moisés. Se você quer argumentar que as regras das placas de pedras são mais importantes e superiores, porque o próprio Deus as escreveu, lamento mas aquelas primeiras foram quebradas e as segundas placas , quem escreveu foi Moisés; então parece que as regras não eram tão importantes, ou perderam a superioridade, pois Moisés botou a mão, não é? Moisés escreveu nas duas novas placas que permaneceram e Moisés escreveu também no livro; tudo orientado por Deus. Ah, mas você ainda quer saber por que Deus literalmente escreveu diretamente nas duas primeiras tábuas? Isso a Bíblia não explica. Seria como perguntar: por que Deus apareceu no meio de um fogo numa sarça(espinheiro)?(Ex 3:2) por que não num cactos, ou oliveira? E por que Deus usou uma coluna de nuvem para guiar o povo(Ex 13:21) ? não podia ser uma seta de arco-íris? Um cometa vermelho? Amigo Gilberto, a Bíblia não diz nem deixa a entender que as leis das tábuas de pedra eram mais importantes ou superiores que outras leis do livro. E para provar isso, veja a passagem de João 7:22-23, ali mostra que os judeus praticavam a circuncisão no sábado. E isso não lhe é estranho? No sábado não podia catar lenha(Num 15:32-36 ), não podia acender fogo(Ex 35;3 ), não podia carregar materiais(Jr 17:21-22 ), nem caminhar certas distâncias(At 1:12 ),nem mesmo tratar doentes(Lc 13:14 ), mas uma lei cerimonial de Moisés(circuncisão), podia. E isso nos faz pensar: se realmente existiam a “lei de Moisés” e a “lei de Deus”, e se essa última era considerada mais importante e superior, porque foi Deus quem escreveu, foi escrito em pedras, ficava dentro da arca, era perfeita, era santa, era eterna, como que o povo de Deus colocou a circuncisão acima do sábado? Uma lei do livro, fora da arca, não declarada como perfeita ou eterna, uma lei “de Moisés” acima de uma “lei de Deus”? Analise sr Gilberto, se os Israelitas faziam essa distinção de leis, eles deixariam para circuncisar as crianças no dia seguinte, pois jamais eles colocariam a dita “lei de Moisés”(inferior) acima da dita “lei de Deus”(superior).

  14. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    -5º Por que Deus escreveu os dez mandamentos em pedra e mandou Moisés escrever o restante nos rolos?(Ex 31:18) (Deut. 31:24)

    Resposta: conforme já dito anteriormente, Moisés também escreveu nas tábuas de pedra. E o fato do decálogo ter sido escrito em pedra, não prova que suas leis fossem mais importantes que outras.
    A Bíblia nunca explicou ou deixou claro diretamente, mas De acordo com o costume daquela época, por vezes, qualquer contrato solene ou aliança era firmado selecionando algum objeto como “testemunha” ou “testemunho” daquele acordo. Foi assim que Jacó ergueu um pilar como uma testemunha de seu voto para com o Deus de seus pais (Gênesis 28.18). Mais tarde este mesmo Jacó fez com Labão uma aliança e ergueram um montão de pedras como testemunha disto (Gênesis 31:48). Abraão reservou sete cordeiros como ” uma testemunha ” da aliança dele com Abimeleque (Gênesis 21:27-30). Analisando então o histórico cultural bíblico, podemos perceber que Deus deu as tábuas de pedra a Israel como “testemunha” ou testemunho, um marco representativo daquela aliança. As tábuas eram chamadas de tábuas do testemunho (Ex 31:18), a arca na qual elas foram postas, era a arca do testemunho(Ex 40:5), e o tabernáculo onde a arca foi posta era chamado de tabernáculo do testemunho(Ex 38:21). Tanto as tábuas, a arca e a tenda sagrada (onde ficava também o livro), foram chamados “do testemunho”e em momento algum é dito na bíblia que as leis das pedras eram superiores. Agora, se o fato daquilo que foi escrito nas pedras são superiores e mais importantes, analise meu caro: então quer dizer que: se eu não cobiçar o cortador de grama do meu vizinho, isso é mais importante, mais sublime, moralmente mais nobre e superior do que eu perdoar uma grave ofensa, (uma grande mágoa guardada por 15 anos), causada pelo meu irmão? Então É isso que devo entender, sim, porque no decálogo está escrito o mandamento moral e superior: “não cobiçarás”, mas não existe o mandamento moral e superior do perdão… e eu já ouvi alguns advts afirmarem que os 10 mandamentos é que conduzem a vida moral do cristão…mas é essa a orientação “moral” que o cristão deve ter? sem perdão? Aposto que o amigo perdoa…mas perdoar sendo bem moral e uma enorme forma de demonstrar e praticar o amor ao próximo…nós não encontramos no decálogo. Se o fato daquilo que está escrito nas pedras é mais importante e superior, Jesus teria dito : “destes 10 mandamentos das pedras dependem toda a Lei e os profetas” . Mas não, Ele não disse isso.

    6º – Por que Deus mandou colocar 10 mandamentos dentro da arca e mandou que deixasse as outras 603 leis fora da arca? (Deut.10:5) (Deut 31:26)

    Resposta: Dentro da arca, fora da arca…meu caro amigo, a Bíblia nunca relatou que aquilo que estivesse dentro da arca seria superior. A arca era chamada da arca da aliança, as tábuas também eram chamadas de tábuas da aliança, e também o livro era chamado de livro da aliança…tudo da mesma aliança. E nunca foi dito que aquilo ou isso era mais importante ou superior devido estar dentro ou fora da arca. Isso nada prova sr Gilberto; note por exemplo que na Bíblia, temos passagens que chamam as tábuas de pedra de “tábuas da Alinça”(Deut. 9:9) (Deut 9:11) (Deut 9:15) e outras que chamam também o livro de “Livro da Aliança” (Ex 24:7) (2 Reis 23:2) (2 Reis 23:21) (2 Cro 34:30) [almeida corrigida – fiel] e no Livro fora da arca, assim como nas tábuas, também estavam escritos os 10 mandamentos. Meu amigo Gilberto, analise: quando perguntaram para Jesus: “mestre, qual é o maior mandamento da Lei?” Jesus por acaso perguntou: “de qual lei se referes? Da lei de Deus gravadas nas pedras, ou da Lei de Moisés escrita no livro?” não, Jesus não perguntou isso, e já respondeu de bate-pronto: “amarás teu Deus de todo coração e toda tua alma (Deut 6:5) e amarás teu próximo como a ti mesmo”(Lev 19:18) ; e completou: “destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas”(Mt 22:36-40). Veja meu caro, os dois mandamentos mais consagrados pelo próprio Jesus Cristo, que são BEM MORAIS, foram escritos fora das tábuas de pedra e ficavam fora da arca. Daí vem uns adventistas com o argumento que Jesus tinha resumido os dez mandamentos em dois…, e também alegando: “ah, mas se eu amo meu próximo, eu não mato, não roubo, não minto, não cobiço”…etc. Mas,…se esses dois mandamentos do amor são os dez resumidos, (e pelo que sei, resumo é mostrar a mensagem principal, o núcleo de um texto, é o contexto da coisa, )por que, que o decálogo na íntegra nada fala de AMAR? Quer dizer que: resumido ele representa o pleno amor…mas detalhado, aberto, íten por íten, na íntegra, ele só tem oito proibições e duas orientações, e sem em momento algum, dizer AME. Pois é… se você ama teu próximo você não mata, não rouba, não cobiça,…mas também então não precisa ser solidário, não precisa ter compaixão, pode debochar de alguém, humilhar o próximo, quebrar o que é do próximo(sem cobiça),ser orgulhoso, ser ganancioso, e não precisa perdoar…porque nada disso é relatado nas pedras…?. NÃO, meu amigo, Jesus não resumiu os dez mandamentos em dois…, é o contrário, o decálogo é que contêm algumas, de todas as regras e leis de comportamento sobre amar que se resumem naqueles dois principais mandamentos. Esses dois mandamentos já abrangem tudo sobre o amor. Se você amar teu próximo como a ti mesmo, você fará de tudo para construir um bom relacionamento, tudo com boa intenção, e não fará nada de mal ao próximo que você não queira para você mesmo. Pode um cristão amar o próximo como a ti mesmo na íntegra, sem misericórdia? Mas onde está o mandamento da misericórdia nas tábuas de pedra? Agora, se o caso é, de algo ser superior porque estava dentro da arca, nós vemos que além das placas de pedra, dentro da arca também estavam um maná e a vara de Arão(Heb 9:4).Bom, se for assim, devemos então também deduzir que o maná e o florescimento e os frutos da vara de Arão, foram milagres superiores à outros? A abertura do mar vermelho, por exemplo, pelo visto então, não foi tão importante não é, pois não se guardou nenhum frasco com água do mar vermelho dentro da arca… e as duas leis maiores , que falam claramente do Amor, que são muito citadas na Nova Aliança, ficavam fora da arca, escritas naquela dita “lei de Moisés” fora das tábuas de pedra…veja, os mandamentos do Amor ficavam fora da arca…

  15. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    7º- por que Deus chamou uma lei de lei perfeita e outra de lei que não aperfeiçoa nada?(Salmo 19:7) (Hb 7:19)
    Resposta: com todo o respeito sr Gilberto,essa sua pergunta(á exemplo de outras) é indusiva; o sr cria uma comparação entre características da mesma e única Lei; deixando a entender que fossem duas leis separadas. E a sua comparação é confusa e sem sentido. Uma comparação equilibrada seria comparar algo perfeito com algo imperfeito, ou, algo que aperfeiçoa com algo que não aperfeiçoa. Comparar uma coisa perfeita com outra coisa que não aperfeiçoa é estranho e sem nexo. É como comparar conhaque de alcatrão com catraca de canhão; nada haver.
    O salmista disse que a lei era perfeita…e eu não duvido. A lei (thorá) foi perfeita para, e durante a antiga aliança, que nos serviu de aio, até que viesse a promessa. Uma coisa pode ser perfeita para ,ou durante um período, mas isso não quer dizer que por ser perfeita não teria término; terminado seu tempo, termina sua utilidade. “aquilo que se desvanecia está prestes a desaparecer”(Hb 8;13).a lei na antiga aliança era perfeita, mas que, na Nova Aliança, não trazia melhoramentos, não aperfeiçoou. Sr Gilberto, se essa lei perfeita a qual o salmista que refere é a “lei moral” a lei dos 10 mandamentos, analise por favor: pode um cristão ter uma conduta moral praticando a pedofilia? No decálogo existe o mandamento proibindo o adultério, mas não existe o mandamento que proíbe um solteiro assediar sexualmente uma criança. Isso é perfeito? Essa é a lei perfeita? Sem o mandamento da compaixão, sem o mandamento do perdão, sem o mandamento da misericórdia… Reflita….

    8º- Por que Deus chamou uma lei de lei eterna e outra de lei transitória? (Slm 111:7-8) (Hb 10:1)

    Resposta: cabe Aqui uma pergunta: que mandamentos são esses a qual o Salmo se refere? Seriam só os 10 mandamentos das tábuas de pedra? Verifiquemos então: diversos preceitos cerimoniais foram ditos nas sagradas escrituras como sendo eternos ou perpétuos; exemplos: a circuncisão(Gen 17:12-13), a páscoa(Ex 12:11-17), a festa dos tabernáculos(Lev 23:41). Do mesmo modo, várias dessas leis cerimoniais também foram declaradas como sendo da Lei de Deus ou da lei do Senhor, exemplos: holocaustos e ofertas nas solenidades(2 Cro 31:3), consagrar o primogênito(Ex 13:9), par de rolas no oitavo dia ( Lev 15:29 ), com isso, analisemos: Se for como os advts alegam, se o Salmista estava se referindo só ao decálogo, então ele, o Salmista, sendo leitor e escritor das sagradas escrituras, lendo e sabendo que diversas leis rituais foram declaradas perpétuas e , ou, da lei de Deus, ele escreve, “que TODOS os seus mandamentos(ou preceitos)duram para sempre”, e nessa declaração, ele se referia somente ao decálogo? Então o Salmista sabia que só a “Lei Moral”, os dez mandamentos, é que era eterna; e sendo só o decálogo eterno, logicamente então ele sabia que o restante, os preceitos cerimoniais eram transitórios,(e isso muito antes do NT, muito antes do Apst. Paulo declarar que aquilo era transitório!?). No tempo do Salmista, no AT, ninguém declarou na Bíblia sobre lei ser transitória. Continuando, então o Salmista sabia a diferença de “moral” e “cerimonial”, sabia que a “lei cerimonial” era passageira, mesmo as próprias escrituras afirmando que preceitos rituais eram perpétuos, ele sabia que eram transitórios; e mesmo assim, ele não explica isso, ele diz tão somente que todos os preceitos ou mandamentos de Deus são eternos, colaborando assim, com as citações bíblicas, de que ritos cerimoniais eram eternos e faziam parte da lei de Deus. E todos os leitores na época, liam que guardar o primogênito era da lei do Senhor…, liam que sacrifícios eram da lei do Senhor…, liam também que a páscoa era eterna…, liam que a circuncisão era eterna…, mas quando liam o salmo 111:7-8 , todos tinham que entender, que todos aqueles mandamentos eternos se tratava só do decálogo!!??? Ora, senhor Gilberto….faça-me o favor…Deus não é de confusão!(1 Cor 14:33) Alegar que o Salmo 111:7-8 referia-se só ao decálogo é ilógico, pois para deduzir isso era necessário saber que havia uma tal “lei cerimonial” transitória, mas tal interpretação adventista só foi possível, com a citação Bíblica sobre a lei ser transitória, e a citação Bíblica de que a lei era transitória só ocorreu muitos séculos depois no NT. No tempo do Salmista não existia nas escrituras passagens que dissessem que a lei, ou alguma certa lei como sendo transitória; nem existia Novo Testamento…o contexto histórico bíblico do AT deixa claro que o Salmo não se referia só ao decálogo. E note que mesmo no início do Evangelho, o Evangelista Lucas cita leis rituais como sendo da lei do Senhor(Lc 2:24). Então como que esse salmo estava se referindo só ao decálogo? Desculpe, mas não concordo.

  16. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    9º – Por que Deus chamou uma lei de santa e outra que nada santifica ? (Rm 7:12) (Hb 10:1)

    Resposta: meu amigo Gilberto, Deus não chamou uma lei de santa e outra que nada santifica, a Bíblia diz que a Lei era santa, mas que nada santificava. Essa sua questão é mais um argumento baseado na interpretação de divisão de Lei, criada pelos adventistas pioneiros, a sra White e cia Ltda. Muito perecida com a 7º questão, nesta, o sr apresenta uma comparação sem sentido. Seria como dizer: “uma janela é pintada, e a outra janela não pinta nada”. Veja que comparação estranha e confusa. Uma janela, pintada ou não, claro que não pinta nada, quem pinta é a pessoa. Você compara algo santo, com algo que não santifica; ambas as coisas(supondo que fossem duas), são criações, nada santificam, quem santifica algo diretamente ou indiretamente é o criador, é Deus(Lev 21:6-8). E pelo que sei, a Bíblia nunca disse que os dez mandamentos santificavam algo, ou alguém. A lei (a thorá)era santa? Lógico, porque veio de Deus, mas nada santifica porque é Deus quem santifica algo.
    E baseado nessa sua forma de criar esse tipo de perguntas, eu também posso perguntar, por exemplo:
    – por que Deus valorizou uma circuncisão como sendo sinal eterno da aliança (Gen 17:9-13), e outra disse que nada valia e nada era?(Gal 5:6)(1Cor 7:19)?
    – por que Deus chamou umas solenidades de estatutos perpétuos(lev 23:41) e outras de sombras de coisas futuras(Cols 2:16-17 )?
    – por que Deus proibiu carregar cargas no sábado do AT( Jr 17:21-22 ), e no sábado do NT permitiu carregar(Jô 5: 8-13)?
    Viu sr Gilberto, através da sua maneira adventista de ver as coisas, de ver duas leis, eu também criei duas circuncisões da carne, dois grupos de solenidades, dois sábados….

    10º Por que Deus chamou uma lei de espiritual e outra de carnal? (Rm 7:14) (Hb 9:10)

    Resposta: Novamente, comparações entre características que haviam dentro da mesma e única Lei. O sr quer dizer então que a “lei carnal” era a “lei de Moisés”(lei do livro)certo? Bom, então leia com atenção:
    – Ex 22:22: a nenhuma viúva nem órfão afligireis.
    – Ex 22:21: não afligirás o forasteiro, nem o oprimirás…
    – Lev 19:17: não aborrecerás teu irmão no teu íntimo…
    – Lev 19:14: não amaldiçoarás o surdo, nem porás tropeço diante do cego; mas temerás o teu Deus.
    Sem citar Deut. 6:5, e Lev 19:18 , que dispensam comentários, começarei a lhe responder com uma pergunta: será que os mandamentos acima não são morais, porque estavam no Livro da “lei de Moisés”e não nas tábuas de pedra, e assim sendo,eles são então “carnais”?? e Paulo? Paulo disse que a lei era espiritual, mas ele era carnal(Rm 7:14), então Paulo disse que seguia e cria na “lei carnal de Moisés”? é isso que devemos entender? Em Hb 9:10, o autor(provavelmente Paulo) diz que na lei haviam preceitos que não passavam de comidas, bebidas, e banhos literais (abluções)do corpo. A lei, mesmo espiritual(com seu espírito, sua essência, seu propósito), tinha preceitos rituais, externos, carnais; do mesmo modo que encontramos preceitos morais na mesma lei. Os exemplos citados acima provam isso.
    E o sr citou Rm 7, ok, agora preste atenção por favor: em Rm 7, será que Paulo fala de dois grupos de leis? Vamos fazer uma pequena análise:
    Romanos 7:4-7( com grifos meus)
    “Assim, meus irmãos, também vós morrestes relativamente à lei, por meio do corpo de Cristo, para pertencerdes a outro, a saber, aquele que ressuscitou dentre os mortos, e deste modo frutifiquemos para Deus. Porque, quando vivíamos segundo a carne, as paixões pecaminosas postas em realce pela lei, operavam em nossos membros a fim de frutificarem para a morte. Agora porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.”
    Esta passagem claramente diz que morremos para a lei e estamos, portanto, “libertos da lei”. A lei de que Paulo falava incluía os dez mandamentos, porque no versículo 7 ele citou: “Não cobiçarás” como uma das leis.

    Analise as palavras de Paulo : Agora porém, libertados da lei, (NOTE QUE PAULO ESTÁ FALANDO DA MESMA LEI QUE ELE FALA NO INÍCIO,e SE MORREMOS P/ A LEI, ESTAMOS LIVRES DELA)estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra. Que diremos pois? É a lei pecado? De modo nenhum. (SERÁ QUE AGORA PAULO FALA DE OUTRA LEI? MUDOU DE REPENTE DE LEI? NÃO, POIS VEMOS QUE SUAS PERGUNTAS REFEREM-SE AO QUE ELE DISSE ANTES. PAULO FAZ AS PERGUNTAS QUE OS SEUS LEITORES FARIAM E JÁ RESPONDE. ELE INDAGA :SE ESTAMOS LIVRES DA LEI, É PORQUE ELA ERA PECADO? CLARO QUE NÃO.) Mas eu não teria conhecido o pecado, senão por intermédio da lei; pois não teria eu conhecido a cobiça, se a lei não dissera: Não cobiçarás.” (SERÁ QUE PAULO MISTUROU TIPOS DE LEI DISTINTAS E ELE SABIA QUE SEUS LEITORES IRIAM SEPARA-LAS E ENTENDER ESSES VERSOS DO MODO COMO QUEREM OS ADVTS, SENDO QUE A BÍBLIA NUNCA TRATOU DA LEI DIVIDIDA?
    PAULO ESTÁ SEMPRE SE REFERINDO A UMA ÚNICA LEI: “… morrestes relativamente à lei… em realce pela lei… libertados da lei… É a lei pecado?…. por intermédio da lei…se a lei não dissera: Não cobiçarás.” PAULO mostra que “não cobiçarás” faz parte da lei da qual estamos livres..e onde estava escrito isso? Nas tábuas.

    – Ah, então podemos cobiçar? Lógico que não! mas nós não cobiçamos , não porque estava escrito nas pedras da antiga aliança, pois somos filhos da livre(Gal 4:31), da nova Aliança, e na Nova Aliança está escrito que isso é errado pois vai contra a lei régia: amar o próximo como a ti mesmo; o segundo mandamento-base, que guardava e trazia a novidade do Espírito.

    NEM PAULO, NEM NINGUÉM NA BÍBLIA, NUNCA FALOU EM LEI DE DEUS E LEI DE MOISÉS COMO SENDO 2 LEIS SEPARADAS.

    Caro Gilberto, dentro da Lei, nós encontramos regras e preceitos tanto morais como rituais, seja no livro, seja nas tábuas. Aliás, nos tempos Bíblicos, esse tipo de expressão: “moral”, “cerimonial”, não existia, todas as normas eram leis da thorá. É claro que nós observamos e entendemos que haviam normas e regras de caráter moral, e outras de caráter ritual, mas tal divisão como os advts alegam, não se apresenta na Bíblia.
    A Lei era espiritual? Sim, pois ela era Divina, veio de Deus, tinha o espírito e também a letra. Pelo que entendemos na Bíblia, no AT, seguia-se muito a letra da lei. E os preceitos rituais ilustram bem o que era seguir a lei na letra, e isso é carnal. As pessoas realizavam ofertas e holocaustos para ficarem “puros”, “limpos”, ou para tirar os pecados, mas isso não passava de rituais da carne e em nada trazia luz ao espírito, pois faziam isso sem verdadeira consciência de arrependimento e compreênção . Permanecer seguindo a letra da lei, opera a morte, pois é na nova fase do entendimento em novidade do espírito(Rm 7:6), a qual iniciou-se através do mediador Jesus Cristo, que se opera a vida. Veja só um exemplo: o sangue de um animal em nada me purifica, nem tira meus defeitos pecadores, mas enquanto eu estiver na minha ignorância de que aquele sangue derramado de animal vai me purificar do meus pecados, eu estou seguindo a letra, só na letra, na risca, sem entender o espírito da coisa. A partir do momento em eu percebo que aquilo é só externo, visual, ritual, e compreendo a ilustração, não matarei mais um animal. Ao invés de matar o animal , arrependo-me e busco não errar ne novo; procurando me corrigir por dentro; isso é entrar no espírito que a minha lei de matar bodes apontava e ilustrava.
    E também posso dar um exemplo de andar “moralmente” na letra da lei: a parábola do bom samaritano(Lc 10:30-37). Veja, naquele conto de Jesus, tanto um levita, como um mestre da Lei, não prestaram ajuda ao homem caído na beira da estrada, passando de largo. Mas qual dos 10 mandamentos da “lei moral”, eles transgrediram? Nenhum! Eles não roubaram…, não mataram…, guardavam o sábado…, não cobiçaram…não disseram falso testemunho…,não adulteraram…,não idolatraram…,etc. nos dez mandamentos não estava escrito “não omitirás ajuda ao teu próximo”, também não estava escrito: “terás compaixão do teu próximo”. Percebeu? “moralmente” eles não fizeram nada de errado, pois não transgrediram nenhum do 10 mdts. Mas na visão da nova aliança, eles transgrediram o 2º grande mandamento, de amar ao próximo como a ti mesmo. Que abrange todo e qualquer mandamento que exista, toda e qualquer atitude que exista, para amar o próximo como a ti mesmo
    (Rm 13:9). Os 10 mandamentos representavam o ministério da letra, o ministério da morte, com glória transitória. No ministério do espírito, a glória é maior e eterna(2 Cor 3:6-14) (Rm 8:2).

  17. Décio - um Aprendiz de Cristão. diz:

    11º – Porque Deus disse que uma lei não seria anulada e que outra lei seria cravada na cruz? (Mateus 5: 17-19), ( Colossenses 2: 14)

    Resposta: Prezado amigo, suas perguntas estão atreladas, baseadas em interpretações fechadas da sua igreja. Sua pergunta já diz que eram duas leis distintas, a sua pergunta diz, não a Bíblia. Seria como perguntar: “por que um tenista é chamado de Gustavo kürten, e o outro é chamado de Guga ?” este é um clássico exemplo de pura interpretação adventista.
    Mateus 5;17-20, acontece durante o sermão do monte, que começa em Mt 5:1, e vai até Mt 8:1.(confira) note que durante o seu discurso, Jesus: cita, completa, aprofunda, explica, muda, e faz observações sobre regras da lei que foram dadas aos antigos,(Ele podia fazer isso, pois é o filho de Deus e tem autoridade para isso) que tanto estavam nas tábuas de pedra, como no livro. Veja :
    -em Mt 5:21-26, Jesus fala sobre não matar………….que estava no decálogo.
    -em Mt 5:27-32, Jesus fala sobre não adulterar……..que estava no decálogo.
    -em Mt 5:33-37, Jesus fala sobre juramentos………..que estava no livro da lei.(Lv 19:12)(Nm 30:2)
    -em Mt 5:38-42, Jesus fala sobre vingança…………..que estava no livro da lei (Ex 21:24) (Deut 19:21)
    -em Mt 5:43-48 Jesus fala sobre o amor ao próximo…que estava no livro da lei (Lv 19:18).
    Note que Jesus começa a falar da Lei no verso 17, e logo no verso 21 Ele começa a citar preceitos(leis) da Lei. Repare também que Jesus citou mandamentos das tábuas e do livro; e todos de caráter moral. Com isso, vemos claramente que a lei da qual falava Jesus, e a moralidade que Ele ensinava, não era só das tábuas de pedra, Jesus se referia à lei como um todo.
    “Cumprir”…. isso significa que Jesus veio cumprir aquilo que a lei e os profetas(AT) diziam. Cumprir no sentido de cumprimento da promessa, cumprimento do dever, concluir o que tinha de ser concluído. Jesus nasceu sob a lei, viveu sob a lei, morreu pela lei, porque segundo a lei, Jesus blasfemava se auto denominando filho de Deus e profanava o sábado(João 5:18). E o fim da lei é Cristo(Rm 10;4). E assim cumpriu a Lei.
    “até que o Céu e a terra passem”….esse “até”, não está se referindo ao fim da terra e do Céu, até mesmo porque, a Bíblia nunca disse que o Céu, nem mesmo a terra acabaria.(mas mudaria). Esse “até”, não estava falando no sentido de tempo determinado, mas no sentido de não haver volta naquilo que foi dito ou prometido; tem o mesmo sentido quando alguém diz por exemplo: “até que um elefante azul caia na minha cabeça, eu não retiro o que disse!” ou então: “até que a galinha crie dentes, eu não te direi o que queres”. Portanto, até que o céu e a terra passem nada cairia da lei, até que tudo fosse cumprido.
    A Lei do A.T. era um jugo(submissão,opressão)que nem os antigos puderam suportar(Atos 15:10); foi o ministério da morte com glória transitória( 2 Cor 3:6-14),
    foi cravada na cruz, pois ali realizou-se seu pleno cumprimento, através do nosso salvador.
    A Lei não seria anulada, mas sim cumprida por Jesus Cristo . veja Lc 24:44:
    “…importava se cumprisse tudo que de mim está escrito na lei, nos profetas e nos salmos”

    Jesus não disse que a Lei permanecerá até que o céu e a Terra passem, mas até que tudo seja cumprido! A Lei e os profetas duraram até João (Lc 16.16,17). Nada cairia da Lei,até que a Lei e os profetas(leis e profecias do AT)tivessem a sua consumação.Isso dá conta da transitoriedade da Lei. Porém, ela só passaria depois do seu integral cumprimento. Visto que Jesus veio cumpri-la – e ele não falhou -, a Lei já passou. Jesus NÃO FALOU sobre uma duração perpétua da Lei, mas ao seu completo cumprimento (Lc 24.44; At 13.29; Rm 10.4; Cl 2.14-16).

    12º – Porque Deus disse que uma lei não seria mudada e nem anulada pela fé, e que outra lei sim seria cancelada? (Romanos 3: 31), (Efésios 2: 15)

    Resposta: Em Rm 3;31, a interpretação adventista diz que a lei que Paulo fala, são só os dez mandamentos das pedras. Mas para entendermos o contexto, devemos analisar desde o verso 19, quando Paulo começa a falar da lei nesse capítulo. Nessa passagem Paulo está dizendo que a lei é confirmada para dar o testemunho de que somos justificados pela fé, não pelas obras da lei, pois a lei dá o conhecimento do pecado, faz com que as pessoas saibam que são pecadoras (vrs 20-21).mas não basta só saber e reconhecer que é pecador, é preciso ter fé, pois através dela, podemos cair na graça de Deus. E no verso 31, Paulo está introduzindo o assunto do capt. 4, onde mostra que a lei tem valor, porque se entendida corretamente, ensina que Deus nos aceita por meio da fé, da crença, como se pode ver no exemplo de Abraão(Rm4:1-14). Se em Rm 3:31, Paulo está falando só da dita “lei moral”, o que dizer do verso 27 ao 30 ? Paulo diz que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei (a pessoa é aceita por Deus por meio da fé e salvo por sua graça, e não por fazer o que a lei manda.) agora pergunte aos adventistas se seremos justificados e salvos se não guardarmos o sábado, segundo a lei… E se for como querem os advts, quer dizer então que nos versos 27 ao 30 Paulo falava da lei cerimonial, e de repente, no verso 31, ele muda e fala da lei moral…??? sendo que nem Paulo, nem toda a Bíblia nunca falou em divisão de leis…E todos os leitores têm que entender assim? Paulo queria e sabia, que os leitores fariam essa divisão? Note que nos versos 27 e 28 Paulo fala de lei, no verso 29 ele fala de judeus e gentios, no verso 30 ele fala de circuncisão e incircuncisão, e aí no verso 31, a lei que se referia era o decálogo? Paulo na verdade falava da lei da antiga aliança, a lei teve seu valor, mas agora não estamos mais debaixo da lei, mas sim da graça, somos filhos da nova aliança, do novo testamento.(Rm 6:13-15) (2 cor 3:6-18). Outra coisa: por acaso Ef 2;15 diz que a lei seria anulada pela fé? O Sr compara uma passagem onde diz que a lei não seria anulada pela fé, com outra onde diz que Jesus desfez, derrubou a lei na sua carne, unindo os povos, judeus e não-judeus. Se o amigo mostrasse uma passagem onde diz que a lei seria anulada pela fé, comparando com outra onde diz que a lei não seria anulada pela fé, até teria coerência com sua interpretação, mas não foi o caso. Aliás, Paulo disse: “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé” (Ef 2:8), “Portanto, é pela fé, para que seja segundo a graça, a fim de que a promessa seja firme a toda a posteridade, não somente à que é da lei, mas também à que é da fé que teve Abraão, o qual é pai de todos nós” (Rm 4:16) “Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus” (Rm 5:2) “pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça”(Rm 6:14).,percebeu? Estamos na fase da graça, não mais na fase da lei. O que anulou a lei foi a graça da Nova Aliança, não apenas só a fé; a lei terminou no seu cumprimento, na sua conclusão.
    E tem mais: se a lei em questão, em Ef 2:15, era a dita “cerimonial”, veja que a passagem Ef 2:11-16, fala que a lei era um muro, uma parede de separação,uma diferença, uma inimizade entre judeus e gentios. E se essa inimizade era só a “lei cerimonial”, então o sábado, sendo de outra lei, da dita “lei moral”, não era uma diferença, não era uma parede de separação entre os dois povos, não criava inimizade, é isso? Então será que os gentios também guardavam o sábado, e também apedrejavam quem trabalhasse nele e etc? Ou então o sábado, como sendo da “lei moral”, então não criava separação, desunião, diferença e inimizade, então será que um gentio para dentro das portas de um Israelita, poderia trabalhar no sábado sem causar confusão,ou inimizade? Ou um gentio podia assar um leitão no meio do acampamento Israelita, pois essa lei era “de saúde”, não era a “cerimonial”, então isso não causava desunião, inimizade, e diferença…Será? Então seguindo o entendimento adventista, quando Paulo diz que na cruz, Cristo desfez a inimizade, a parede que separava, ou seja, a lei dos mandamentos, então nós temos que entender por exemplo, que o sábado e restrições alimentares não faziam nem causavam diferença, separação, desunião e inimizade entre judeus e gentios….!!??? ora, tenha dó, né, Sr Gilberto!
    Caro amigo, toda a Lei não foi dada aos gentios; Paulo diz (verso 12), que os gentios antes da Nova Aliança, estavam separados e não faziam parte das alianças com Deus. Percebeu sr Gilberto? Só o povo de Israel recebeu a lei(thorá) com todos seus preceitos, e não só a circuncisão, mas o sábado e as leis dietéticas causavam grande diferença, separação e inimizade.
    Outra coisa: grande parte dos adventistas sempre associa a palavra “mandamentos” que aparecem no NT, com o decálogo; falou em “mandamento”, já pensam nos dez das tábuas, mas quando a Bíblia diz lei dos mandamentos em Ef 2:15, ah…essa era só a “cerimonial”…. ora, Sr Gilberto,me desculpe mas, discordo do Sr.
    Ah, sim já ia esquecendo…a questão da palavra “ordenanças”. Nessa passagem de Ef 2:15, os adventistas sempre alegam que a lei em questão era a dita “lei cerimonial” devido estar escrito: lei que consistia em ordenanças. Mas, o que é uma ordenança? É uma norma, uma regra; e não especificamente uma regra cerimonial, como querem os adventistas.
    Analisemos: A palavra grega que foi traduzida por ordenanças em Col 2:14 e Ef 2:15, é Dogma. Mas essa palavra não é exclusiva para significar “lei cerimonial”. Essa palavra(Dogma), aparece outras 4 vezes no NT:
    -em Lc 2:1, ela é usada para😮 decreto(Dogma) de Cesar para registro e contagem do povo. Seria isso, algo da lei cerimonial?
    -em At 16:4, ela é usada para: a decisão(Dogma) que os apóstolos tomaram na reunião de Jerusalém. Eles pediram para os não-judeus não comerem sangue, animais estrangulados, animais oferecidos à ídolos e não praticarem imoralidade sexual. Essas regras foram necessárias para facilitar a convivência na Igreja entre judeus e não-judeus evitando escândalos. Essa decisão(Dogma) dos Apóstolos foi sábia e oportuna para a situação da época. Ela não teve um objetivo ritual, mas de trazer mais harmonia entre os dois povos.
    – em At 17:7, ela é usada novamente para: o decreto(Dogma) de César, decreto esse que afirmava existir somente um rei, o César. Decreto do imperador romano que afirmava existir só um rei, seria da “lei cerimonial” porque a palavra usada foi Dogma?
    – em Col 2:20, ela é usada para:ordenanças(Dogmatizo) realmente cerimoniais sem valor. mas note que aqui a palavra se apresenta diferente.
    Além disso, tem outras coisas; vemos em Lucas 2:39, que a palavra grega (traduzida por ordenanças)referindo-se aos ritos cerimoniais realizados não foi Dogma, foi Hapas.
    E em Hb 9:10, as ordenanças rituais são denominadas pela palavra Dikaioma. A palavra Dogma, não foi usada.
    E em Hb 7:18, a palavra grega traduzida por ordenança, foi Entole, e não Dogma. E nessa passagem, todo adventista afirma se tratar da dita “lei cerimonial”.
    Portanto, a palavra grega(Dogma) que aparece em Col 2:14 e Ef 2:15, não é exclusiva, e a Bíblia não mostra, que seja exclusiva para lei cerimonial.
    Outro detalhe importante: “ordenança” é uma tradução. Se vamos olhar para a tradução “ordenanças” e pensar em leis cerimoniais, como fica 1 Cor 7:19 ? Paulo diz que: o que vale é guardar as “ordenanças” de Deus(RA 2º edição). Os advts guardam essas ordenanças cerimoniais de Deus? Quais? E em Lc 2:39, é dito que foram cumpridas as “ordenanças” segundo a Lei do Senhor(RA 2º edição). Mas a lei do Senhor não é o decálogo, só com leis morais; como que “ordenanças” são da Lei do Senhor? (E lembro que a RA 2º edição, foi distribuída nas igrejas pelos próprios líderes adventistas para seus membros.)
    E para completar, a própria sra White chamou o sábado de “ordenança” veja:
    “Desta maneira indica o profeta a ordenança (ordinance) que tem estado esquecida: “Levantarás os fundamentos de geração em geração; e chamar-te-ão reparador das roturas, e restaurador de veredas para morar. Se desviares o teu pé do sábado, e de fazer a tua vontade no Meu santo dia…” (o grande conflito pg 452-453)

    Mas sr Gilberto…o sábado não é “moral”? como que a sua “mensageira do Senhor” o chama de “ordenança”????
    Concluindo: a Lei sempre foi uma só, nunca dividida em moral, cerimonial, de saúde, civil, ou qualquer outra; isso é pura criação de líderes religiosos através dos tempos. a Bíblia nunca mostrou tal divisão. Analisando a Bíblia, o que podemos deduzir, é que a Lei (thorá) quando foi dada, ela tinha um único caráter, o moral de certo e errado; era certo seguir a Lei, (toda ela)e era errado não segui-la.

    Isto basta. Espero que o sr reflita… sr Gilberto.
    Fique na Paz . Décio.

  18. Alberto diz:

    Senhor Editor,

    Saudações Cristãs!

    Obrigado pela consideração com os leitores, postando as respostas constantes no blog de origem.

    Saúde e paz,

    Alberto.

  19. Romeu Carlos Araujo diz:

    romeucaraujo@gmail.com

    Primeira parte

    12 perguntas para os inimigos dos 10 Mandamentos da lei de Deus

    12 perguntas feitas por: Muitos sãos os que se colocam de frente contra os 10 mandamentos da lei de Deus. Tenho presenciado grandes movimentos evangélico protestante se erguendo contra a lei de Deus. Em resposta a esses dissidentes protestantes, gostaria de lhes dirigir 12 perguntas do porque que Deus fez tanta diferenciação entre as leis, uma vez que vocês alegam não existir. Neste desafio, não vale o campo da argumentação. Apenas um assim diz o Senhor. Portanto fica abaixo enumeradas de 1 a 12 as seguintes perguntas: Gilberto Theiss É adventista do sétimo dia a mais de 15 anos. Foi obreiro bíblico, colportor efetivo e ancião por 9 anos, sendo 3 anos na IASD de Nova Resende-MG e 6 anos na IASD central de Guaxupé-MG. Atualmente está bacharelando em Teologia pelo Seminário Adventista Latino-Americano de Teologia com o objetivo de servir a Deus, a IASD e ao próximo, com toda força, garra e amor na proclamação final do evangelho ao mundo.

    12 respostas para os inimigos do Espírito Santo de Deus

    12 respostas feitas por: Romeu Carlos Araújo é cristão de todos os dias. Atualmente esta bacharelando pelo Espírito Santo para conhecer mais das coisas de Deus, das coisas espirituais, do reino de Deus. As coisas de Deus são espirituais e somente o Espírito Santo consagra a seus bacharelandos para que lhe sirvam. Deste conhecimento espiritual me glorio. Jeremias 9:23 Assim diz o Senhor: Não se glorie o sábio na sua sabedoria, nem se glorie o forte na sua força; não se glorie o rico nas suas riquezas; 24 mas o que se gloriar, glorie-se nisto: em entender, e em me conhecer, que eu sou o Senhor, que faço benevolência, juízo e justiça na terra; porque destas coisas me agrado, diz o Senhor.
    A teologia dá conhecimento lógico, dá um conhecimento mental, dá um conhecimento racional, dá um conhecimento ensinado por homens que não conhecem a Deus em sua essência. Portanto não é um conhecimento de Deus. A teologia não dá conhecimento espiritual.
    O conhecimento de Deus, conhecer a Deus; é um conhecimento espiritual, é um conhecimento dos céus, das coisas espirituais, das coisas celestes e somente o Espírito Santo pode dar esse conhecimento por revelação e não por estudos ou lições porque na sua essência Deus é Espírito. Assim como esta escrito:
    I CORINTIOS 2:10 Porque Deus no-las revelou pelo seu Espírito; pois o Espírito esquadrinha todas as coisas, mesmos as profundezas de Deus. 11 Pois, qual dos homens entende as coisas do homem, senão o espírito do homem que nele está? assim também as coisas de Deus, ninguém as compreendeu, senão o Espírito de Deus. 12 Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, mas sim o Espírito que provém de Deus, a fim de compreendermos as coisas que nos foram dadas gratuitamente por Deus; 13 as quais também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito Santo, comparando coisas espirituais com espirituais. 14 Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque para ele são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. 15 Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele por ninguém é discernido. 16 Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.
    I JOÃO 2:20 Ora, vós tendes a unção da parte do Santo, e todos tendes conhecimento. 26 Estas coisas vos escrevo a respeito daqueles que vos querem enganar. 27 E quanto a vós, a unção que dele recebestes fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina a respeito de todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como vos ensinou ela, assim nele permanecei. Amém! Gloria a Deus.

    Você diz na sua ousadia que tem presenciado grandes movimentos evangélicos protestantes se levantado contra a lei de Deus; em vista disso você faz 12 perguntas a esses muitos e granes dissidentes protestantes…
    1º – Conforme o dicionário, a palavra dissidentes, quer dizer não conforme, discorda de uma religião predominante. Muito bem; Isso significa dizer que os judeus carnais bíblicos estão representados pelos adventistas. O apostolo Paulo já nos advertiu disso: Romanos 2:17 Mas se tu és chamado judeu, e repousas na lei, e te glorias em Deus; 18 e conheces a sua vontade e aprovas as coisas excelentes, sendo instruído na lei; 19 e confias que és guia dos cegos, luz dos que estão em trevas, 20 instruidor dos néscios, mestre de crianças, que tens na lei a forma da ciência e da verdade; 21 tu, pois, que ensinas a outrem, não te ensinas a ti mesmo? Tu, que pregas que não se deve furtar, furtas? 22 Tu, que dizes que não se deve cometer adultério, adulteras? Tu, que abominas os ídolos, roubas os templos? 23 Tu, que te glorias na lei, desonras a Deus pela transgressão da lei? 24 Assim pois, por vossa causa, o nome de Deus é blasfemado entre os gentios, como está escrito.
    Não há outro significado para os adventistas, os judeus antigos acusaram até Jesus de ter transgredido a lei. E hoje não é diferente: os judeus carnais atuais (adventistas) acusam aos que não guardam a lei de serem transgressores da lei, de estarem em pecados e que somente a igreja adventista esta correta, e querem a todas à custa que os outros tenham a mesma forma de interpretar as escrituras. Nós não interpretamos as escrituras, nós discernimos a palavra espiritualmente que é diferente de interpretar.

    2º – Conforme esta escrito; assim diz o Senhor, a lei é eterna. A lei é santa.
    E concordo com você quando diz que alguns nem todos dizem que a lei deixou de existir, são alguns.

    Bem; antes de responder a primeira pergunta vamos conhecer a lei e sua função conforme você mesmo diz: não vale a argumentação e sim assim diz o Senhor: Amém

    Você sabe e todos nós sabemos que Deus tinha lhe feito uma promessa a Abraão dizendo que todos seriam salvos na sua descendência. É evidente que não estamos falando de descendência de carne e sangue, estas palavras são espirituais e, portanto temos que discernir espiritualmente. A descendência de Abraão é todos aqueles que crêem nas promessas por fé.

    Essa promessa nós entendemos assim como o apostolo Paulo entendeu que um dia receberíamos essa promessa que é o Espírito Santo. Gálatas 3:14 para que aos gentios viesse a bênção de Abraão em Jesus Cristo, a fim de que nós recebêssemos pela fé a promessa do Espírito.

    Essa promessa se cumpriu em todos aqueles que um dia creram no evangelho e receberam a Jesus como Senhor e Salvador de suas vidas e que a partir desse dia o Espírito Santo veio morar e viver no espírito do homem fazendo um só espírito. Nesse dia nosso espírito foi renovado, foi restaurado pela presença do Espírito Santo dando-nos a vida eterna e já sendo selado como propriedade de Deus por ter o Espírito Santo. Tito 3: 4 Mas quando apareceu a bondade de Deus, nosso Salvador e o seu amor para com os homens, 5 não em virtude de obras de justiça que nós houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou mediante o lavar da regeneração e renovação pelo Espírito Santo, 6 que ele derramou abundantemente sobre nós por Jesus Cristo, nosso Salvador; 7 para que, sendo justificados pela sua graça, fôssemos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.

    Então a promessa de Deus dada ao pai da fé Abraão foi cumprida no dia que cada homem aceito pela fé a Jesus Cristo. Amém , gloria a Deus.

    Mais como a própria palavra diz: se já foi dada, já foi decretada que todos seriam salvos através da fé, através do crer, então porque Deus deu sua lei? Para que e por que Deus deu sua lei, qual objetivo dela lei? Será que a lei vai invalidar essa promessa que Deus tinha feito a Abraão? Veja a resposta: Assim diz o Senhor. Gálatas 3:19 Logo, para que é a lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita; e foi ordenada por meio de anjos, pela mão de um mediador.

    Como você mesmo pode ver, não sou que digo é o próprio Deus que esta falando. Então a lei foi dada, foi adicionada, foi ordenada com um único e exclusivo objetivo: A lei foi dada por causa das transgressões. A lei foi adicionada por causa dos pecados. Isso para que o povo pudesse ver seus pecados. Romanos 3;20 porquanto pelas obras da lei nenhum homem será justificado diante dele; pois o que vem pela lei é o pleno conhecimento do pecado.

    Esse é o objetivo da lei. mostrar pecados aos pecadores. A lei não foi feita por Deus para observar, para guardar e sim como esta escrito; para ter conhecimento do pecado.
    E não vai me disser que esta lei aqui é a tal lei cerimonial, porque em Gálatas 3.17 diz: E digo isto: uma aliança já anteriormente confirmada por Deus, a lei, que veio quatrocentos e trinta anos depois, não a pode ab-rogar, de forma que venha a desfazer a promessa.

    Qual é a lei que foi dada 430 anos depois da saída do povo do Egito? A lei cerimonial ou a lei dos dez mandamentos? Pelo que sabemos essa tal de lei cerimonial de sacrifícios de cordeirinhos já vinha sendo praticado desde Adão. Então não se refere a lei cerimonial e sim a lei dos dez mandamentos. Amém

    Gálatas 3:19 Logo, para que é a lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita; e foi ordenada por meio de anjos, pela mão de um mediador.

    Agora sabemos que a lei foi acrescentada por causa das transgressões, por causa dos pecados da humanidade, para que o povo pudesse ver seus pecados.

    Mais também diz: até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita; e foi ordenada por meio de anjos, pela mão de um mediador.

    Então a lei foi dada para que o povo pudesse olhar seus pecados … até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita;

    Isso significa que: todo homem que não é cristão pode ver seus pecados através da lei.
    Até que viesse o descendente diz a palavra. Até que viesse a conhecer a Jesus, Até que viesse a ser cristão, até que se arrependa e toma uma providencia com relação a seus pecados.
    Depois que conhece a Jesus Cristo, depois de se converter a Lei não acaba e sim seus pecados são perdoados dessa maneira o antes pecador e agora cristãos não vê mais seus pecados através da lei porque os seus pecados foram tirados.
    Depois da vinda do descendente que é Cristo o pecador não podia mais ver seus pecados através da lei. Gálatas 3:16 Ora, a Abraão e a seu descendente foram feitas as promessas; não diz: E a seus descendentes, como falando de muitos, mas como de um só: E a teu descendente, que é Cristo.

    Sabemos que a lei é eterna. Então o que foi que acabou? Porque aqui diz; Gálatas 3:19 Logo, para que é a lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita;

  20. Romeu Carlos Araujo diz:

    romeucaraujo@gmail.com

    Segunda parte.

    Deus deu sua lei para que o pecador olhasse seus pecados e sejam também guiados por ela, guiados pela lei, guardar a lei, guardar seus sábados, obedecer a lei com o intuito de levar ao povo a fé e crer que um dia no futuro Deus mandaria alguém para tirar seus pecados do homem e lhe daria um novo guia o seu Espírito Santo.
    Deus despertaria ao povo a crer naquele enviado, por isso diz: encerrados para aquela fé que se havia de revelar, toma lei toma de conta até que Cristo viesse para podermos ser aceitos por Deus por meio da fé e não mais cumprindo a lei. Crer naquele que não vemos literalmente e sim ver com nossos olhos da fé, por isso Paulo disse: Nossa vida não mais por vista e sim pela fé.
    Em outras palavra: vocês vão ser guiados pela lei porque não tem fé, depois com a minha chegada vocês serão guiados por mim, basta apenas crer em mim.
    Imagine você não ser guiados mais pela lei e sim ser guiado diretamente pelo Espírito Santo que mora no teu interior?
    Ser guiado pela lei o homem precisa memorizar tudo o que a lei diz. Imagine se você se esquece algumas coisas que aprendeu de memória ou se sua memória falha como agiria em situações de sua vida?
    Faço um exemplo: Eu aprendi porque me ensinaram que estas coisas são muito bom, estas coisas: um, dois, três, cem, mil … Todas estas coisas são boas porque aprendi de memória, aprendi porque li na lei, e sei é bom. Mas tudo isso esta na mente porque aprendi de memória.
    Agora estas coisas são mal: um, dois, três, mil, dez mil …estas coisas eu sei que são mal, porque me ensinaram, porem todas estas coisas esta na mente e nós sabemos o que é bom e o que é mal, mais somente estas coisas. Conhecemos apenas as coisas que aprendemos ou nos ensinaram.

    Que aconteceria se somente conheceríamos na mente dez mil coisas boas de 20 milhões de coisas boas?
    Que aconteceria de conheceríamos 10 mil coisas más de 20 milhões de coisas más?

    Não poderíamos atuar conforme a vontade de Deus porque toda atitude, todo pensamento estaria ligado a um conhecimento mental que nós conhecemos ou assimilamos de alguém que nos ensinou de forma humana. Percebes?

    Assim são todos aqueles que são guiados pela lei, não sabem atuar em situações adversas na vida porque aprenderam de memória.

    Agora veja aquele que é guiado pela fé pelo Espírito Santo no seu interior, não precisa pensar, ele age rápido, espontâneo direto. Não intervém a mente e sim a consciência.

    Galatas 3:23 Mas, antes que viesse a fé, estávamos guardados debaixo da lei, encerrados para aquela fé que se havia de revelar. 24 De modo que a lei se tornou nosso aio, para nos conduzir a Cristo, a fim de que pela fé fôssemos justificados. 25 Mas, depois que veio a fé, já não estamos debaixo de aio.

    Agora não precisamos mais da lei para nos guiar ou tomar conta de nós porque temos o Espírito Santo em nós como guia.

    Agora veja o que esta escrito: assim diz o Senhor: II CORINTIOS 3:1 Começamos outra vez a recomendar-nos a nós mesmos? Ou, porventura, necessitamos, como alguns, de cartas de recomendação para vós, ou de vós? 2 Vós sois a nossa carta, escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens, 3 sendo manifestos como carta de Cristo, ministrada por nós, e escrita, não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de carne do coração. 4 E é por Cristo que temos tal confiança em Deus;
    5 não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus, 6 o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica.
    7 Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo, 8 como não será de maior glória o ministério do espírito? 9 Porque, se o ministério da condenação tinha glória, muito mais excede em glória o ministério da justiça. 10 Pois na verdade, o que foi feito glorioso, não o é em comparação com a glória inexcedível. 11 Porque, se aquilo que se desvanecia era glorioso, muito mais glorioso é o que permanece. 12 Tendo, pois, tal esperança, usamos de muita ousadia no falar. 13 E não somos como Moisés, que trazia um véu sobre o rosto, para que os filhos de Isra desvanecia; 14 mas o entendimento lhes ficou endurecido. Pois até o dia de hoje, à leitura do velho pacto, permanece o mesmo véu, não lhes sendo revelado que em Cristo é ele abolido; 15 sim, até o dia de hoje, sempre que Moisés é lido, um véu está posto sobre o coração deles. 16 Contudo, convertendo-se um deles ao Senhor, é-lhe tirado o véu. 17 Ora, o Senhor é o Espírito; e onde está o Espírito do Senhor aí há liberdade. 18 Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor.

    Você pode ver aqui que o ministério da lei era de morte. A lei mata por causa do pecado. Se não há pecado a lei não tem poder. Satanás sabendo que a força do pecado é a lei, ele se empenha em fazer cada vez mais pecado no homem, o pecado se torna cada vez mais maligno porque sabe a lei vai lhe condenar.

    Esse é o ministério da lei. É um ministério de morte. É um ministério de condenação. É um ministério de seguir ao homem enquanto este viva em pecados.
    7 Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo,

    Vocês adventistas dizem que a lei é eterna porque foi escrito em pedras. Desde quando a pedra simboliza a eternidade? A lei foi escrito em pedras simbolizando a dureza do coração do povo em crer nas promessas, por isso o ministério da lei estava com seus dias contados.
    E esse ministério veio em gloria. Os adventistas dizem: A lei veio em gloria, tanta gloria para nada?
    A lei ministrava pecados, a lei ministrava condenação por causa do pecado. Mas esse ministério estava com seus dias contados, por isso diz: Gálatas 3:19 Logo, para que é a lei? Foi acrescentada por causa das transgressões, até que viesse o descendente a quem a promessa tinha sido feita;
    Com a vinda do descendente acabou o ministério de morte da lei. Na cruz do calvário Jesus Acabou com o pecado. Sua morte derrotou aquele que tinha poder sobre os homens. ROMANOS 8:1 Portanto, agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus.
    2 Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.
    3 Porquanto o que era impossível à lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado. 4 para que a justa exigência da lei se cumprisse em nós, que não andamos segundo a carne, mas segundo o Espírito.

    Jesus Cristo condenou o pecado, Jesus Cristo acabou com aquele que provoca o pecado. Foi por causa disso e para isso Jesus Cristo veio. Não são minhas palavras. Assim diz o Senhor.

    Se o ministério de morte da lei veio em gloria, imagine você 8 como não será de maior glória o ministério do Espírito? 9 Porque, se o ministério da condenação tinha glória, muito mais excede em glória o ministério da justiça.

    Aqui não esta falando da lei. esta falando do ministério da lei.
    Agora nós temos um ministério – 6 o qual também nos capacitou para sermos ministros dum novo pacto, não da letra, mas do Espírito; porque a letra mata, mas o Espírito vivifica.
    A lei não vivifica, mas o Espírito vivifica.

    E quando começa o ministério do Espírito Santo? Quando nascemos de novo. Para haver um novo nascimento é necessário haver morte.
    Havendo morte e ressurreição seremos os verdadeiros filhos de Deus que não são guiados pela lei, e sim pelo Espírito Santo de Deus. Romanos 8:14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus, esses são filhos de Deus.

    Bem; não são minhas palavras; Será que o Espírito santo é um inútil que não pode guiar a um novo convertido? Que precise da lei para saber o que é pecado e o que não é? Jesus disse que enviaria o Espírito da verdade e que guiaria a toda a verdade. Será que são inimigos do Espírito Santo? Não se sujeitam a Ele? Galatas 5:25 Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.

  21. Romeu Carlos Araujo diz:

    romeucaraujo@gmail.com

    1º – Porque razão Deus chamou uma lei de lei do Senhor e outra lei de Moisés? Salmos 1:2; 19:7; Rom. 7:22. Neemias 8: 1
    Salmos 1:1 Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; 2 antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite.
    Salmos 19:7 A lei do Senhor é perfeita, e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel, e dá sabedoria aos simples. •I JOÃO (cap. 5)• 6 Este é aquele que veio por água e sangue, isto é, Jesus Cristo; não só pela água, mas pela água e pelo sangue. E o Espírito é o que dá testemunho, porque o Espírito é a verdade.
    Romanos;7:20 Ora, se eu faço o que não quero, já o não faço eu, mas o pecado que habita em mim.
    21 Acho então esta lei em mim, que, mesmo querendo eu fazer o bem, o mal está comigo. 22 Porque, segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus; 23 mas vejo nos meus membros outra lei guerreando contra a lei do meu entendimento, e me levando cativo à lei do pecado, que está nos meus membros. 24 Miserável homem que eu sou! quem me livrará do corpo desta morte?
    Neemias 8:1 Então todo o povo se ajuntou como um só homem, na praça diante da porta das águas; e disseram a Esdras, o escriba, que trouxesse o livro da lei de Moisés, que o Senhor tinha ordenado a Israel.

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Em salmos esta escrito devido não estar ainda o Espírito Santo, então o povo tinha que meditar na sua lei de dia e de noite. A lei de Deus é perfeita e quando fala de refrigera a alma veja o que disse Jesus com relação a refrigerar a alma. João :4.14 aquele, porém, que beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede; pelo contrário, a água que eu lhe der será nele uma fonte a jorrar para a vida eterna.
    Jesus falava já do Espírito Santo.
    Quando o apostolo Paulo escreveu a carta aos romanos ele era pecador ou era santo? Reflita.
    Em Neemias não se refere ao livro de Moises e sim o livro que foi dado ao povo por intermédio de Moises. Que Deus te abençoe.

    2º – Porque razão Deus chamou uma lei de lei real e outra de cédula de ordenança? Tiago 2: 8, Colossenses 2: 14

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Em Tiago 2:8 fala da lei sim mais em Colossenses não se refere a nenhuma lei, e sim se refere a conta de nossa divida que era contra nós e o que era contra nós? Nada mais que os nossos pecados. Na cruz Jesus não Pregou nenhuma lei e sim pregou os nossos pecados.

    3º – Porque Deus mostrou uma lei antes do pecado do homem e outra depois? Romanos 4: 15, Leia Hebreus 10:1

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Em Romanos a lei traz o castigo de Deus, a desobediência a lei traz a ira de Deus contra os pecadores e sabemos que a lei foi dada para os pecadores e não para nós os santos.
    A lei dada por Moisés não é um modelo completo e fiel das coisas verdadeiras; é apenas uma sombra das coisas boas que estão para vir. Os mesmos sacrifícios são oferecidos sempre, ano após ano. Portanto, como pode a lei, por meio desses sacrifícios, aperfeiçoar as pessoas que chegam perto de Deus? é somente pela fé.

    4º – Porque a lei de 10 mandamentos Deus mesmo as escreveu e a outra mandou que Moisés escreve-se? Êxodo 31: 18, Deuteronômio 31: 9

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Onde estão as pedras escritas por Deus. pode me dizer onde estão. Só é valido o que estão escritos nas pedras? O que esta escrito na bíblia não serve?

    5º – Porque Deus escreveu 10 mandamentos em pedras e mandou Moisés escrever o restante nos rolos? Êxodo 31: 18, Deuteronômio 31: 24

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.

    As pedras representam a dureza do coração do povo de então e de hoje também. E o que esta escrito em rolo não serve? Então rasga essa passagens que esta escrito em rolo.

    6º – Porque Deus mandou colocar 10 mandamentos dentro da arca e mandou que deixa-se de fora as outras 603 leis? Deuteronômio 10: 5, Deuteronômio 31: 26

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    A arca é uma figura e sombra de nosso coração a qual Deus já antecipada a lei em nosso coração.

    7º – Porque Deus chamou uma lei de lei perfeita e a outra chamou de lei que não aperfeiçoa nada? Salmo 19: 7, Hebreus 7: 19

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    A lei sempre foi e será perfeita mais isso não invalida o trabalho do Espírito Santo. Você é guiado pela lei ou pelo Espírito Santo?

    8º – Porque Deus chamou uma lei de eterna e outra de lei transitória? Salmos 111:7,8, Hebreus 10: 1

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    A lei é eterna e seu ministério é que era transitória

    9º – Porque Deus chamou uma lei de santa e a outra que nada santifica? Romanos 7: 12, Hebreus 10: 1

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Cumprir a lei não santifica a ninguém. Em hebreus fala do ministério da lei e não diretamente a lei.

    10º – Porque Deus chamou uma lei de Espiritual e a outra de lei carnal? Romanos 7: 14, Hebreus 9: 10

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Toda palavra ou lei é espiritual porque Deus é Espírito. Em hebreus era figura e sombra da lei espiritual. Era figura e sombra do templo que somos nós, figura e sobra do sacerdócio real que hoje somos nós, figura e sombra do sumo sacerdote que é Cristo e nós sacerdotes.

    11º – Porque Deus disse que uma lei não seria anulada e que outra lei seria cravada na cruz? Mateus 5: 17-19, Colossenses 2: 14

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.

    A lei de ordenanças que era contraria, isso é nossos pecados que eram contra nós foram cravados na cruz do calvário.

    12º – Porque Deus disse que uma lei não seria mudada e nem anulada pela fé, e que outra lei sim seria cancelada? Romanos 3: 31, Efésios 2: 15

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.

    31 Anulamos, pois, a lei pela fé? De modo nenhum; antes estabelecemos a lei.
    A lei tem seu papel importante. Não pode o pecador ver seus pecados pela fé e sim através da lei por isso a lei continua. Ninguem pode se salvar através da obras ou cumprimento da lei, todos são aceitos pelo crer.

    Se Deus não quisesse sugerir diferenciação de leis, porque razão faria tantas, tantas e tantas diferenças tão absolutamente claras assim? Rendam-se a verdade.

    Resposta aos inimigos do Espírito Santo.
    Voces não entendem.
    Quem morre para seus pecados também morre para a lei, esta livre de pecados e livre da lei.

  22. Estou Salvo e Você? diz:

    Vocês que não são adventistas são uns TOLOS que acham que sabem tudo mas não sabem nada

  23. Joel diz:

    Caro Décio, eu quero dizer que tenho acompanhado seus Comentários aqui neste Blog e tenho gostado muito, porque são bastante esclarecedores. Você e o Editor estão de parabéns mesmo. Eu também lí todos as suas declarações em resposta ao Sr. Gilberto Theis, e achei fantástico. Até porque você andou reformulando (melhorando) algumas perguntas dêle que realmente estava sem sentido algum. Muitas delas nem merecia resposta; esta é a verdade. Mas você soube conduzir muito bém suas explanações. Eu também acho que a IASD cai em contradição quando divide a LEI de Deus em duas. Por ex.: quando afirmam que o Decálago é eterno, mas os Escritos do Livro da Lei era Cerimonial e Transitória. Então como fica o caso do “Dízimo” que fazia parte da Ordem Levítica (portanto estava contida no livro da Lei), e não das Tábuas de pedra? E que eles defendem com “unhas e dentes”? é muito estranho não? É só para o momento. Fiquem na paz do Altíssimo e Deus nos ilumine. Abraços. Joel. – joeli_santos@hotmail.com.

  24. Pagun diz:

    Agora vão lá, ensinem a todos que puderem encontrar e se alegrem nisso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s